Artigos

Volkswagen Gol 2021: Depois de 40 anos modelo continua funcional!

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

ANÚNCIOS

Tudo sobre o Gol 2021

Gol 2021

O Gol 2021 chegou de maneira discreta e sem fazer muito alarde. Logo após fazer 20 anos, o modelo que já foi considerado o queridinho de muita gente, perdeu o valor e o status de popular, o que não quer dizer que ele não seja um veículo funcional. 

Pensando em te manter informado, nós do Senhor Carros vamos voltar no tempo e te mostrar a história desse quarentão, além de te mostrar o que há de novo, no modelo 2021.

Ficou curioso? Então, não deixe de conferir o artigo a seguir! 

Linha do tempo do Volkswagen Gol

Como citado em maio, o modelo da Volkswagen completou 40 anos. Trata-se de idade para ninguém botar defeito, afinal, são poucos os carros que conseguiram se manter no mercado por todo esse tempo sem ser retirado de linha. 

Pensando nisso, fizemos uma linha do tempo, com os maiores feitos do Gol nesse quase meio século de vida. 

1980: idealizado para ser o sucessor do Fusca como carro-chefe da montadora, o Gol é lançado para disputar o mercado contra o Fiat 147 e o Chevrolet Chevette. O modelo era equipado com um motor 1.3 refrigerado a ar e 42 cavalos.

1981: A versão sedã do Gol, o famoso Voyage é lançado com motor 1.5 refrigerado a água, porta-malas espaçoso e um visual diferenciado. Nesse mesmo ano, o Gol passou a ser equipado com novo motor 1.6, ainda refrigerado a ar. 

1982: Chega a vez do lançamento da Parati, que mantém a motorização do Voyage, mas com um porta-malas ainda maior. A motorização é a mesma do Voyage. Ainda em 1982, a montadora lança sob a mesma plataforma o Saveiro. 

1984: É lançado o Gol GT, a primeira versão esportiva do hatch, equipado com motor 1.8 refrigerado a água com 99 cavalos, suspensão mais firme e bancos esportivos. 

1987: Com motores 1.6 e 1.8 AP, Gol, Voyage e Paraty passam por sua primeira reestilização, ganhando novos faróis, para-choques e lanternas. 

1988: A Volkswagen lança o gol GTI, que foi o primeiro carro nacional com injeção eletrônica. O modelo era equipado com um motor 2.0 AP de 112 cavalos. 

Gol GTI
Gol GTI marcou época

1991: O modelo passa pela sua última reestilização, ganhando a frente que é conhecida até hoje como “chinesa”. 

1992: É lançado o 1º Gol 1000.

1994: para enfrentar o Fiat Uno e o Chevrolet Corsa, o Gol chega a sua segunda geração, popularmente chamada de “bolinha”. O exterior e a arquitetura da cabine são novos. Seus motores eram de 1.0 com 50 cavalos, 1.6 de 76 cavalos e 1.8 de 91 cavalos. Neste ano, o Voyage também foi descontinuado. 

1999: A segunda geração, que ainda fazia uso da plataforma da primeira passa por mais uma renovação visual e é batizada de G3, deixando todo o conjunto ótico mais reto e alinhado. No interior o destaque fica por conta do painel de instrumento, muito semelhante aos utilizados pelos veículos da Audi na época. No ano seguinte, Gol e Parati ganham motor 1.0 turbo. 

2003: É lançado o primeiro Gol Total Flex, o primeiro carro bicombustível do Brasil.

2006: A linha 2006 passa a ser comercializada como G4, embora não passe por uma reestilização verdadeira. O conjunto ótico reto até então, volta a receber contornos arredondados. 

2008: Os designs externos e internos sofrem profunda alteração e os motores 1.0 e 1.6 da família EA 111 passam a ser utilizados. A produção do Voyage é retomada.

2009: A renovação de design chega à Saveiro, que ganha uma versão inédita com cabine estendida. Gol e Voyage ganham câmbio automatizado I-Motion;

2011: O Gol chega aos 25 anos de liderança no mercado nacional. A marca gera uma versão especial para 2012.

