Avaliação de veículos

Toyota Mirai: o veículo com mais de 1300 km de autonomia

Descubra quais são os segredos do Toyota Mirai: o veículo com maior autonomia do mundo e saiba o que vem por aí nesse tipo de tecnologia!

Anúncios

Saiba tudo sobre o Toyota Mirai, o carro verde global do ano

Toyota Mirai: 1300 km com um tanque! Fonte: Youtube Toyota USA.
Toyota Mirai: 1300 km com um tanque! Fonte: Youtube Toyota USA.

O Toyota Mirai é o novo veículo no livro dos recordes após percorrer exatamente 1360 km sem reabastecer. 

Embora possa parecer loucura, essa é uma realidade que vem se tornando frequente no universo das notícias automotivas. 

Afinal, a escalada pelo desenvolvimento tecnológico automotivo é algo crescente para todas as marcas. 

Com os motores à combustão sendo deixados de lado, o apelo por outras fontes de combustível vem ganhando espaço.

Com toda certeza estamos vivenciando o início da era dos elétricos.

Contudo, veículos elétricos irão durar menos do que veículos movidos à gasolina, por exemplo.

Isso porque, veículos movidos à hidrogênio estão se tornando cada vez mais populares nos testes internos de muitas montadoras mundo afora. 

Inclusive especialistas apontam os veículos movidos a hidrogênio como uma realidade global já em meados de 2030.

E o Toyota Mirai é exatamente isso: um veículo movido a hidrogênio, que realmente chamou atenção nesse mês. 

Assim, no artigo de hoje vamos falar sobre o seu incrível recorde, sua forma de funcionamento, seu preço e as vantagens e desvantagens desse tipo de veículo. 

Adora carros tecnológicos? 

Então, a leitura do artigo de hoje é mais do que obrigatória! 

É hora de descobrir tudo sobre o Mirai!

Vantagens e desvantagens dos veículos a hidrogênio

Conheça as peculiaridades, formas de funcionamento e as vantagens e desvantagens de contar com um veículo movido a hidrogênio na garagem!

Anúncios

Como funciona o Toyota Mirai?

O Toyota Mirai é um veículo movido a hidrogênio que purifica o ar quando roda.

Assim, por ser hoje o veículo movido a hidrogênio com maior autonomia, foi considerado o carro verde global do ano. 

O veículo faz uso de hidrogênio como fonte de combustível. 

Assim, possui tanques que são semelhantes aos veículos como conhecemos hoje.

Inclusive, o abastecimento se dá de maneira semelhante a um carro movido a gasolina, diesel ou etanol, por exemplo. 

Assim, depois de abastecido, o veículo armazena hidrogênio na forma líquida em um tanque sob pressão. 

Do tanque o combustível chega então em uma célula de combustível.

Dentro dessa célula, ele encontra o oxigênio presente na atmosfera.

No momento em que hidrogênio e oxigênio se encontram, a mistura passa por catalisadores.

Dentro desses catalisadores, a mistura é transformada e gera uma corrente elétrica.

E é justamente a eletricidade que faz o veículo rodar. 

Mas ainda tem mais!

Enquanto roda, o Toyota Mirai emite apenas vapor d’água, ou seja, ele purifica o ar. 

É por isso que veículos movidos a hidrogênio são considerados veículos verdes! 

E hoje o Toyota Mirai é o top dos verdes! 

O Recorde do Toyota Mirai

Modelo possui recorde de autonomia. Fonte: Youtube Toyota USA.
Modelo possui recorde de autonomia. Fonte: Youtube Toyota USA.

O recorde de autonomia foi registrado no estado da Califórnia, nos EUA.

Por conta da grande quilometragem, o modelo precisou de dois dias para concluir todo o percurso.

O veículo partiu da cidade de Gardena e rodou 761 quilômetros até a cidade de San Isidro.

No segundo dia, o veículo retornou para a cidade de Gardena, mas por uma outra rota, cruzando a rodovia que liga San Diego a Los Angeles.

