Artigos

Volkswagen T-Cross 2020 almeja liderança da categoria de SUVs

por

Murilo C.

Publicado em

Volkswagen T-Cross 2020

O Volkswagen T-Cross foi considerado por especialistas como o lançamento do ano, em 2019. E como em todo lançamento, há uma série de análises e repercussões nesse quase um ano de vida, ainda existe muita coisa que as pessoas não sabem sobre o SUV da montadora alemã. 

Em nosso Review, vamos contar um pouco da história guardada do Volkswagen T-Cross, além de mostrar as suas novas armas para dominar a categoria dos SUVs em terras brasileiras. 

Se você está pensando em comprar um SUV em 2020, nossa sugestão é: Leia esse artigo até o fim. 

ANÚNCIOS

A história do Volkswagen T-Cross

O Volkswagen T-Cross surgiu de um desejo interno da montadora alemã: Lançar um veículo que fosse um anti-EcoSport, e quando esse desejo veio à tona, o modelo que hoje é sinônimo de sucesso, não havia nem sido projetado. 

O plano inicial da Volkswagen na verdade era lançar outro modelo, batizado de Taigun, que nunca chegou a ter vida. A intenção da montadora na verdade, era produzir um carro conceito de nível mundial. O Taigun marcou história na edição 2012 do Salão do Automóvel de São Paulo, quando o protótipo foi revelado. 

Em 2012, a indústria automobilística brasileira era considerada uma das maiores apostas mundiais, em amplo crescimento, sendo capaz de atrair novas marcas que passaram a anunciar a construção de novas fábricas no país. Além disso, as empresas já sabiam que o segmento de SUVs compactos seria um dos principais por aqui nos anos que viriam, e o Taigun parecia o plano perfeito para sair na frente da concorrência. 

No entanto, as previsões sobre o crescimento do mercado brasileiro, como muitos sabem, não se concretizaram. O único acerto, foi com relação ao domínio dos SUVs, mas com esse crescimento abaixo do esperado, o Taigum não chegou a sair do papel nem no Brasil nem em nenhum outro lugar do mundo. 

Ao se analisar o projeto inicial, provavelmente o modelo não teria fôlego para concorrer com seus rivais bem maiores que chegaram a partir de meados de 2015 (como o Kics, o Creta e até mesmo o HRV-V). O modelo era projetado sobre a base do Up! e seria considerado como um crossover de menor porte, ou seja, as chances de fracasso seriam grandes. 

Com isso, os anos se passaram, e a equipe de pesquisa e desenvolvimento da Volkswagen acabou por desenvolver o T-Cross, que não saiu na frente da concorrência, mas convenhamos que até o momento o SUV está se saindo bem.

Números de vendas

De acordo com dados da Fenabrave, o Volkswagen T-Cross, mesmo tendo sido lançamento em 2019, fechou o ano com a sexta colocação de sua categoria, perdendo apenas para modelos já conhecidos e bem segmentados na categoria dos SUVs. 

Entretanto, ao analisarmos as vendas de dezembro de 2019 e os dois primeiros meses de 2020, o T-Cross aparece como modelo preferido dos compradores. Visando dominar a categoria, a aposta da montadora alemã, vem com novas armas para enfrentar e bater seus concorrentes diretos. 

As armas do Volkswagen T-Cross para ser líder da categoria em 2020

Embora tenha apresentado um início tímido, em 2019 – ano de seu lançamento, o modelo foi ganhando espaço, e se tornou uma surpresa mais do que agradável ao escalar as listas de vendas. Para se manter nessa escalada positiva e chegar ao topo em 2020, o Volkswagen T-Cross traz algumas novidades, que mostraremos agora. 

Continuidade de design

O Design, que foi um dos pontos positivos do T-Cross em 2019, se manteve, mas trazendo consigo uma evolução do padrão estético ao qual todos estamos acostumados a ver. Um dos pontos principais, são as linhas retas que contrastam com os vincos presentes na carroceria. 

Há ainda, elementos interessantes, tais como a grade frontal texturizada e o prolongamento na tampa do porta-malas que tem como “função secundária” unir as lanternas traseiras. O interior é muito semelhante ao do polo, com destaque para a tela da central de multimídia, que possui suporte ao Android e Apple car. 

Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020 tem continuidade do design

Recheado de opcionais

Como se sabe, a briga no segmento de SUV compactos é ferrenha. Pensando nisso, a montadora não descuidou, quando o assunto foi rechear o interior do novo T-Cross 2020. 

Na versão Comfortline, o veículo vem recheado de itens. Os que mais chamam atenção são os 6 air-bags, ar-condicionado digital, bloqueio eletrônico do diferencial, câmera de ré, assistente de partida em subida, coluna de direção com regulagens de altura e profundidade, controles de estabilidade e de tração, direção elétrica, rodas de liga leve aro 17 e piloto automático. 

Volkswagen T-Cross 2020
Opcionais do Volkswagen T-Cross 2020 mudam de acordo com o modelo

Segurança

Todas as versões do Volkswagen T-Cross 2020 são equipadas com air-bags frontais, laterais e de cortina. Como citado, o modelo terá como opcional, bloqueio eletrônico do diferencial. 

Outros pontos interessantes são: o monitoramento da pressão dos pneus, sistema de frenagem automática pós-colisão, freios a disco nas quatro rodas, além do consagrado detector de cansaço. 

O controle eletrônico de estabilidade é outro item de segurança que chama atenção, sendo capaz de identificar falhas de rodagem ainda em estágios iniciais, comparando a atuação do motorista com as reações do veículo e conforme os comandos, caso seja necessário, reduz o torque do motor e freia uma ou várias rodas com a finalidade de devolver a estabilidade.

O assistente de partidas em rampas, mantém o carro freado por um período de até dois segundos após o motorista aliviar o pedal de freio em aclives acima de 5%. Os freios são liberados de modo progressivo enquanto o pedal do acelerador é acionado.

Há também o sistema de frenagem automática de emergência, capaz de identificar uma frenagem de emergência através da velocidade de acionamento e/o pressão aplicada no pedal de freio. O sistema, aumenta então, ativamente a pressão do freio, que é modulada de modo conjunto ao sistema ABS. 

Mas a grande novidade no que diz respeito à segurança do Volkswagen T-Cross 2020 é o bloqueio eletrônico do diferencial, que aciona o freio da roda com menor tração em trilhas ou situação de baixa aderência, promovendo uma transferência de torque para a roda com maior tração. Isso faz com que o motorista tenha mais eficiência para sair de determinada situação de risco.

Esse sistema aumenta a agilidade de frenagem e diminui a necessidade de movimentação do volante. Isso ocorre por conta de intervenções seletivas nos freios das rodas internas às curvas nos eixos traseiros e dianteiros, isso faz com que haja transferência do torque disponível do motor, para rodas externas, trazendo mais estabilidade e consequentemente, dirigibilidade. 

E por fim, outro ponto de importância no quesito segurança, é o monitoramento da pressão dos pneus. O sistema do T-Cross 2020 usa sensores que monitoram o modo de vibrar de maneira conjunta com a frequência de rodagem dos pneus, detectando se houve perda de pressão em um ou mais pneus e alertam o motorista através de um aviso no painel. 

Volkswagen T-Cross 2020
Segurança do Volkswagen T-Cross 2020

Motorização

Debaixo do capô, o Volkswagen T-Cross 2020 conta com dois modelos diferentes de motor. 

As versões mais simples, são equipadas com motor 1.0 TSI Flex de três cilindros, o mesmo utilizado em outros veículos da montadora alemã, tais como Golf, Polo e Virtus. Esse propulsor é dotado de turbocompreessor e consegue desenvolver até 128 cavalos com etanol. 

Os modelos equipados com o motor 1.0 TSI dispõem da opção de câmbio manual de seis marchas ou transmissão automática Tiptronic, também com seis velocidades. Na opção pela transmissão automática, as trocas de marcha podem ser feitas através de paddle shifts localizadas atrás do volante para trocas manuais de marcha. 

Já o motor 1.4, também é flex e dispõe de quatro cilindros proveniente do Golf Highline, também com turbocompressor. Por ser mais potente, ele proporciona, naturalmente uma tocada mais esportiva, uma vez que chega até 150 cavalos de potência. 

A motorização 1.4 só possui opção de câmbio automático tiptronic de seis marchas, com paddle shifts atrás do volante e conversor de torque. 

