Artigos

Não cometa esse erro na hora de trocar de carro

Anúncios

por Senhor Carros

Publicado em 23/07/2019

Quando os comerciais de automóveis citam qual a transmissão utilizada no novo modelo de determinado veículo, você sabe o que significa ou quais os benefícios daquele tipo de transmissão? Os sistemas de transmissão são divididos em 3 tipos: manual, automatizado e automático. A seguir, vamos aprofundar um pouco o que cada tipo pode nos oferecer.

Anúncios

Transmissão manual (MT – Manual Transmission)

A transmissão manual ainda é, certamente, a mais comum nos veículos brasileiros. Este tipo de transmissão consiste no sistema mais básico que possuímos. A potência do motor é transmitida – através da embreagem – para o eixo da transmissão que, por sua vez, transmite a potência – através de engrenagens – até que ela chegue nas rodas. Em veículos equipados com este tipo de transmissão, a troca de marchas é efetuada manualmente pelo piloto (daí o nome transmissão manual), que aciona o pedal da embreagem, e troca a marcha no câmbio. A grande vantagem da transmissão manual é o baixo custo em relação às outras. Um veículo equipado com transmissão manual normalmente apresenta uma diferença significativa no preço se comparado com o mesmo veículo equipado com transmissão automática. Em relação ao consumo, o que prejudica a MT é a grande variação de rotação a qual submetemos o motor.

Transmissão automatizada (AMT – Automated Manual Transmission)

Já a transmissão automatizada, transmite o torque e a potência do motor exatamente da mesma maneira que a manual, com embreagem e engrenagens, mas não exige que o piloto troque de marchas manualmente. O acionamento da embreagem e a troca de marcha é feita por um componente chamado ECU (Electronic Control Unit) que realiza leituras de rotação e torque e, com base nessas leituras, interpreta quando deve trocar de marcha. Então, a ECU gera um comando eletrônico para o sistema hidráulico (que também pode ser pneumático), que aciona a embreagem e efetua a troca de marchas sem que o piloto seja solicitado.

Comumente, os sistemas de transmissão automatizada recebem nomes de seus desenvolvedores, como o iMotion da Volkswagen, Powershift, da Ford, Dualogic da Fiat, Easy-R da Renaut, dentre outros. O princípio de funcionamento de todos esses sistemas é o mesmo, salvo algumas pequenas particularidades. Dentre estas particularidades, podemos citar o Powershift, que utiliza dupla embreagem (e duplo eixo de entrada na transmissão), também chamado de câmbio DCT (Dual Clutch Transmission). No câmbio DCT, uma embreagem é responsável pelas marchas pares, e outra pelas marchas ímpares. Assim, quando a primeira marcha é engatada e a embreagem responsável pelas marchas ímpares está transmitindo o torque, o ECU faz com que o sistema hidráulico engate a segunda marcha, já que a embreagem responsável pelas marchas pares está desacoplada. A AMT está crescendo bastante no mercado automotivo devido à sua versatilidade, que alinha a economia e baixo custo da transmissão manual, com o conforto de não ter a necessidade de trocar de marchas manualmente da transmissão automática.

Anúncios

Transmissão automática (AT – Automatic Transmission)

A transmissão automática utiliza um sistema diferente das transmissões citadas anteriormente para transmitir potência. Ao contrário da MT e AMT, esta não utiliza embreagem. Ao invés da embreagem é usado um componente chamado de conversor de torque, que transmite a potência do motor para a caixa de câmbio. Já a caixa de câmbio, possui duas variações principais para a AT: a convencional, que consiste em alguns sistemas planetários acoplados em série, e a CVT (Continuously Variable Transmission), que é formada por duas polias de diâmetro variável interligadas por uma correia. Na teoria, pode-se afirmar que no CVT existem infinitas marchas.

CVT da Subaru

As desvantagens desse tipo de transmissão que merecem destaque são duas: o preço e o consumo de combustível. Por ser um sistema mais complexo, com componentes mais sofisticados, o sistema de transmissão automático costuma deixar o preço dos veículos mais elevado que o preço dos veículos equipados com MT ou AMT. Já em relação ao consumo, apesar de otimizar o ponto de operação do motor, a AT é prejudicada pelo conversor de torque, que é um componente que dissipa potência do motor. No caso da CVT, o atrito da correia com as polias ainda dissipa mais potência, e normalmente, essa dissipação de potência é acentuada devido à correia utilizada na CVT ser de aço. Já a principal vantagem da AT fica por conta do conforto. As trocas de marcha, além de não serem feitas pelo motorista, são praticamente imperceptíveis.

Sobre o autor

Senhor Carros

Revisado por

Luiza Lamas

Editor(a) sênior

Em Alta

content

Comprar Nissan Kicks: Conheça as dicas para fazer um bom negócio!

Senhor Carros | Os melhores artigos sobre carros da internet! Comprar Nissan Kicks: Conheça as dicas para fazer um bom negócio!

Continue lendo
content

Top 10: Carros de luxo mais vendidos no Brasil

Pouco afetado pela crise, o mercado de luxo automotivo segue firme e forte. Conheça os 10 carros de luxo mais vendidos no Brasil!

Continue lendo
content

Quais as marcas novas de carros no Brasil em 2022? Veja as novidades no mercado!

Novas opções de veículos desembarcam no país este ano. Então, veja quais as marcas novas de carros no Brasil em 2022 e escolha sua preferida!

Continue lendo

Você também pode gostar

content

Perguntas e respostas sobre leilão virtual: O que você precisa saber

Senhor Carros | Os melhores artigos sobre carros da internet! Perguntas e respostas sobre leilão virtual: O que você precisa saber

Continue lendo
content

O Senhor Carros é um site seguro?

Conheça o senhor carros de forma mais aprofundada. Os temas abordados, sua confiabilidade, assim como a política de privacidade!

Continue lendo
content

Seguro auto Itaú: Conheça as modalidades e vantagens

Senhor Carros | Os melhores artigos sobre carros da internet! Seguro auto Itaú: Conheça as modalidades e vantagens

Continue lendo