2012: O Gol passa por mais uma reestilização e passa a ficar parecido com o Fox. O modelo ganha também a versão ecológica Bluemotion.

2014: Versão Rallye estreia motor 1.6 de 120 cavalos. No mesmo ano, o reinado de liderança de vendas do Gol chega ao fim, com o Fiat Palio assumindo o posto.

2016: O Gol abandona o motor 1.0 de 4 cilindros e dá espaço para a chegada do motor 1.0 de 3 cilindros. O visual passa por pequenos retoques e uma nova central multimídia, passa a ser oferecida como item opcional. 

2020: Modelo comemora 40 anos de vida, ainda tendo lenha pra queimar. 

As novidades do Gol 2021 começam pela segurança

A principal novidade do Gol 2021 foi a adoção dos itens de segurança considerados obrigatórios para o mercado brasileiro. Ou seja, a montadora se viu na obrigação de adotar esses equipamentos. 

A partir do modelo 2021, o Gol passa a dispor de cinto de segurança de três pontos e encosto de cabeça para todos os ocupantes, além do sistema de fixação Isofix para as cadeirinhas infantis. 

Visual externo mais robusto

Como é possível notar, o Gol 2021 é um pouco mais robusto, e isso é fruto de uma leve reestilização adotada ano passado. A dianteira foi redesenhada e passou a trazer o mesmo conjunto utilizado no antigo Gol Track e na Saveiro (que foi quem estreou essas linhas). 

Ainda no exterior, o capô é mais elevado e possui vincos marcantes, com faróis maiores e mais angulares interligados à nova grade, que também é mais ampla. O para-choque por sua vez também passou por reestilização, fazendo com que os faróis de neblina fiquem em uma posição mais elevada. 

Gol lateral
Gol 2021 mudou muito pouco

As laterais seguem sem mudanças. A única alteração são as novas rodas de liga-leve e calotas. Já a traseira não sofreu qualquer tipo de modificação. 

Interior com leve alteração

No interior, as novidades incluem detalhes de acabamento, com um novo grafismo para o painel de instrumentos e novas opções de revestimento para os bancos. Além disso, o Gol 2021 recebeu um novo pacote opcional com edição limitada batizado de Urban Completo II.

Gol 2021
Interior passou por modificações

Esse pacote agrega uma série de itens, como sensor de estacionamento, chave canivete, coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, retrovisores externos com ajustes elétricos, faróis de neblina, conjunto elétrico e rodas de 15 polegadas. O pacote custa cerca de R$ 3 mil. 

Além dessas novidades no interior, a central multimídia é outro item que chama bastante atenção. 

Motorização

Na questão de motorização, o Gol 2021 possui as mesmas opções do modelo anterior, um motor 1.0 e dois motores 1.6. 

O motor 1.0 conta com três cilindros e 12 válvulas, com componentes feitos em alumínio, sistema de refrigeração independente para bloco e cabeçote, comando duplo variável de válvulas e sistema de partida que dispensa o tanquinho de gasolina para partidas a frio.

Esse motor rende 75 cavalos a gasolina e 82 cavalos com etanol. O câmbio é manual de cinco marchas. 

O primeiro motor 1.6 é o velho conhecido 8V MSI flex com quatro cilindros, capaz de render 101 cavalos na gasolina e 104 cavalos abastecido com etanol. Para essa motorização, está disponível somente um tipo de transmissão, a manual de 5 marchas que também é utilizada no 1.0.

Motor gol 2021
Gol 2021 tem 3 opções diferentes de motor

E por fim, a segunda opção de motor 1.6 é  moderno 16V MSI Flex de quatro cilindros que equipa o Polo, Virtus e a Saveiro Cross, pertencente à moderna família EA-211, esse propulsor traz bloco e cabeçote em alumínio, quatro válvulas por cilindro e duplo comando de válvulas variável na admissão. 

Esse motor mais moderno, rende 110 cavalos com gasolina e 120 cavalos com etanol e está acoplado câmbio automático Aisin AQ160 6F de seis velocidades com conversor de torque.

