Siga nas Redes Sociais

Listas

Conheça todas as mudanças da nova gasolina do Brasil

Por

Murilo C. 

| Publicado em

Nova gasolina do Brasil

A partir de agosto, o brasileiro terá à disposição um novo tipo de gasolina, com maior qualidade e mais semelhante com combustíveis que são comercializados na Europa e Estados Unidos, mas ainda há muitas dúvidas com relação a ela. Por isso, o time de especialistas do Senhor Carros traz agora para você tudo sobre a nova gasolina do Brasil. E aí? Bora ficar por dentro do assunto?

ANÚNCIOS

Saiba tudo sobre a nova gasolina do Brasil

Para falarmos sobre a nova gasolina do Brasil precisamos voltar um pouco no tempo e entender porque o nosso combustível era (e ainda é) tão criticado. 

A má qualidade da gasolina brasileira é algo antigo.

Na década de 80, ela era tão ruim, que os carros importados precisavam passar por uma alteração mecânica para reduzir a taxa de compressão do motor, para que o carro pudesse funcionar com a “sua baixa octanagem”. 

Até 1994 a gasolina do Brasil ainda era conhecida por sua toxicidade, pois havia em sua composição chumbo tetra-etila, que foi substituida pelo etanol anidro, o que a tornou mais limpa e ainda aumentou sua octanagem.

No ano de 2014, mais uma mudança para aumentar a qualidade da nossa gasolina: a redução do teor de enxofre de 200 para 50 ppm - parte por milhão.

Com essa medida e a elevada octanagem, nosso combustível passou ser considerado um dos melhores do mundo. Mas ainda havia espaço para melhorias. 

ANÚNCIOS

Densidade: A principal mudança da nova gasolina do Brasil

Para nosso combustível ter padrão internacional, faltava uma regulamentação específica para sua densidade. 

A atual densidade da gasolina brasileira gira em torno de 700 kg por m³ enquanto a do etanol gira ao redor de 750 kg por m³. Apenas para efeito de comparação a da água é de 1kg por m³ ou seja, 1 kg por litro. 

Densidade
Densidade da nova gasolina do Brasil vai mudar

A eficiência de um motor, depende da densidade do combustível. Quanto mais densidade, mais potência e menos consumo.

No entanto, por conta de uma ausência de regulamentação, a gasolina brasileira podia variar de densidade, embora quase todas sejam refinadas e fornecidas pela petrobrás. 

Mas com a possibilidade de ser importada e reformulada por outras refinarias, parte da gasolina comercializada nos postos brasileiros poderia ser reformulada com densidade inferior, o que interfere na potência e no consumo. 

ANÚNCIOS

Resolução da ANP eleva qualidade da nova gasolina do Brasil

Em janeiro, a ANP - Agência Nacional do Petróleo, órgão responsável pela regulamentação dos combustíveis no país, estabeleceu novos padrões para a nossa gasolina, incluindo a densidade mínima. 

A resolução 807 de 23 de janeiro de 2020 reclassifica a octanagem, que é seu poder de resistir à compreensão do motor antes e durante a combustão. 

A octanagem possui dois padrões de medicação: O método de pesquisas - RON e o método do motor - MON.

Qualidade
Gasolina brasileira terá mais qualidade

O método RON é o utilizado na Europa. No Brasil, hoje se adota a mesma metodologia utilizada nos EUA, que é a média entre RON e MON, chamado de índice antidetonante - IAD. 

A gasolina comum do Brasil, por exemplo, tem uma octanagem de 82 pelo método MON e 93 pelo método RON.

A média entre as duas: MON 82 + RON 93 dividido por dois é de 87, o que corresponde a 87 IAD, que é o índice utilizado aqui e nos EUA, conforme mencionamos. 

ANÚNCIOS

Entendendo na prática as alterações da nova gasolina do Brasil

Em relação à octanagem, muda o padrão de classificação da gasolina do IAD que utilizamos atualmente para o Europeu RON.

