Listas

Conheça todos os prós e contras do novo Peugeot 208

Saiba quais são os prós e contras do novo Peugeot 208 e descubra literalmente como é ter um exemplar do modelo.

Por

Murilo C. 

| Publicado em

ANÚNCIOS

Os prós e contras do novo Peugeot 208

Com previsão de chegada para maio o novo hatchback teve sua estreia atrasada pelo novo coronavírus a exemplo de muitos outros modelos. No Brasil há pouco mais de um mês hoje trazemos para você todos os prós e contras do novo Peugeot 208.

Prós e contras do novo Peugeot 208

Algo importante de ser mencionado sobre o hatch é que mesmo com uma estética diferenciada e itens de série que a concorrência não oferece, o novo 208 não vai ter vida fácil para encarar seus concorrentes. 

Na real, quais são as sensações oferecidas pelo novo Peugeot 208? Você descobre no conteúdo a seguir.

ANÚNCIOS

Conhecendo os prós e contras do novo Peugeot 208

Conheça todos os prós e contras do novo Peugeot 208

ANÚNCIOS

Pró: Design

O primeiro item na nossa lista de prós e contras do Peugeot 208 é um tanto quanto óbvio: o seu design. 

Embora já esteja à venda há algum tempo nas concessionárias de todo o Brasil ainda é raro se deparar com um modelo nas ruas e estradas. Mas quando isso acontece é impossível não virar o pescoço.

Antes de ser bom um carro precisa ser bonito e beleza o novo 208 tem de sobra. 

Pró: Espaço interno e conforto

Outro ponto que merece destaque é o espaço interno do novo Peugeot 208 e o conforto que ele proporciona. 

Montado sobre nova plataforma o modelo ficou mais comprido e mais largo o que consequentemente se transforma em mais espaço interno e consequentemente mais conforto. 

No entanto é preciso ser coerente. Três adultos viajam confortavelmente no banco de trás, mas em grandes deslocamentos a viagem pode ser tornar um pouco cansativa para quem vai atrás. 

O conforto e a sensação de amplitude são potencializados por conta da presença do teto panorâmico.  

Com ar condicionado digital, amplas possibilidades de carregamento de celular e central de multimídia com grandes capacidades de sincronização o novo Peugeot 208 é muito confortável. 

ANÚNCIOS

Pró: Dirigibilidade e ergonomia

A dirigibilidade e a ergonomia do novo Peugeot 208 são pontos que merecem destaque. 

A nova plataforma trabalha de maneira harmoniosa as suspensões e com os sistemas de segurança, como o controle de tração e estabilidade e os freios ABS. 

Com isso quase não se sente a vibração. Não é absurdo nenhum afirmar que o motorista tem literalmente o carro na mão durante a condução. 

Dirigibilidade
Dirigibilidade e ergonomia são pontos positivos

Além disso a ergonomia é outro ponto que chama muita atenção. O painel acima do volante melhora a posição dos olhos não sendo necessário que o motorista desvie tanto a atenção do trânsito para conferir informações. 

Para completar o quesito de ergonomia o motorista tem a possibilidade de ajustar a altura e profundidade do volante além da altura e distância do banco. Tudo isso deixa a posição de pilotagem mais confortável e segura. 

Pró: Tecnologia e conectividade

Em termos de tecnologia e conectividade o novo 208 também dá um show. O modelo possui um alto teor de tecnologia embarcado que muitas vezes só é visto em grandes sedans. 

O painel em 3D, assistências de segurança, os gadgets eletrônicos as possibilidades de conexão são atrações à parte e fazem do novo 208 um modelo único. 

ANÚNCIOS

Pró: Segurança

A segurança é outro item que merece grande destaque na nossa lista de prós e contras do novo Peugeot 208.

O modelo possui diversas tecnologias desenvolvidas para uma condução mais segura. 

Os airbags, o sistema ABS e os controles de estabilidade e tração são apenas o começo de uma condução segura. 

Com sistema de alerta com frenagem autônoma, controle de qualidade por leitura de placas nas estradas, aviso de fadiga, manutenção em faixa com correção no volante e sistema de estacionamento com câmera 180 graus se envolver em acidentes ou incidentes à bordo do novo 208 é muito difícil. 

Pró: Preços acessíveis de revisão

Muita gente reclama dos preços de revisões obrigatórias dos veículos para não perder a garantia de fábrica. 