As trocas de marchas podem ser feitas por meio de alavanca ou shift paddles atrás do volante. Há também um modo de condução esportiva. 

As três versões do Gol 2021

O Gol 2021 conta com as seguintes versões:

  • Volkswagen Gol 1.0 manual;
  • Volkswagen Gol 1.6 manual;
  • Volkswagen Gol 1.6 automático.

Volkswagen Gol 2021 1.0

Equipado com motor 1.0 flex de 3 cilindros com 75/82 cavalos e câmbio manual de 5 marchas, essa versão conta com os seguintes itens de série. 

Sistema de freio ABS e EBD, sistema de partida frio, alerta de frenagem de emergência, 2 bolsas de airbags – para motorista e passageiro, alerta sonoro e visual de cinto de segurança, antena no teto, ar condicionado com filtro de poeira e pólen, banco do motorista com ajuste altura, banco traseiro rebatível, chave tipo canivete, cintos de segurança com pré-tensionador, coluna central externa com aplique preto, desembaçador do vidro traseiro, direção hidráulica, faróis com máscara escura, lavador e limpador do vidro traseiro, luz de freio elevada, painel de instrumentos com conta-giros, velocímetro com marcador do nível de combustível, preparação para sistema de som, revestimento dos bancos em tecido, rodas de aço de 14 polegadas, calotas em xisto, suporte para celular, tomada de 12V no console central, travamento das portas e vidros dianteiros elétricos. 

Volkswagen Gol 2021 1.6 manual

Equipado com motor 1.6 flex de 101/104 cavalos e câmbio manual de 5 marchas, essa versão conta com os mesmos itens de série da versão anterior, mais rodas de 15 polegadas com calotas gabro. 

Volkswagen Gol 2021 1.6 automático

Essa versão é equipada com o novo motor 1.6 de 110/120 cavalos e câmbio automático de 6 velocidades e conta com os mesmos itens de série da versão anterior, além do câmbio automatizado. 

Diferentes ofertas de pacotes

Todas as três versões podem ser turbinadas com três pacotes diferentes oferecidos pelas concessionárias. Os pacotes são:

Volkswagen Gol
Gol 2021 conta com diferentes versões e pacotes
  • Urban completo;
  • Interatividade Composition Touch;
  • Interatividade Media Plus.

Pacote Urban completo

Esse pacote conta com sistema de alarme com comando remoto, sensor de estacionamento traseiro, luzes dianteiras e traseiras, alças de segurança no teto, coluna de direção com ajuste e profundidade, retrovisores e maçanetas na cor do veículo, espelhos retrovisores elétricos e com luzes indicadoras de direção integradas, faróis de neblina, lanternas traseiras escurecidas, para sol com espelho iluminado para o motorista e passageiro, rodas de liga leve de 15 polegadas, tampa do porta malas com abertura elétrica, travamento elétrico das portas e vidros elétricos. 

Pacote interatividade Composition Touch

Esse pacote é equipado com I-System com Eco-Comfort, computador de bordo, 4 alto falantes e 2 tweeters, sistema de som com touchscreen com App-connect e volante multifuncional com comando de sistema de som.

Pacote interatividade Media Plus

E esse que é pacote mais básico, conta com 4 alto-falantes, 2 tweeters e sistema infotainment Media Plus, com bluetooth, MP3 e entradas USB, SD-Card e Aux-In.

Desempenho, consumo e dimensões

O Gol 2021 apresenta bom desempenho com qualquer uma das opções de motorização. O 1.0 compacto de entrada apresenta boa disposição em saídas e retomadas, podendo ser considerado até mesmo surpreendente. 

Rodando em cerca de 3.000 rpm na estrada, é possível ter um ótimo rendimento e, termos de consumo, além de força suficiente para se manter embalado em ultrapassagens. 