No final da jornada, técnicos do Guinness atestaram que o veículo não foi reabastecido e assim, o recorde foi quebrado.

Durante a quebra do Recorde o Mirai consumiu 5,65 quilos de hidrogênio e não emitiu nada de poluente. 

Segundo a Toyota, um carro como motor a combustão teria expelido aproximadamente 300 quilos de CO2 na atmosfera ao percorrer o mesmo trajeto. 

O recorde foi estabelecido nos últimos dias 23 e 24 de agosto.

Contudo, não foi a primeira vez que o modelo percorreu grandes distâncias sem a necessidade de reabastecimento.

Ainda esse ano, em maio, o veículo já tinha concluído um percurso de 1003 km na França. 

Anúncios

Qual o preço do modelo?

Sempre que a gente fala de algum veículo em especial, existe uma dúvida muito comum: o valor. 

Assim, uma das principais questões sobre o Toyota Mirai é justamente: Qual o preço do modelo? 

O preço do modelo é cotado em libras. 

Hoje, um Toyota Mirai sai pela bagatela de 63 mil libras. 

Se fizermos a conversão para reais, um exemplar custaria na faixa de R$ 460 mil. 

Quais as vantagens e desvantagens: Toyota Mirai Review

Em um primeiro momento, o Toyota Mirai parece ser um veículo inovador e repleto de vantagens. 

Embora isso seja um fato consumado, essa não é a única verdade desse tipo de veículo. 

Afinal, mesmo que pareça mentira, a gente já solta um spoiler para você:

Existem algumas desvantagens de ter um Mirai na garagem.

Assim, vamos mostrar agora quais são os benefícios e o malefícios do veículo com maior autonomia do mundo. 

Bora lá?

Vantagens

Confira agora quais são as principais vantagens do Toytota Mirai. 

Sustentabilidade

Vivemos hoje em um mundo onde a busca por sustentabilidade cresce dia a dia. 

Assim, o fato de um veículo movido a hidrogênio não gerar poluentes é uma vantagem.

Entretanto, é sempre importante lembrar que, embora o veículo movido a hidrogênio não polua enquanto roda, alguns processos para obtenção do hidrogênio utilizam energias que geram algum tipo de poluição. 

Mas na hora de rodar com o veículo, a emissão não existe. 

Assim, o veículo é capaz de zerar todo o carbono emitido na produção do hidrogênio, assim como da construção do próprio carro em si. 

Abastecimento ágil

Outra grande vantagem do Toyota Mirai é a agilidade na hora do abastecimento. 

O abastecimento é muito mais eficaz do que em veículos elétricos, por exemplo, que necessitam muitas vezes de horas de recarga. 

Assim, em cerca de cinco minutos, o Mirai está totalmente abastecido. 

Inclusive a forma de abastecimento é muito semelhante a encher um carro com gasolina, por exemplo.

Afinal, uma mangueira é conectada ao carro e o hidrogênio entra nos tanques do veículo. 

Autonomia

A principal vantagem do Toyota Mirai, como você bem sabe, é a sua autonomia. 

Inclusive, a questão da autonomia é um grande diferencial dos veículos movidos a hidrogênio. 

Embora o Toyota Mirai seja o único modelo com autonomia acima dos 1000 km, já existem veículos com a mesma tecnologia capazes de rodar grandes quilometragens. 

No futuro próximo, abastecimentos serão cada vez mais raros. 

Desvantagens

E como a gente já havia dito, nem só de vantagens vive o Toyota Mirai!

Por ser uma tecnologia nova, o próprio Mirai, assim como outros modelos a hidrogênio ainda possuem algumas desvantagens. 

Então, é hora de conhecê-las. 

Rede de abastecimento limitada

Rede de abastecimento ainda é limitada. Fonte: Youtube Toyota USA.
Rede de abastecimento ainda é limitada. Fonte: Youtube Toyota USA.

