Siga nas Redes Sociais

Listas

Câmbio automático: Cinco erros para não cometer

Conheça cinco erros que não devem ser cometidos em veículos com câmbio automático.

Por

Murilo C. 

| Publicado em

Hoje metade dos veículos 0km vendidos no Brasil vêm equipado com algum variante de câmbio automático. De acordo com um levantamento feito ainda em 2019 veículos automáticos devem prevalecer no nosso trânsito.

Quem dirige em trânsito pesado e enfrenta vias congestionadas sabe que embora gaste mais combustível esse tipo de tecnologia é literalmente uma mão na roda quando o assunto é proporcionar conforto ao motorista. 

Câmbio automático

Também é verdade e importante afirmar que transmissões automáticas costumam dar menos despesas quando o assunto é manutenção.

Entretanto quando algum problema surge os gastos necessários para o reparo são muito maiores do que em carros manuais. 

Assim nós do Senhor Carros fomos atrás de especialistas no assunto para te mostrar quais são os cinco principais erros que você não deve cometer para manter a qualidade e longevidade do seu câmbio automático e de quebra economizar uma boa grana. 

Bora conferir nossas dicas?

ANÚNCIOS

Os cinco principais erros que detonam seu câmbio automático

Descubra agora quais erros você não deve cometer para manter o câmbio automatizado do seu carro tinindo e funcionando da melhor forma possível.

ANÚNCIOS

5. Fazer o carro pegar no tranco

Você deve estar pensando:

"Essa galera do Senhor Carros ficou doida. Não dá pra fazer um carro automático pegar no tranco".

Pois bem… Lamentamos te informar que sim!

Um carro com transmissão automática pode pegar no tranco. 

Entretanto a prática deve ser evitada ao máximo por conta dos riscos que pode trazer ao câmbio.

O mais importante é nunca deixar o câmbio na posição P com o veículo rodando pois as rodas podem travar e causar danos à transmissão e até mesmo ao motor. 

A posição P do câmbio aciona um pino responsável por travar o eixo que conecta o câmbio ao motor e com o impacto súbito pode acabar quebrando.

Você só deve tentar fazer o carro automático pegar no tranco se essa for sua última opção. 

Tranco câmbio automático
Tentar dar tranco pode estragar câmbio automático

Para realizar tal manobra o seletor deve ser colocado em um primeiro momento em N.

Em seguida assim que o veículo atingir uma velocidade de 20 km/h é preciso mudar o seletor para D ou 2. Essa é a forma segura de dar tranco em um carro automático. 

Mesmo assim é preciso ter mente que esse tranco embora seja segura força os componentes do motor e câmbio e se for realizado de maneira contínua pode causar problemas. 

Se a bateria estiver descarregada o ideal é fazer uma “chupeta” ou carregá-la através de equipamento específico. O tranco é muito pior para a transmissão automática do que para a manual. 

ANÚNCIOS

4. Exceder o limite de carga

Como muitos sabem o câmbio automático não é algo restrito apenas aos carros. Hoje muitas caminhonetes possuem o dispositivo instalado. 

E um dos erros que muitos proprietários não se atentam é rodar com cargas acima da especificada no manual do proprietário. 

Carregar peso em excesso compromete em um primeiro a segurança uma vez que amplia o espaço necessário para a frenagem além de trazer risco de tombamento se a carga for muito alta. 

Carga câmbio
Excesso de carga pode afetar transmissão automática

No caso da transmissão o esforço contínuo com excesso de peso leva ao desgaste prematuro de peças reduzindo a vida útil do componente que precisará de manutenção.

O resultado: Gastos inesperados que poderiam ser evitados. 

ANÚNCIOS

3. Dirigir em ponto morto

Em pleno ano de 2020 ainda existe gente que acredita no mito de que rodar na banguela traz economia de combustível

Em carros com carburador isso até é verdade, mas em carros com injeção eletrônica com transmissão automática isso é um verdadeiro absurdo. 

Deixar o câmbio na posição N enquanto se roda na verdade faz com que o veículo consuma mais combustível, compromete a segurança e traz danos ao sistema de transmissão. 