Gol 2021 frontal
Gol 2021 possui bom desempenho e consumo nas três versões

Já nas motorizações 1.6, como era de se esperar, o desempenho é satisfatório, apresentando força para encarar subidas e realizar ultrapassagens na estrada, mas como é de se esperar, o consumo é mais elevado do que o 1.0. 

As médias de consumo são as seguintes:

Volkswagen Gol 1.0 manual

  • Consumo na cidade: 8,8 km/l com álcool e 12,9 km/l com gasolina
  • Consumo estrada : 10,3 km/l com álcool e 14,5 km/l com gasolina

Volkswagen Gol 1.6 manual 

  • Consumo na cidade: 7,6 km/l com álcool e 11 km/l com gasolina
  • Consumo estrada: 9,2 km/l com álcool e 13,1 km/l com gasolina

Volkswagen Gol 1.6 automático

  • Consumo na cidade: 7,7 km/l com álcool e 11,1 km/l com gasolina
  • Consumo estrada: 9,6 km/l com álcool e 13,6 km/l com gasolina

As dimensões do Gol 2021 são as seguintes:

  • Comprimento: 3.897 mm;
  • Altura: 1.464 mm;
  • Largura: 1.656 mm;
  • Distância entre-eixos: 2.466mm.

Valores

Como era de se esperar cada uma das versões do Gol 2021 possuem valores distintos, sendo o 1.0 o mais barato e o 1.6 automático o mais caro. Os preços são:

  • Volkswagen Gol 2021 1.0 manual: R$ 50.250
  • Volkswagen Gol 2021 1.6 manual: R$ 56.490
  • Volkswagen Gol 2021 1.6 automático: R$ 61.390

Conclusão

Embora tenha a perdido a liderança de vendas em 2012 e ainda não tenha retomado o posto, o Gol 2021 é a continuidade de um modelo muito querido e que ainda é apreciado por muita gente, tendo “teoricamente” muito tempo de vida pela frente. 

Entretanto, previsões indicam que o modelo pode sair de linha no final do ano que vem para dar a lugar a um SUV compacto. Embora a montadora alemã não confirme essas informações, a verdade é que para enfrentar concorrentes como o Chevrolet Onix ou o Hyundai HB20, o Gol precisaria passar por algumas reestilizações estéticas, além de mudanças mecânicas. 

Agora queremos saber a sua opinião. O que você achou do Gol 2021? Você desembolsaria a quantia pedida pela montadora? Sim ou não? Deixe um comentário com a sua resposta. 

E já que estamos falando do veículo da Volkswagen com maior presença de mercado, que tal saber um pouco mais sobre o carro da Fiat com maior presença no comércio automotivo? Estamos falando é claro do Uno! Clique no botão abaixo e leia uma matéria que fizemos sobre a evolução desse popular de peso!

Murilo C.

Redator especialista em carros, se identifica com conteúdos relacionados a lançamentos e análises de veículos e acredita que compartilhar conhecimento na área ajuda todos a tomarem melhores decisões em busca do veículo ideal para cada tipo de perfil.

Listas

Nacionais que não fazem falta: Os 10 piores carros produzidos no Brasil

Conheça os piores carros produzidos no Brasil e evite-os a todo custo!

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Automóveis despertam uma paixão natural em muita gente e isso pode ser um problema, pois leva muita gente a pensar com a emoção e não com a razão. O fato de ser passional já fez muita gente comprar os piores carros produzidos no Brasil.

Embora passional, o consumidor brasileiro também é exigente. Uma matéria da revista Exame mostrou há anos que as montadoras se preparam para atender clientes cada vez mais exigentes. 

Piores carros produzidos no Brasil

Em tempos de crise muita gente pode acabar vendendo seu carro e comprando um carro usado como forma de manter as contas em dia, mas para isso alguns cuidados devem ser tomados. 

Como forma de refrescar a memória de muita gente e evitar trocas ruins, nós do Senhor Carros fizemos uma lista com aqueles que são os 10 piores carros nacionais já produzidos. 

Para saber quais são eles é só continuar a leitura do artigo de hoje!

Os 10 piores carros produzidos no Brasil

Conheça agora quais são os 10 piores carros produzidos no Brasil.