A principal desvantagem de quem tem em mente adquirir um Toyota Mirai é a falta dos postos de combustível. 

Essa escassez é algo que ocorre em todo mundo. 

Contudo, indícios de que essa situação irá mudar no futuro próximo são claros.

Mas esse é um dos grandes problemas. 

Preço

O preço é outro grande problema do Toyota Mirai e a culpa disso são as células de combustível. 

Além do mais, o valor atual do hidrogênio, torna o próprio combustível pouco acessível. 

Isso significa que o reabastecimento acaba sendo mais caro que os valores de combustíveis fósseis. 

Para encher um tanque do Toyota Mirai para rodar os 1300 km o gasto é de aproximadamente 130 euros. 

Ou seja, um custo médio de 10 euros a cada 10 quilômetros rodados. 

Prazo de validade do sistema

E a última desvantagem do Toyota Mirai é o prazo de validade do sistema a hidrogênio em si.

Contudo, essa não é uma desvantagem exclusiva do modelo, mas de todos os veículos movidos a hidrogênio.

Hoje um sistema de hidrogênio veicular possui duração média de 10 anos. 

Assim, é possível afirmar hoje,tanto a vida útil de um Toyota Mirai, quanto de qualquer outro veículo movido a hidrogênio é relativamente curta. 

Mas é preciso ter em mente que essa tecnologia ainda é nova.

Portanto, as chances desse problema ser solucionado em breve são grandes. 

Hyundai Nexo possui grande autonomia

A exemplo do Toyota Mirai, outro exemplar movido a hidrogênio que vem chamando atenção de muita gente é o Hyundai Nexo.

Considerado um SUV por uns e um Crossover por outros, em testes o Nexo se mostrou capaz de percorrer a distância de 900 km com um tanque de hidrogênio.

Assim, agora que você já sabe tudo sobre o exemplar japonês, que tal conhecer todas as peculiaridades do modelo sul coreano?

Então, para isso, você precisa fazer apenas uma coisa:

Clicar no botão abaixo e mergulhar de cabeça na nossa análise sobre o modelo!

Hyundai Nexo: 900 km com um tanque!

Conheça o Hyundai Nexo, SUV capaz de rodar até 900 km com apenas um tanque de combustível, que conta com um preço acessível!

Sobre o autor

Murilo C.

Redator especialista em carros, se identifica com conteúdos relacionados a lançamentos e análises de veículos e acredita que compartilhar conhecimento na área ajuda todos a tomarem melhores decisões em busca do veículo ideal para cada tipo de perfil.

Em Alta

content

Carros usados com desconto

Descubra quais os melhores carros usados com desconto e quais foram os mais comprados em 2019 antes de escolher qual modelo ou versão é ideal para você.

Continue lendo
content

Comprar Volkswagen Tiguan Allspace: Aprenda a fazer um bom negócio

Senhor Carros | Os melhores artigos sobre carros da internet! Comprar Volkswagen Tiguan Allspace: Aprenda a fazer um bom negócio

Continue lendo
content

Como não cair no golpe do leilão falso

Confira dicas funcionais e certeiras de como não cair no golpe do falso leilão e garantir um carro de leilão de forma segura!

Continue lendo

Listas

Saiba quais são as 10 piores motos já produzidas do mundo

Saiba quais são as 10 piores motos já produzidas e fuja delas

Se levarmos em conta os padrões das motos atuais qualquer motocicleta que foi construída antes dos anos 90 parece terrível. Mas alguns erros infelizmente não ficam limitados a datas e com isso nós do Senhor Carros vamos te mostrar hoje aqueles que são as piores motos já produzidas. 

Assim como ocorre nos carros é importante não se deixar levar pela emoção na hora de comprar uma moto. Pois na maioria das vezes beleza não é tudo e isso se aplica no universo das duas e quatro rodas. 

Assim como com os carros o brasileiro também ama motos. E na pandemia por conta da alta demanda de delivery a venda e motocicletas explodiu, causando falta de exemplares nas concessionárias.