Colocar o câmbio em Neutro faz com que o gasto de combustível seja maior do que se estivesse engrenado.

Neutro
Dirigir em Neutro é perigoso danifica câmbio

O sistema de injeção eletrônica é calibrado faz a leitura de que o “carro está parado” e injeta mais combustível no motor do que injetaria se estivesse rodando em uma marcha alta com giro baixo - algo comum principalmente em rodovias. 

Se você estiver em uma descida de serra e posicionar o câmbio em N as rodas ficarão com tração livre.

Isso acaba sobrecarregando os freios que podem superaquecer e perder eficiência o que aumenta o risco de acidentes. 

Deixar o veículo em ponto morto e voltar a ativar a transmissão automática ainda em movimento danifica todas as engrenagens do câmbio. Trata-se de uma prática perigosa e lesiva que deve ser evitada. 

ANÚNCIOS

2. Engatar a ré com o carro ainda em movimento

Quem nunca em um momento de pressa engatou a ré com carro ainda se movimentando que atire a primeira pedra! 

Infelizmente essa é uma prática comum e prejudicial. Ao manobrar com pressa muita gente acaba por engatar a ré com o carro ainda em movimento para a frente. 

O tranco em decorrência dessa hábito vai causando danos ao sistema de transmissão e com o tempo podem causar uma falha grave ao sistema de transmissão que não é nem um pouco barata de se consertar. 

Ré automática
Engatar a ré com o veículo em movimento é um erro muito comum

Além disso selecionar a posição P com o automóvel ainda em movimento é outro hábio que deve ser evitado. 

Nesse caso não há sobrecarga do câmbio e sim da trava que protege a transmissão de danos causados por eventuais movimentações enquanto o carro estiver estacionado. 

Se essa trava for forçada de maneira contínua ela poderá se romper. Assim é importante se certificar de que o veículo está totalmente parado antes de colocar a alavanca na posição R ou P. 

ANÚNCIOS

1. Descuidar da manutenção

Muitos proprietários de veículos com câmbio automático acreditam que esse tipo de item não requer manutenção regular o que é um erro. 

Da mesma forma que outros componentes o câmbio requer lubrificação e manutenção recorrente. As especificações e os prazos para troca do fluído estão indicados no manual do proprietário e devem ser respeitados. 

Além disso a troca de óleo pode ser antecipada dependendo das condições de uso do automóvel.

Importante destacar que alguns modelos não trazem a recomendação de troca de óleo, que supostamente perduraria por toda a vida útil do veículo. 

Entretanto isso não significa que a transmissão automática esteja livre de problemas de lubrificação.

Afinal vazamentos podem ocorrer e com isso reduzir o nível do lubrificante o que eleva o atrito de peças internas e pode causar o desgaste prematuro do câmbio. 

óleo do câmbio automático
Óleo do câmbio automático deve ser conferido durante manutenções preventivas

Assim durante as revisões é mais do que válido realizar a verificação do óleo do câmbio. 

Caso apresente aparência escurecida isso significa que já não apresenta as características necessárias para lubrificação. 

Problemas com o óleo do câmbio causam sinais perceptíveis comuns como trancos nas trocas de marcha.

Além disso a transmissão também pode patinar. Ou seja ao pisar no acelerador as rodas podem levar alguns instantes para tracionar. 

Por isso é importante não negligenciar os cuidados ao câmbio. 

ANÚNCIOS

Conclusão

Como todos os componentes de um veículo o câmbio automático também merece toda atenção.

Afinal, qualquer tipo de problema nele pode prejudicar o bom funcionamento do veículo e colocar todos os ocupantes em risco. 

Seu carro é automático ou manual? Qual tipo de transmissão você prefere? Deixe um comentário contando pra gente qual é a sua preferência! 

E já que estamos falando de cuidados com o câmbio automático que tal conferir algumas ações de manutenção que você mesmo pode fazer em casa para cuidar do seu carro e ainda economizar um dinheiro?

Para ter acesso a esse conteúdo mais do que especial é só clicar abaixo! 

ANÚNCIOS
ANÚNCIOS

Em Alta