A boa notícia é que os valores de revisão do novo Peugeot 208 são um tanto quanto acessíveis e não pesam no bolso dos proprietários. 

Ao todo são 10 revisões que devem ser feitas a cada 10 mil km. Assim, as revisões na concessionária devem ser feitas até os 100 mil quilômetros rodados. 

No total, todas essas revisões custam pouco mais de R$ 3 mil. Isso dá uma média de R$ 300 por revisão. Um valor muito mais barato e acessível do que modelos que são inclusive mais básicos. 

ANÚNCIOS

Contra: Motor antigo e ausência do câmbio manual

Dando início a nossa parte “negativa” na lista de prós e contras do novo Peugeot 208 temos o motor como um ponto negativo. 

Muita gente questionou a ausência do motor 1.2 turbo do mercado europeu. A montadora se defendeu afirmando que um de seus concorrentes – o Hyundai HB20 vende mais nas versões 1.6 do que na 1.0 turbo. 

Entretanto, é importante lembrar que o problema não é manter um motor 1.6 aspirado contra os 1.0 turbo dos concorrentes. 

O problema é que esse motor 1.6 já não era muito bem visto no 208 da última geração e no novo modelo fica evidente ele é um elemento dissonante, ao contrário do 1.6 do HB20 que ganhou duplo comando variável. 

Um veículo totalmente repaginado merecia um motor mais moderno. 

Além disso, outro ponto que causou um pouco de incômodo foi a ausência do câmbio manual. Embora ofertar apenas o câmbio automático seja um sinal de modernidade os puristas podem evitar o modelo exatamente por conta desse “detalhe”.

Contra: Porta-malas pequeno

O novo Peugeot 208 perdeu 20 litros de seu porta-malas. Sua capacidade que era de 285 litros, encolheu para 265 litros. 

Porta-malas
Porta-malas pequeno joga contra o modelo

Com isso a capacidade carga do modelo se torna diminuída o que pode ser um problema para grandes famílias ou para quem precisa levar grandes quantidades de carga. 

ANÚNCIOS

Contra: Preço 

E para finalizar a nossa lista de prós e contras do novo Peugeot 208 temos o preço como ponto negativo. 

Como muitos sabem os valores praticados no mercado automotivo de veículos 0 km destoam da realidade de muita gente e com o novo 208 a história não é diferente. 

Os valores praticados não são tão acessíveis e partem de R$ 74 mil e esbarram nos R$ 95 mil. A versão elétrica ainda não teve seu valor divulgado, mas especialistas afirmam que os valores vão ser próximos dos R$ 200 mil. 

Conclusão

Como já foi dito aqui algumas vezes, infelizmente não existe modelo que seja 100% e embora agrade bastante o 208 possui pontos que devem ser levados em consideração antes que qualquer negócio seja fechado. 

Se depois de ler a nossa análise de prós e contras do novo Peugeot 208 você continua querendo comprar o modelo, nossa dica é simples e extremamente valiosa: Clique no botão abaixo.

Ele vai te dar dicas eficazes e funcionais para fazer um bom negócio e ter um 208 para chamar de seu!

Listas

12 carros nacionais raros que você não sabia que existiam

Por

Murilo C. 

| Publicado em

Muitas pessoas gostam de histórias de veículos pouco conhecidos.

Então hoje, nós do Senhor Carros resolvemos reunir carros nacionais raros que muita gente não imaginava que existiam. 

Carros nacionais raros
Raridades nacionais no mundo automobilístico pouco conhecidas

A lista de hoje traz carros nacionais raros com configurações de carrocerias um tanto quanto incomuns.

Será que você se lembra de todos eles ou já se deparou com algum ao vivo?

Para responder essa pergunta, você vai ter que conferir a nossa lista.

Partiu?

12 carros nacionais raros 

Confira agora 12 modelos de carros nacionais raros que muita gente desconhece:

12. Ford Corcel Van II 

Sempre que alguém se depara com um Ford Corcel Van II, acaba confundindo o modelo com a famosa Belina, uma vez que o modelo é baseado nela.

Ford Corcel Van II
Ford Corcel Van II 

O modelo vinha equipado com janelas ou chapas de aço no lugar dos vidros laterais traseiros.

Outra diferença do modelo era a presença apenas dos bancos dianteiros, deixando todo o espaço de trás para transporte de carga. 

