Listas

Conheça todas as mudanças da nova gasolina do Brasil

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Nova gasolina do Brasil

A partir de agosto, o brasileiro terá à disposição um novo tipo de gasolina, com maior qualidade e mais semelhante com combustíveis que são comercializados na Europa e Estados Unidos, mas ainda há muitas dúvidas com relação a ela. Por isso, o time de especialistas do Senhor Carros traz agora para você tudo sobre a nova gasolina do Brasil. E aí? Bora ficar por dentro do assunto?

ANÚNCIOS

Saiba tudo sobre a nova gasolina do Brasil

Para falarmos sobre a nova gasolina do Brasil precisamos voltar um pouco no tempo e entender porque o nosso combustível era (e ainda é) tão criticado. 

A má qualidade da gasolina brasileira é algo antigo.

Na década de 80, ela era tão ruim, que os carros importados precisavam passar por uma alteração mecânica para reduzir a taxa de compressão do motor, para que o carro pudesse funcionar com a “sua baixa octanagem”. 

Até 1994 a gasolina do Brasil ainda era conhecida por sua toxicidade, pois havia em sua composição chumbo tetra-etila, que foi substituida pelo etanol anidro, o que a tornou mais limpa e ainda aumentou sua octanagem.

No ano de 2014, mais uma mudança para aumentar a qualidade da nossa gasolina: a redução do teor de enxofre de 200 para 50 ppm – parte por milhão.

Com essa medida e a elevada octanagem, nosso combustível passou ser considerado um dos melhores do mundo. Mas ainda havia espaço para melhorias. 

Densidade: A principal mudança da nova gasolina do Brasil

Para nosso combustível ter padrão internacional, faltava uma regulamentação específica para sua densidade. 

A atual densidade da gasolina brasileira gira em torno de 700 kg por m³ enquanto a do etanol gira ao redor de 750 kg por m³. Apenas para efeito de comparação a da água é de 1kg por m³ ou seja, 1 kg por litro. 

Densidade
Densidade da nova gasolina do Brasil vai mudar

A eficiência de um motor, depende da densidade do combustível. Quanto mais densidade, mais potência e menos consumo.

No entanto, por conta de uma ausência de regulamentação, a gasolina brasileira podia variar de densidade, embora quase todas sejam refinadas e fornecidas pela petrobrás. 

Mas com a possibilidade de ser importada e reformulada por outras refinarias, parte da gasolina comercializada nos postos brasileiros poderia ser reformulada com densidade inferior, o que interfere na potência e no consumo. 

Resolução da ANP eleva qualidade da nova gasolina do Brasil

Em janeiro, a ANP – Agência Nacional do Petróleo, órgão responsável pela regulamentação dos combustíveis no país, estabeleceu novos padrões para a nossa gasolina, incluindo a densidade mínima. 

A resolução 807 de 23 de janeiro de 2020 reclassifica a octanagem, que é seu poder de resistir à compreensão do motor antes e durante a combustão. 

A octanagem possui dois padrões de medicação: O método de pesquisas – RON e o método do motor – MON.

Qualidade
Gasolina brasileira terá mais qualidade

O método RON é o utilizado na Europa. No Brasil, hoje se adota a mesma metodologia utilizada nos EUA, que é a média entre RON e MON, chamado de índice antidetonante – IAD. 

A gasolina comum do Brasil, por exemplo, tem uma octanagem de 82 pelo método MON e 93 pelo método RON.

A média entre as duas: MON 82 + RON 93 dividido por dois é de 87, o que corresponde a 87 IAD, que é o índice utilizado aqui e nos EUA, conforme mencionamos. 

Entendendo na prática as alterações da nova gasolina do Brasil

Em relação à octanagem, muda o padrão de classificação da gasolina do IAD que utilizamos atualmente para o Europeu RON.

A especificação da nova gasolina do Brasil, determina então, que a gasolina comum, seja ela fabricada no Brasil ou importada tenha uma massa de densidade mínima de 715 kg por m³ e octanagem de pelo menos 92 octanas seguindo o padrão RON. 

Importante destacar que existem gasolinas especiais no mercado brasileiro com octanagem superior às 92 octanas não padronizadas pela ANP,são exemplos a Podium da Petrobrás, a Octapro da Ipiranga e a Shell Racing da Shell, mas não são encontradas em todos os postos. 