Se você está em busca de uma moto com valor acessível seja para rodar na cidade ou na estrada sugerimos que leia nosso artigo de hoje antes de fechar qualquer negócio. Vamos lá?

As 10 piores motos já produzidas

Conheça agora 10 modelos de motocicletas 

10. Suzuki GS 500E

Sob os olhares dos amantes das motos a Suzuki GS 500E não é feia. Longe disso. O modelo é até barato quando comparado com outras motocicletas de 500 cilindradas. Mas os pontos positivos acabam por aí.

O modelo tem uma ciclística terrível o que dificulta simples contornos de curvas. Além disso a GS 500E é conhecida por seu freio deficiente que pode deixar até os mais experientes motociclistas em apuros. 

Especialistas afirmam que se você conseguir andar com uma dessas você consegue andar com qualquer moto. 

9. Harley Davidson Sportster 1981

A Harley Davidson é conhecida por fabricar motos de qualidade. Mas a Sportster 1981 não é uma dessas motos. 

Como citamos no começo deste artigo as motos produzidas antes da década de 90 podem ser facilmente consideradas problemáticas por motociclistas atuais e essa Harley é um exemplo clássico disso. 

Essa moto é desajeitada e tem um desempenho ruim. A culpa é dos longos garfos que são muito pesados e só funcionam bem em linha reta. Assim rodar com ela em velocidades baixas e contornar curvas é um verdadeiro sacrifício. 

8. Honda Cub

Aqui temos uma verdadeira polêmica. Afinal a Honda Cub é uma moto clássica e muito amada e ao mesmo tempo é uma das piores motocicletas já produzidas. 

A Cub é uma das motos mais vendidas no mundo e contava com uma transmissão de três velocidade um tanto quanto duvidosa que muitas vezes era propensa a bloquear a roda traseira caso o piloto efetuasse as trocas de marcha muito rapidamente. 

Além disso a suspensão também era muito suave e seu amortecimento era deficiente o que diminuía o atrito com o solo em pisos irregulares. Para colocar a Cub nessa lista foi preciso agir com a razão e não com a emoção. 

Existe hoje uma versão comemorativa elétrica da Cub com um design muito semelhante aos exemplares mais antigos.

7. Ariel Arrow

Aqui temos mais um projeto antigo. A Ariel Arrow foi produzida em 1958 e 1965. Especialistas apontam a maleabilidade de pilotagem como um dos pontos fortes da motocicleta. 

No entanto um erro de projeto minou totalmente sua comercialização: O escapamento era muito baixo e raspava no asfalto. Isso deixava os motociclistas totalmente angustiados e logo a moto passou a ser rejeitada. 

Por conta deste detalhe e consequente rejeição por parte dos motociclistas a Ariel Arrow é uma das piores motos já produzidas. 

6. Kawasaki 750 Triple

A Kawasaki 750 Triple se mostrou um grande problema para seus proprietários. Se você tivesse que pilotá-la somente em linha reta não teria nenhum tipo de problema. 

As complicações começavam na hora de fazer curvas. Embora fosse leve o modelo era extremamente instável tanto em rodovias quanto em trechos urbanos. 

Especialistas apontam o quadro totalmente flexível como origem do problema. Mas os freios e a dirigibilidade da motor também eram ruins. Assim o resultado não poderia ser outro: Um fracasso. 

5. Suzuki GT380

A Suzuki GT380 teve vários problemas crônicos. O primeiro deles era a longa distância para o solo por conta do silenciador. 

Além disso o braço oscilante era bastante flexível e freio dianteiro não apresentava bom desempenho em pisos molhados. 

Com essas características únicas o público rapidamente rejeitou a GT380 e acabou se tornando um marco negativo na produção da montadora japonesa. Embora sejam consideradas motos clássicas, é bom você nem pensar em comprar uma. 