A especificação da nova gasolina do Brasil, determina então, que a gasolina comum, seja ela fabricada no Brasil ou importada tenha uma massa de densidade mínima de 715 kg por m³ e octanagem de pelo menos 92 octanas seguindo o padrão RON. 

Importante destacar que existem gasolinas especiais no mercado brasileiro com octanagem superior às 92 octanas não padronizadas pela ANP,são exemplos a Podium da Petrobrás, a Octapro da Ipiranga e a Shell Racing da Shell, mas não são encontradas em todos os postos. 

Com relação a adição do etanol anidro em sua composição, não houve alteração. Manteve-se os níveis de 27% para gasolinas comum e aditivada e 25% para a gasolina premium. 

ANÚNCIOS

A nova gasolina do Brasil já está disponível nos postos?

A resolução estabelecida ainda em janeiro entrou em vigor no dia 03 de agosto e terá de ser oferecida em 100% dos postos do país em até 90 dias.

Por isso, só haverá certeza de que você irá abastecer seu carro com a nova gasolina do Brasil a partir do dia 3 de novembro. 

Entretanto, de acordo com a Petrobrás (responsável pela refinaria de 90% da gasolina brasileira) o combustível com maior qualidade já está sendo produzido desde o início do ano. 

Gasolina
Você poe ter rodado com a nova gasolina e nem saber disso

Muita gente não sabe, mas já pode ter ou estar rodando com a nova gasolina brasileira há algum tempo.

É importante destacar que não é possível identificar o novo combustível na bomba, ela não traz nomenclatura específica, e é visualmente idêntica à antiga. 

A ANP informou que empresas e postos que forem flagrados vendendo gasolina antiga após o prazo de 90 dias poderá ser multada em valores que variam de R$ 20 mil a R$ 5 milhões. 

ANÚNCIOS

Potência e economia

ao contrário do que muita gente acredita, a nova gasolina do brasil não proporciona potência ou torque acima dos valores informados pelas montadoras aos diversos modelos de carros. 

Entretanto, especialmente no caso dos carros flex, a potência e o torque com o novo combustível podem sentir.

Sabemos que muitos automóveis bicombustíveis possuem maior desempenho quando abastecidos com etanol, porém, com a nova gasolina, essa diferença deve cair, especialmente em motores mais modernos, dotados de turbo e injeção direta. 

Com relação a questão da economia e eficiência, a nova gasolina do Brasil tem a promessa de maior eficiência energética, e redução de consumo de até 6%.

ANÚNCIOS

Valores da nova gasolina do Brasil

E como era de se esperar, a nova gasolina, por dispor de mais qualidade será mais cara. No entanto, a Petrobras não informa uma estimativa de quanto o valor médio aumentou ou ainda irá aumentar. 

Atualmente o valor do combustível no Brasil é definido por cotação no mercado internacional e outros tipos de variáveis, como o valor do barril de petróleo, câmbio e até mesmo o frete. 

Por isso, esses fatores podem variar tanto para mais, quanto para menos e são mais influentes no preço do que o custo adicional da nova especificação. 

É importante mencionar que a Petrobras acrescenta que é responsável somente por 30% do preço final da gasolina aos postos de combustíveis.

Petrobras e preço
Petrobras é responsável por apenas 30% do valor da gasolina

Os demais percentuais que compõem o valor final da gasolina são compostos por tributos, preço do etanol adicionado e as margens de lucro de distribuidoras e revendedores. 

Agora que você já sabe tudo sobre a nova gasolina do Brasil, se for abastecer questione o frentista ou gerente se a gasolina que está sendo colocada no seu carro já está com os novos parâmetros.

Se a resposta for positiva, atente-se às respostas do motor, assim como o consumo e deixe um comentário aqui em nosso post. 

É sempre legal quando nossos leitores participam dando opiniões e mostrando fatos que ocorrem no dia a dia. 

E já que estamos falando de combustível que tal conferir uma lista com aqueles que são os 30 carros com menor consumo na estrada?

Para conhecê-los, é só clicar no botão abaixo! 

ANÚNCIOS
ANÚNCIOS

Em Alta