Com relação a adição do etanol anidro em sua composição, não houve alteração. Manteve-se os níveis de 27% para gasolinas comum e aditivada e 25% para a gasolina premium. 

A nova gasolina do Brasil já está disponível nos postos?

A resolução estabelecida ainda em janeiro entrou em vigor no dia 03 de agosto e terá de ser oferecida em 100% dos postos do país em até 90 dias.

Por isso, só haverá certeza de que você irá abastecer seu carro com a nova gasolina do Brasil a partir do dia 3 de novembro. 

Entretanto, de acordo com a Petrobrás (responsável pela refinaria de 90% da gasolina brasileira) o combustível com maior qualidade já está sendo produzido desde o início do ano. 

Gasolina
Você poe ter rodado com a nova gasolina e nem saber disso

Muita gente não sabe, mas já pode ter ou estar rodando com a nova gasolina brasileira há algum tempo.

É importante destacar que não é possível identificar o novo combustível na bomba, ela não traz nomenclatura específica, e é visualmente idêntica à antiga. 

A ANP informou que empresas e postos que forem flagrados vendendo gasolina antiga após o prazo de 90 dias poderá ser multada em valores que variam de R$ 20 mil a R$ 5 milhões. 

Potência e economia

ao contrário do que muita gente acredita, a nova gasolina do brasil não proporciona potência ou torque acima dos valores informados pelas montadoras aos diversos modelos de carros. 

Entretanto, especialmente no caso dos carros flex, a potência e o torque com o novo combustível podem sentir.

Sabemos que muitos automóveis bicombustíveis possuem maior desempenho quando abastecidos com etanol, porém, com a nova gasolina, essa diferença deve cair, especialmente em motores mais modernos, dotados de turbo e injeção direta. 

Com relação a questão da economia e eficiência, a nova gasolina do Brasil tem a promessa de maior eficiência energética, e redução de consumo de até 6%.

Valores da nova gasolina do Brasil

E como era de se esperar, a nova gasolina, por dispor de mais qualidade será mais cara. No entanto, a Petrobras não informa uma estimativa de quanto o valor médio aumentou ou ainda irá aumentar. 

Atualmente o valor do combustível no Brasil é definido por cotação no mercado internacional e outros tipos de variáveis, como o valor do barril de petróleo, câmbio e até mesmo o frete. 

Por isso, esses fatores podem variar tanto para mais, quanto para menos e são mais influentes no preço do que o custo adicional da nova especificação. 

É importante mencionar que a Petrobras acrescenta que é responsável somente por 30% do preço final da gasolina aos postos de combustíveis.

Petrobras e preço
Petrobras é responsável por apenas 30% do valor da gasolina

Os demais percentuais que compõem o valor final da gasolina são compostos por tributos, preço do etanol adicionado e as margens de lucro de distribuidoras e revendedores. 

Agora que você já sabe tudo sobre a nova gasolina do Brasil, se for abastecer questione o frentista ou gerente se a gasolina que está sendo colocada no seu carro já está com os novos parâmetros.

Se a resposta for positiva, atente-se às respostas do motor, assim como o consumo e deixe um comentário aqui em nosso post. 

É sempre legal quando nossos leitores participam dando opiniões e mostrando fatos que ocorrem no dia a dia. 

E já que estamos falando de combustível que tal conferir uma lista com aqueles que são os 30 carros com menor consumo na estrada?

Para conhecê-los, é só clicar no botão abaixo! 

Redator especialista em carros, se identifica com conteúdos relacionados a lançamentos e análises de veículos e acredita que compartilhar conhecimento na área ajuda todos a tomarem melhores decisões em busca do veículo ideal para cada tipo de perfil.

Artigos

Os carros para evitar de comprar em 2020. Confira!

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

carros para evitar comprar em 2020

Pensando em trocar de carro? Quais são os carros que você deve evitar esse ano, já se perguntou sobre isso? Sabe-se que a paixão dos brasileiros por carros é muito grande, e como já diria o velho ditado: O amor pode acabar nos cegando, e isso é muito verdadeiro, principalmente quando é adaptado ao universo automotivo, afinal, quando se gosta de algum modelo, existe a grande possibilidade de não se atentar a alguns detalhes que podem ser tornar uma grande dor de cabeça, como ausência de peças, mecânica defasada e valor de seguro, por exemplo.