4. Greeves 1967

A Greeves era uma moto que trazia dificuldades até os pilotos mais experientes e o modelo de 1967 era especialmente difícil de ser domada por conta de um problema no garfo dianteiro. 

O design diferenciado do garfo da frente junto à suspensão não funcionava adequadamente durante as freadas. O que trazia instabilidade à roda dianteira e facilitava a ocorrência de quedas. 

Assim aos poucos as pessoas foram evitando a motocicleta que hoje tem fama de ser uma das piores do mundo. 

3. Husqvarna 250 MX 

A Husqvarna 250 MX era conhecida por sua velocidade algo considerado positivo para qualquer piloto. 

Entretanto a moto também era conhecido por um manuseio difícil. Em linha reta a 250 MX tinha um comportamento dócil, mas nas curvas ela não se saia muito bem e isso era ocasionado por um problema de suspensão. 

A absorção de impacto da suspensão era deficiente, o que fazia qualquer solavanco se tornar um grande problema. Assim a moto era extremamente desconfortável de se pilotar. 

Ainda falando em desconforto o assento considerado inovador para época foi produzido para evitar que o piloto escorregasse, mas como a moto em si ele também era desconfortável.

Dessa forma, a Husqvarna 250 MX foi rapidamente rejeitada pelo público. 

2. Kawasaki 500 H1

Não é porque uma moto é potente que ele é sinônimo de sucesso e a Kawasaki 500 H1 é um exemplo disso na prática. 

A motocicleta era extremamente potente. No entanto sua dirigibilidade não era boa pois o quadro torcia com facilidade e para complementar seu sistema de freios era deficiente. Assim a moto era uma combinação quase mortal. 

Não são raros os casos de motociclistas que afirmavam que ao passar dos 4500 RPM a roda dianteira perdia a estabilidade. Com isso a rejeição da motocicleta foi grande e Suzuki 500 H1 passou a ser considerado um dos projetos mais problemáticos da marca. 

1. Moto Guzzi V50 Monza

Quem anda de moto há algum tempo provavelmente vai se lembrar dela. A Moto Guzzi V50 Monza foi construída com a intenção de minimizar a vibração que era transferida para o piloto. 

Assim um suporte de borracha foi instalado no guidão com a intenção de absorver a vibração antes do piloto sentir. Mas isso não acabou saindo como o planejado. 

Ao invés de absorver a vibração o suporte de borracha passava a vibração para todo o guidão o que o tornava instável. 

Cá entre nós. Ter uma moto cujo guidão é instável não parece ser uma boa ideia para nenhum motociclista não é mesmo? Assim a V50 Monza é mais uma entre as piores motos já produzidas. 

Conclusão

Diferente do carro onde há uma série de proteções nas motos os pilotos são considerados os próprio para-choques em caso de acidentes ou quedas. Por isso é tão importante ter uma moto estável e segura para rodar. 

Como você deve ter notado nós do Senhor Carros começaremos a falar sobre motos e por isso pedimos sua ajuda desde já. 

Qual temas voltados ao universo das duas rodas você gostaria de ver por aqui? Deixe um comentário com suas opiniões e sugestões. Sua participação é muito importante para todos nós. 

E já que falamos das piores motos já produzidas que tal conhecer aqueles que são os piores carros já produzidos no Brasil? Para saber quais são é só clicar no link abaixo. 

Você também pode gostar

content

Conheça as melhores caminhonetes do Brasil e os lançamentos do setor

Saiba quais são as melhores caminhonetes do Brasil e aproveite para conferir quais são os lançamentos do setor

Continue lendo
content

10 mitos sobre carros que você já ouviu e acreditou

Conheça 10 mitos sobre carros que são difundidos por aí e que muita gente acredita, mas que na verdade não possuem nenhum fundamento!

Continue lendo
content

Comprar Chevrolet Equinox: Aprenda a fazer um ótimo negócio

Senhor Carros | Os melhores artigos sobre carros da internet! Comprar Chevrolet Equinox: Aprenda a fazer um ótimo negócio

Continue lendo