Outro diferencial do motor 1.4, é que ele dispõe de um seletor de modos de condução, com modos: normal; ecológico; esportivo e individual. Essa alteração de modos de conduzir o veículo, é capaz de alterar alguns parâmetros de funcionalidade do motor, levando em conta as preferências e necessidades de cada condutor. 

O motor 1.0 está disponível nos modelos TSI e 200 TSI, enquanto o motor 1.4 está disponível nos modelos 1.4 250 TSI. A tração, independentemente do motor escolhido, é sempre dianteira. 

Volkswagen T-Cross 2020
Volkswagen T-Cross 2020 tem duas opções de motor

Consumo e desempenho

Os modelos movidos com motor 1.0 e câmbio manual aceleram de 0 a 100 km/h em um intervalo de 10 segundos, com velocidade máxima de 190 km/h. No que diz respeito ao consumo, ele faz 7,7 km/l e 9,4 km/l com etanol na cidade e estrada respectivamente. Com gasolina, o consumo urbano é de 11,2 km/l nas ruas e 13,2 km/l em rodovias. 

Os modelos equipados com motor 1.0 e câmbio automático também atingem os 100 km/h em cerca de 10 segundos e sua velocidade máxima é de 185 km/h. O consumo na cidade é de 7,5 km/l e 11 km/l na estrada quando abastecido com etanol. Já quando abastecido com gasolina, o consumo é de 9,2 km/l e 13 km/l na cidade e rodovias. 

E por fim, na motorização 1.4, o Volkswagen T-Cross acelera de 0 a 100 km/h em 9 segundos com velocidade final de 195 km/h. Na cidade e estrada com etanol ele faz 7,4 km/l e 9 km/l, respectivamente. Quando movido à gasolina, as parciais são de 10,5 km/l nas ruas e 13 km/l nas estradas. 

Preços

A precificação do Volkswagen T-Cross varia de acordo com o modelo. os preços são:

  • Volkswagen T-Cross Sense 200 TSI AT 2020 (PcD) – R$ 69.990;
  • Volkswagen T-Cross 200 TSI MT 2020 – R$ 84.990;
  • Volkswagen T-Cross 200 TSI AT 2020 – R$ 94.490;
  • Volkswagen T-Cross Comfortline 200 TSI AT 2020 – R$ 99.990;
  • Volkswagen T-Cross Highline 250 TSI AT 2020 – R$ 109.990.

Dimensões

O Volkswgen T-Cross possui comprimento total de 4,19 metros, largura de 1,75 metros e altura de 1,75 metros. Já seu entre-eixos é de 2.65 metros. 

Falhas

Mesmo com evoluções, é possível apontar algumas falhas de projeto no T-Cross. O acabamento usa plásticos de maneira excessiva, o que pode se tornar um problema de encaixe e de barulho no futuro. 

Embora pareça robusto por fora, o interior do SUV compacto está aquém do esperado quando comparado aos líderes do segmento (Renegade, Creta e HR-V). E por fim, algo que precisa ser mencionado é o tamanho do porta-malas, que contém “apenas” 373 litros, uma capacidade muito inferior ao de concorrentes, como o HR-V que dispõe de 437 litros. 

Conclusão

É inegável que o Chevrolet T-Cross mexeu com o mercado de SUVs em 2019, sua escalada ao longo de praticamente 9 meses, é algo pouco visto no mercado automotivo. Além disso, a liderança de vendas em dezembro de 2019 e janeiro e fevereiro deste ano, mostram que o modelo, pode realmente dominar a categoria sem grandes esforços. 

Embora a montadora alemã tenha demorado para tirar o T-Cross do papel, é importante dar o braço a torcer e afirmar que ela fez um bom trabalho. E você? Concorda com nós do Senhor Carros que o T-Cross 2020 pode dominar a categoria? Independente de qual for sua opinião, deixe um comentário dizendo o que pensa a respeito, vamos debater de maneira conjunta essa questão. 
Se você tem filhos ou família grande e está procurando um carro para poder dar conta do recado, sugerimos a leitura do nosso artigo que mostra quais são os melhores carros para famílias. Para ler é só clicar aqui.