Foi pensando em te dar uma mão para que você acerte na sua escolha, que escrevemos esse artigo, onde você vai descobrir quais são os carros para evitar comprar em 2020. Confira nossa lista a seguir e nos diga por email o que achou.

Os principais carros para evitar comprar em 2020. Confira!

Saiba quais são os principais carros para evitar comprar em 2020.

15. Lifan X 60 

Embora conte com um custo-benefício absurdo, com valores partindo de R$ 70 mil, e repleto de equipamentos de série, como câmera de ré, luzes diurnas, Isofix, Central multimídia com GPS, bancos de couro e muitos outros, você pode se perguntar: Mas por qual motivo ele está na lista dos carros para evitar comprar em 2020? 

A resposta é simples. A Lifan possui poucas revendas e o modelo é famoso por manutenções caras. Some-se a isso a pouca liquidez, que desvaloriza o carro no momento da venda e pronto. Temos a receita do desastre. 

Lifan x60
Lifan X60

14. Nissan March 

Embora seja um veículo bem interessante, existem rumores de que o compacto da montadora japonesa esteja com os dias contados, uma vez que a aposta da empresa para o mercado brasileiro é nova geração do Versa. 

Com as chances de sair de linha, e com valores um pouco elevados, partindo de cerca de R$ 51 mil e R$ 65 mil para as versões S.10 e SL1.6, respectivamente, o Nissan March, certamente é um dos carros para se evitar de comprar em 2020.

Nissan March
Nissan March

13. Volkswagen Fox 

Com a chegada do Up e do Polo, o Fox acabou ficando meio perdido no mercado, a montadora alemã, acabou criando um verdadeiro dilema entre os seus apreciadores. 

Atualmente, o Fox é vendido somente em duas versões, a Connect e a Xtreme, com valores na faixa de R$ 51 mil e R$ 56 mil. No entanto, o modernizado Polo, possui valores que partem de R$ 53 mil. 

Além disso, com a provável chegada da nova geração do gol em 2021, há quem diga que o a produção do Fox pode acabar. Por via das dúvidas, o Fox é mais um dos carros para evitar comprar em 2020.

Volkswagen Fox
Volkswagen Fox

12. Mitsubishi ASX 

O Mitsubishi ASX é um exemplo clássico de modelo que estacionou no tempo. Produzido a quase uma década sob a mesma plataforma e mesmo como duas reestilizações, o modelo carrega um design ultrapassado em relação aos seus rivais e até os outros modelos da montadora. 

O motor 2.0 flex não empolga, o acabamento é relativamente simples e o pós-venda é desanimador. Além disso, seus concorrente, como Jeeps Compass e o Volkswagen Tiguan possui valores mais atrativos e são considerados veículos com melhor custo-benefício.

Se o Mitsubishi ASX estava em sua lista de compras para 2020, é melhor você riscá-lo fora.

Mitsubishi ASX
Mitsubishi ASX

11. Chery QQ

O Chery QQ continua com o título de veículo mais barato do Brasil, com preços que se iniciam na faixa dos R$ 25 mil, porém sem alguns itens de série. Embora o valor seja um chamariz, o modelo possui uma estrutura simples e frágil e seu motor 1.0 é considerado fraco e de manutenção complicado.

Apesar da montadora negar, algumas concessionárias, ainda em julho de 2019 afirmaram que o modelo vai ter a produção encerrada,e sua fabricação, que era feita em Jacareí (SP) será ocupada pelos novos veículos elétricos da Caoa Chery.

Sem uma previsão clara de futuro, ao invés de investir em um QQ, é mais vantajoso comprar um compacto seminovo com pouco uso e com itens de série. Dessa forma, o Chery QQ é mais um dos carros para evitar comprar em 2020.

Chery QQ
Chery QQ

10. Fiat Grand Siena 

Embora seja um carro bacana, ele peca principalmente no preço. Partindo de R$ 50 mil com motorização 1.0 e R$ 55 mil na versão 1.4. A questão é que é possível encontrar concorrentes que são mais econômicos, e contam com uma grande variedade de itens de série que não oferecidos pelo sedã italiano. 