A ideia da Ford na época era ter um comercial que fosse leve e compacto para brigar com a primeira geração da Fiorino.

Entretanto, o modelo não foi bem aceito e apenas 504 unidades foram fabricadas entre os anos de 1982 a 1984.

11. Ford Maverick 4 portas

O Ford Maverick é um clássico para os amantes do V8.

Mas esse modelo, que está entre os carros nacionais raros, não é a versão esportiva e sim o sedã, que tinha uma proposta mais luxuosa. 

Por ser mais luxuoso, o “mavecão” de quatro portas tinha mais espaço interno por conta do seu entre-eixos maior.

Entretanto, o modelo não apresentou bons números de vendas e a explicação para isso é simples. 

Ford Maverick 4 portas
Ford Maverick 4 portas

A exemplo do que acontece com muitas montadoras nos dias de hoje, o Ford Galaxie também contava com quatro portas e amplo espaço interno.

Por isso, o Maverick de 4 portas não decolou.

Mas isso não significa que ele não seja um modelo raro. 

10. Simca Jangada

Enquanto o Simca Chambord ganhou até música, a perua da montadora não tinha tantos holofotes apontados para si. 

Simca Jangada

Especialistas afirmam que a Jangada não “pegou” por ter sido lançada somente em 1963.

Ou seja, quatro anos após a estreia do modelo tradicional com carroceria de três volumes.

Por conta disso, a Simca Jangada está entre os carros nacionais raros.

É muito difícil se deparar com um desses.

De acordo com colecionadores, ela é uma verdadeira mosca branca.

9. Chevrolet Chevette 4 portas

Como se sabe, o Chevette deu origem a uma grande família no Brasil. 

Do modelo, nasceram a famosa perua Marajó, a picape Chevy, além da sua variação sedan.

Números da Chevrolet demonstram que a linha como um todo teve mais de 1,5 milhão de unidades produzidas só no Brasil.

Mesmo assim, há espaço para raridades. 

Chevrolet Chevette 4 portas
Chevrolet Chevette 4 portas

Nesse caso, a raridade é o Chevette com quatro portas.

O modelo foi lançado em 1979 e a configuração foi produzida até 1987.

Mas as vendas não foram boas.

Na época, o consumidor brasileiro preferia modelos com duas portas. 

Diferente do que ocorreu no Brasil, o Chevette 4 portas foi exportado para outros países da América do Sul e teve bons números de vendas. 

8. Volkswagen TL 4 portas

Se deparar com um Volkswagen TL nas ruas é algo raro, mas se deparar com um TL de quatro portas é ainda mais raro.

Dizem que é mais fácil ganhar na mega-sena do que ver um exemplar desses ao vivo. 

Esse modelo é presença obrigatória na lista dos carros nacionais raros.

A ideia da Volkswagen era ter um modelo que fosse capaz de substituir à altura o Sedan 1600, apelidado de Zé do Caixão.

Volkswagen TL 4 portas
Volkswagen TL 4 portas

A exemplo do Chevette, o TL de quatro portas também não vendeu bem porque os brasileiros não gostavam de modelos de quatro portas.

Assim, os maiores compradores dessa raridade foram os taxistas. 

7. Volkswagen Brasilia 4 portas

Na nossa lista dos carros nacionais mais raros, também temos outro exemplar da Volkswagen de quarto portas com motor traseiro ar. 

A Brasília de 4 portas é outro carro considerado uma mosca branca.

Das 950 mil unidades produzidas no Brasil entre os anos de 1973 e 1982, um número mínimo de unidades contavam com as portas adicionais. 

Volkswagen Brasilia 4 portas
Volkswagen Brasilia 4 portas

O modelo não fez sucesso no Brasil, mas apresentou bons números de vendas nos países para onde era exportado, como Nigéria, Chile e Venezuela.

6. Willys CJ-6

Pois é. Você certamente nunca tinha visto um Willys que não fosse uma Rural nem uma Pick-up, não é mesmo? 

O CJ-6 da Willys, apelidado de Bernardão, é sem sombra de dúvidas um dos carros nacionais mais raros que existem.

Seu apelido é uma alusão ao seu local de produção, a cidade de São Bernardo do Campo – SP.

Willys CJ-6
Willys CJ-6

O Modelo possuía um entre-eixos 51 cm maior que sua versão tradicional e conseguia transportar até 6 ocupantes. 