Redator especialista em carros, se identifica com conteúdos relacionados a lançamentos e análises de veículos e acredita que compartilhar conhecimento na área ajuda todos a tomarem melhores decisões em busca do veículo ideal para cada tipo de perfil.

Listas

Hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020: Conheça o top 10

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Hatches fracassos de vendas

Com início da pandemia de coronavírus, alguns setores comerciais foram afetados, e o automotivo foi um deles, o que talvez contribua para o resultado do nosso levantamento que mostra quais foram os hatches fracassos de vendas no Brasil até agora. 

Embora modelos hatches sejam a preferência da maioria dos brasileiros, como ocorre em diferentes setores, existem os modelos preferidos e aqueles que são renegados. 

Mostraremos agora aqueles que são considerados os 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 até agora. Será que você consegue adivinhar quais são eles? 

Confira na leitura desse artigo mais do que imperdível que os especialistas do Senhor Carros prepararam exclusivamente para você!

10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020

Mostraremos agora a lista com aqueles que são considerados os 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020. 

10. Volkswagen Fox

O Volkswagen Fox é o primeiro dos 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020. 

O modelo que inclusive está na lista de dispensas da Volkswagen para deixar de ser produzido ainda agrada bastante os público brasileiro. 

Volkswagen Fox
Volkswagen Fox

O Hatch “alemão” possui apenas motorização 1.6 e está disponível atualmente em duas versões: Connect e Extreme. 

Se compararmos com números antigos, as vendas do modelo não deixam de ser um fracasso. Apenas 10.097 unidades foram comercializadas até agora em 2020.

9. Fiat uno

Aqui temos outro hatch que embora seja muito apreciado pelos brasileiros, tanto por conta de sua compactabilidade quanto por sua economia. 

Fiat uno
Fiat uno

O modelo que já foi o chefe de vendas da Fiat, hoje não é a mais a estrela principal, mas não deixa de ser uma boa opção para famílias pequenas ou então para os solteiros. 

Até agora em 2020, apenas 7.274 unidades do Fiat uno foram emplacadas. 

8. Toyota Etios

O Toyota Etios é mais um entre os hatches fracassos de vendas em 2020. O modelo que conta com duas opções de motor e câmbios automático e manual é um bom veículo, tanto para usos urbanos, quanto para deslocamentos em rodovias. 

A potência do motor agrada e ainda existe a baixa visibilidade de roubos, o que faz com que seu seguro seja mais barato do que muitos outros modelos. 

Toyota Etios
Toyota Etios

Entretanto o Etios realmente não caiu nas graças dos brasileiros e seus números de vendas deixam isso ainda mais explícito, afinal, foram apenas 5.562 unidades vendidas. 

7. Nissan March

O Nissan March é hoje considerado o modelo de entrada da montadora nipônica no mercado automotivo brasileiro. 

O Hatch é mais um dos compactos repletos de qualidade. Equipado com um motor 1.0 de 3 cilindros, o March conta com bastante tecnologia embarcada, o que o torna, na opinião dos especialistas um modelo que praticamente não apresenta problemas.

Nissan March
Nissan March

O modelo ainda possui opções de câmbio automático e manual, capaz de render bem em estradas e cidades com bastante economia. Mas seus números, demonstram o fracasso: Apenas 2.208 unidades comercializadas. 

6. Peugeot 208

Os carros da Peugeot geram dois sentimentos nos motoristas: Ou você ama ou você odeia. A tecnologia francesa é pouca aberta, o que torna reparos mecânicos muito caros quando necessários. 

O Peugeot 208 conta atualmente com duas opções de motor, um 1.2 Puretech Flex de três cilindros capaz de gerar 90 cavalos com etanol, com boa força e torque em baixa rotação.

Peugeot 208
Peugeot 208

O outro é um 1.6 flex de quatro cilindros, atualizado, capaz de gerar 118 cavalos com etanol. O motor 1.2 é equipado com câmbio manual, enquanto no 1.6 só há opção de câmbio automático.

O atual fracasso de vendas do Peugeot 208 já era esperado, pois uma nova versão, totalmente renovada é esperada ainda esse ano por aqui. Ao todo, o modelo vendeu apenas 1140 unidades em 2020. 

5. Citroen C3

Na quinta posição, temos mais um carro de origem francesa que causa receio em muita gente por conta do surgimento de possíveis problemas que não são nada baratos de resolver. 