10. Fiat Marea

Sim! O Marea vai estar em toda lista de carros ruins. O modelo é uma unanimidade quando o assunto é carro problemático e infelizmente o modelo justifica essa horrorosa fama. 

A principal discrepância de qualidade é a necessidade de se tirar o motor por completo para para trocar uma simples correia dentada. Mas os problemas não param por aí.

Fiat Marea
Fiat Marea

Os modelos e versões do Marea tinham alguns erros inaceitáveis de projetos. Ou seja, a FIAT o tratava com um verdadeiro Frankenstein. 

Um exemplo clássico disso é o modelo 2005 que tinha um motor 2.4 de 160 cavalos e um câmbio automático de apenas 4 marchas. Além disso, o Marea é conhecido por explosões e fogo sob o capô. 

Sem sombra de dúvidas é um modelo que merece estar presente em nossa lista. 

9. Fiat Tipo

Na nona posição temos mais um veículo da montadora italiana que ficou famoso pela sua má qualidade. 

Assim como o Marea o Tipo teve a imagem manchada por casos de incêndio. Um problema nas mangueiras do sistema hidráulico da direção, fazia com que um líquido inflamável fosse despejado no motor. 

O Resultado: Fogo! Já pensou estar dirigindo e o carro começar a pegar fogo? Não dá, né?

Fiat Tipo
Fiat Tipo

O Tipo foi lançado em 1988 e até 1991 contava com uma série de opções de motor e potência. Teve até modelo movido a diesel. 

Em 1993 o Tipo passou por uma renovação e ganhou até mesmo uma versão com três portas (muito antes do Veloster). Em 1994 o modelo recebeu melhorias de segurança, até sair de linha em 1995, sendo substituído pelo Bravo. 

Até hoje o Tipo é visto como um dos piores carros produzidos por aqui. Sendo assim você deve evitá-lo a todo custo.

8. Fiat Freemont

Não. Essa lista não tem apenas carros da Fiat. Mas o Freemont é mais um caso que precisa ser citado. Principalmente os modelos mais antigos. 

Embora seja um carro amplo e com bastante espaço sendo uma ótima opção para famílias é mais um exemplar dentre os piores carros brasileiros. 

Fiat Freemont
Fiat Freemont

Muito semelhante ao Dodge Journey quando lançado contava com uma opção de câmbio automático com apenas 4 marchas. Algo que acabava com seu desempenho e aumentava o já alto consumo de combustível.

Se você gosta muito do design e o espaço do Fiat Freemont é um atrativo para você nossa sugestão é que busque as versões mais novas que passaram por melhorias no câmbio, consumo e potência. 

Caso contrário as chances de você passar raiva e virar sócio dos postos de gasolina são grandes.

7. Troller Pantanal

Além de ruim, o Troller Pantanal é um desconhecido de muita gente por conta do seu baixo número de vendas. Apenas 77 unidades foram vendidas, uma verdadeira vergonha. 

Troller Pantanal
Troller Pantanal

O Modelo foi produzido durante os anos de 2006 e 2008 e passou por um recall pelo simples fato de que sua estrutura poderia se desfazer de uma hora para outra enquanto estivesse andando. 

Hoje os modelos são comercializados são vendidos a preços MUITO baratos, mas não caia em tentação. Se você se deparar com um Troller Pantanal à venda você só deve fugir. 

6. Hyundai Veloster

Aqui temos um exemplar que causou muita confusão e sofreu com críticas pesadas da mídia especializada na época em que ainda era vendido. 

O Veloster era bonito e contava com bom acabamento interno e externo. Porém era chamado pela montadora de esportivo. 

Hyundai Veloster
Hyundai Veloster

A Hyundai anunciou que o motor dispunha de 140 cavalos quando na verdade possuía “somente” 128. Muitos proprietários se sentiram lesados e processaram a montadora que precisou pagar multa por propaganda enganosa. 

A falta de potência do motor aliada ao escândalo fez o modelo se tornar um dos piores carros produzidos no Brasil. Afinal ninguém gosta de ser enganado.