5. Willys Itamaraty Executivo

E aqui temos mais um modelo da montadora Willys que merece estar em todas as listas de carros nacionais raros. 

Enquanto o Itamaraty era o sedã de luxo da marca, o Executivo conseguia ser ainda mais sofisticado para época. Com seu entre-eixos alongado, o modelo parecia literalmente uma limusine tupiniquim. 

Willys Itamaraty Executivo
Willys Itamaraty Executivo

Além do amplo espaço interno, que permitia a instalação de mais bancos e consequentemente transporte de um número maior de pessoas, o modelo contava com equipamentos exclusivos como ar-condicionado e barbeador elétrico.

O Willys Itamaraty Executivo teve ao todo apenas 27 unidades fabricadas. O que o torna um veículo extremamente raro. 

4. Kombi picape cabine dupla

Embora muita gente não saiba, a Kombi teve diversas opções de carroceria ao longo de sua história no Brasil. A mais comum e conhecida é a standard, para passageiros ou cargas. 

Além da Standard, outras versões mais inusitadas são o furgão e a picape com cabine dupla.

Kombi picape cabine dupla
Kombi picape cabine dupla

A versão Picape com cabine dupla tinha ainda uma outra particularidade: contava com duas portas do lado direito e apenas uma do lado esquerdo, ou seja, o primeiro carro com três portas foi a kombi picape e não o Hyundai Veloster. 

Esse raro modelo foi produzido entre 1981 e 1985 e teve motores à gasolina e álcool, além de um inédito motor à diesel, mas que apresentou muitos problemas e foi aposentado rapidamente. 

3. Volkswagen Karmann Ghia conversível

O Karmann Ghia cupê não é um modelo muito comum no Brasil, afinal, foram produzidas pouco mais de 23 mil unidades entre 1962 e 1971 e isso faz do exemplar conversível um modelo ainda mais raro. 

Dados da Volkswagen divergem quanto ao número de exemplares produzidos, a divergência é entre 176 e 177 unidades produzidas.

Volkswagen Karmann Ghia conversível
Volkswagen Karmann Ghia conversível

O Karmann Ghia conversível é tão raro, que é mais fácil encontrar um modelo cupê que foi transformado, do que um original de fábrica. Colecionadores afirmam que um modelo em bom estado pode ultrapassar os R$ 100 mil. 

2. Volkswagen Golf 2 portas

Esse modelo foi concebido pela montadora de propósito para ser um veículo raro.

A Volkswagen vendia o Golf da quarta geração apenas com quatro portas, inclusive, na famosa versão esportiva GTI com motor 1.8 turbo de 180 cavalos, mas produzida nas fábricas brasileiros o modelo com duas portas, somente para exportação. 

Volkswagen Golf 2 portas
Volkswagen Golf 2 portas

Até que em 2003, a empresa decidiu fabricar uma série especial, limitada a 99 exemplares e com uma surpresa sob o capô: Um motor 2.8 de seis cilindros aspirados com 200 cavalos e carroceria destinada aos países estrangeiros. 

Realmente, um dos carros nacionais raros que não podia estar fora dessa lista. 

1. Fiat Tempra duas portas

O Fiat Tempra 2 portas é literalmente algo brasileiro, pois foi desenvolvido pela equipe de engenharia da Fiat na cidade de Betim – MG para o mercado automotivo local. 

Entretanto, nos anos 90, o gosto dos brasileiros começa a mudar e a procura por modelos de quatro portas começava a crescer, assim, a versão do Tempra de duas portas teve vida curta, sendo produzida apenas entre 1992 e 1994. 

Fiat Tempra duas portas
Fiat Tempra duas portas

Embora a carreira tenha sido curta, essa carroceria, foi oferecida para várias versões do Tempra, a mais famosa delas, a Turbo, como motor sobrealimentado de 165 cavalos, que deu ao modelo, o título de carro mais veloz do Brasil na época. 

Conclusão

De tempos em tempos variações de carros surgem e em alguns casos, podem se tornar versões raras, como te mostramos hoje. 

Mas diz pra gente, você já viu alguns desses modelos ao vivo? Se sim, qual foi? Deixa um comentário pra gente contando. 

Depois de conhecer essa lista repleta de carros nacionais raros, que tal conferir uma lista com aqueles que são piores carros vendidos no Brasil? Para saber quais são, é só clicar no botão abaixo!

Continuar Lendo

Em Alta