Na parte de motorização, o modelo dispõe duas opções de motor, uma 1.2 flex de três cilindros, capaz de render 90 cavalos com etanol e outra 1.6 também flex, mas com quatro cilindros, capaz de render até 118 cavalos. 

O Citroen C3 conta ainda com 3 versões distintas: Attraction 1.2 com câmbio manual; Attraction 1.6 com câmbio automático e Urban Trail 1.6 com câmbio automático.

Citroen C3
Citroen C3

Não é de hoje que as vendas do hatch francês não são boas. Na Europa, o veículo passou por uma profunda alteração visual, tornando-o bastante atrativo, mas de acordo com a montadora, a mudança não vai chegar ao Brasil. 

Os números de venda do modelo são vergonhosos. Até agora, apenas 583 unidades foram vendidas em 2020.

4. Mini Cooper

O Mini Cooper é um dos carros mais emblemáticos à venda no Brasil e realmente chama atenção por onde passa. 

O modelo é conhecido por uma ótima relação de peso X potência, pois é leve e potente ao mesmo tempo. 

Compacto e valente ele é uma ótima opção para uso urbano esporádico, pois sua potência, distância entre-eixos e controles de estabilidade e tração tornam seu uso em rodovias muito mais divertido. 

Mini Cooper
Mini Cooper

O Mini Cooper possui atualmente duas opções de motor. um 1.5 turbo de três cilindros e um 2.0 turbo de quatro cilindros. Ambos são movidos somente à gasolina e geram 136 e 192 cavalos respectivamente.

Entretanto, por conta de seu elevado preço, o Mini Cooper é um carro para poucos, o que diante do cenário de crise, o torna mais um fracasso de vendas. Até agora, apenas 335 unidades foram vendidas. 

3. Kia Rio

O Kia Rio é um desconhecido de muita gente. 

O modelo que é produzido no México e importado pra cá, foi lançado em janeiro, mas realmente não caiu nas graças dos brasileiros. 

Equipado com muitos itens de série, o Kia Rio tem sob o capô um motor 1.6 16V de quatro cilindros, flex capaz de gerar até 130 cavalos quando abastecido com etanol. O câmbio é automático de seis marchas. 

Kia Rio

Entretanto, a pouca confiança do brasileiro na marca e o alto preço do modelo, fizeram as vendas empacarem. Ao todo, somente 172 unidades do Kia Rio foram comercializadas. 

2. Audi A3

O Audi A3 já foi um modelo um tanto quanto popular anos atrás e disputava de maneira ferrenha a mesma classe de motoristas que gostava do Golf.

Com o passar dos anos, o hatch da marca alemã foi evoluindo em termos de mecânica e tecnologia embarcada, o que fez com que seus valores ficassem muito mais elevados do que o modelo da Volkswagen. 

Audi A3
Audi A3

O modelo é equipado com um motor 1.4 TFSI Flex de 150 cavalos, tanto com etanol, quanto gasolina. O câmbio é um tiptronic automático de seis velocidades. 

Embora salte aos olhos em termos de beleza, seja potente e recheado de tecnologia, o preço realmente é um impeditivo. Tanto que o A3 é mais um entre os hatches fracassos de vendas, com apenas 119 unidades vendidas. 

1. Fiat Palio

E na primeira posição dos hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 temos o Fiat Palio. 

Embora o modelo tenha sido descontinuado, ainda é possível encontrar algumas unidades à venda em concessionárias espalhadas pelo Brasil, e foi exatamente isso que aconteceu. 

Fiat Palio
Fiat Palio

Com uma histórico de bons números de vendas, o modelo que pode ser uma boa opção para o momento de crise pelo qual estamos passando registrou em 2020 o número de apenas uma unidade vendida, e por isso levou medalha de ouro em nossa lista. 

Conclusão

A exemplo do mercado de SUVs, o mercado dos hatches é um tanto quanto competitivo. Enquanto uns modelos se destacam, outros são totalmente jogados ao esquecimento. 

Depois de conferir a nossa lista daqueles que são os hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 que tal descobrir quais são os modelos chineses que os brasileiros mais gostam?

Para conferir, é só clicar no botão abaixo:

Continuar Lendo

Em Alta