5. Lada Laika

O Laika chegou ao Brasil no início da década de 1990 e tinha na confiabilidade mecânica o seu ponto alto. Além disso a tração traseira fazia do modelo uma opção interessante e divertida de dirigir.

Lada Laika
Lada Laika

Entretanto embora fosse produzido no Brasil o modelo foi desenvolvido com tecnologia para rodar com gasolina pura, assim como era na Rússia seu país de origem. Por aqui a gasolina era diluída com etanol e isso acabou com o desempenho do Laika. 

4. Peugeot Hoggar

A Peugeot Hoggar é outro exemplo crônico de carro ruim fabricado em solo nacional. 

A pequena picape foi produzida para brigar com Montana, Saveiro e Strada. Sendo as duas últimas líderes de no segmento. 

Peugeot Hoggar
Peugeot Hoggar

Sem nenhum tipo de experiência anterior no segmento de pequenas picapes a Hoggar se mostrou fraca e com alto consumo de combustível quando estava com a caçamba carregada. 

Além disso muitos exemplares sofrem um desgaste precoce na suspensão. O que aumenta os gastos dos proprietários com manutenção muito antes do considerado ideal. Por isso é um modelo com lugar cativo em nossa lista. 

3. Citroen Xantia

Muito do receio que os brasileiros possuem com os carros da Citroen é proveniente de tempos antigos e o Xantia tem sua parcela de culpa nisso. 

O Xantia era considerado um carro à frente do seu tempo quando foi produzido. Com uma ampla gama de itens de série até agradava em um primeiro momento. Mas se seus proprietários precisassem de mão de obra especializada estavam literalmente perdidos.

Citroen Xantia
Citroen Xantia

Com tecnologia alta para a época e com componentes sofisticados eram poucos o que sabiam mexer nos seus sistemas elétricos e hidráulicos. E isso fazia qualquer tipo de reparo se tornar uma fortuna! 

Além do mais seus motores eram fracos para época quando comparados aos concorrentes nacionais já consolidados como era o caso do Volkswagen e Chevrolet, por exemplo. 

2. Simca Chambord

A Simca era uma montadora francesa que produziu carros no Brasil entre as décadas de 50 e 60. 

A montadora quis trazer aos brasileiros veículos com linhas americanas e conseguiu! Pelo menos em teremos de visual. 

Simca Chambord
Simca Chambord

O Simca Chambord que ganhou até música era bonito e espaçoso mas não andava nada. O modelo que era pesado possuía sob o capô um motor V8 com míseros 80 cavalos que era insuficiente para empurrar nas ruas e estradas. 

Nos dias atuais até mesmo os colecionadores fogem do Simca Chambord e o consideram um dos piores carros já produzidos em terras nacionais 

1. Gurgel BR 800

E como não poderia faltar temos também o Gurgel. 

Lançado em 1987 o Gurgel BR 800 tinha uma proposta louvável: ser um modelo barato, popular e 100% nacional. 

Na época o objetivo era fazer com que o modelo não custasse mais de 3 mil dólares. Mas por conta de uma série de problemas fiscais o modelo acabou sendo lançado na média dos 7 mil dólares. 

Gurgel BR 800
Gurgel BR 800

Apelidado de feinho até hoje, o modelo rodava incríveis 25 km por litro, não tinha correias e dispunha de refrigeração à água. No entanto não deslanchou em vendas. 

Sua performance era ruim e seu preço ficou muito semelhante aos de concorrentes da época, como é o caso do Uno Mille. Assim, o BR 800 é considerado por muitos até hoje como um dos piores carros produzidos no Brasil. 

Conclusão

Agora queremos saber a sua opinião. Concorda ou discorda com a nossa lista? Deixe um comentário contando quais são os seus motivos. 

Depois de conhecer os piores carros produzidos no Brasil, que tal conhecer modelos raros produzidos aqui que você nem sabia que existiam? Para saber quais são eles é só clicar no botão abaixo.

Continuar Lendo

Em Alta