O Cronos, modelo da mesma montadora, parte de R$ 56 mil, equipado com motorização moderna 1.3 e segundo especialistas, muito mais divertido de dirigir. Sendo assim, é melhor considerar o Grand Siena, como carta fora do baralho.

Fiat Grand Siena
Fiat Grand Siena

9. Citroen C3

O Citroen C3 é um verdadeiro sucesso da montadora francesa por contar com um acabamento de alta e qualidade e itens de série realmente interessantes, no entanto, seu futuro aqui no Brasil ainda é incerto. Isso porque a Citroen enxugou a linha e disponibiliza no momento apenas três versões, precisando que se desembolse cerca de R$ 55 mil para o modelo de entrada. A versão top de linha, hoje custa R$ 71 mil.

Com um futuro incerto, e valores elevados, é mais seguro buscar outras opções, até mesmo dentro da própria montadora, como é o caso do Citroen C4 Cactus, considerado mais moderno e divertido de dirigir, com valores partindo de R$ 75 mil. Infelizmente, o Citroen C3 é mais um dos carros para evitar comprar em 2020.

Citroen C3
Citroen C3

8. Ford EcoSport Run Flat 

Muitos brasileiros ainda colocam a estética do veículo antes da usabilidade e isso fez com que a Ford tirasse o estepe da traseira do EcoSport, acrescentando um kit de reparo de pneus do tipo run flat para sua linha 2020. Dessa forma, caso um pneu fure, o proprietário pode rodar no máximo 200 km com uma velocidade máxima de 80 km/h. 

Trata-se de uma inovação que causa um certo receio, afinal, com a ausência do estepe, o cliente pode equipar o veículo, apenas com pneus do tipo run flat, que são bem mais caros que os convencionais. Além disso, substituir os pneus por modelos convencionais não é permitido no caso do EcoSport Run Flat, que não pode rodar sem estepe e pneus convencionais por conta de sua homologação. 

Ford EcoSport Run Flat
Ford EcoSport Run Flat

7. Chevrolet Cobalt 

Com o lançamento do Onix Plus, o Cobalt automaticamente perde grande espaço dentro da linha de veículos da Chevrolet. Embora o modelo permaneça no site da montadora e ainda exista um estoque de carros disponíveis para vendas, concessionárias já afirmaram que o modelo sai de linha em 2020.

Quando os estoques acabarem, o fim do modelo estará sacramentado. Já seu irmão menor, o Joy Plus, ganha sobrevida no mercado. Dessa forma, o Chevrolet Cobalt é mais um dos carros para evitar comprar em 2020.

Chevrolet Cobalt
Chevrolet Cobalt

6. Honda CR-V 

O SUV japonês está longe de ser um carro ruim, muito pelo contrário. Trata-se de um veículo repleto de qualidades, mas o que atrapalha é o seu preço, que parte de R$ 189 mil.

Mesmo com tração integral e motor turbo 1.5 de 190 cavalos, é possível encontrar concorrentes mais potentes com valores mais atrativos, como o Volkswagen Tiguan R-Line, por exemplo. Além disso, sabe-se que o CR-V sofre uma considerável desvalorização no momento de venda, fazendo com que seja colocado na nossa lista de carros para evitar comprar em 2020. 

Honda CR-V
Honda CR-V 

5. Peugeot 208 

O Peugeot 208 é o carro chefe da montadora francesa no Brasil e vai ganhar uma nova linhagem por aqui. O modelo será igual ao europeu que foi lançado em 2019. As vendas devem começar no segundo semestre. 

A atual geração, ainda é fabricada no Brasil, em Porto Real - RJ. Já a nova versão do 208, será produzida em El Palomar na Argentina e será importado para o Brasil, através de benefícios comerciais assegurados pelo acordo do Mercosul. 

Por isso, se você está pensando em comprar o modelo, é melhor esperar pela chegada e lançamento da nova linhagem. 

Peugeot 208
Peugeot 208

4. Hyundai ix35

O Hyundai ix35 é mais um na lista dos carros para evitar comprar em 2020 por conta de seu futuro nebuloso. O SUV da Hyundai tem vendas cada vez mais discretas. Em 2019, não foram emplacadas nem 6 mil unidades. Para piorar a situação, o ix35 sofre concorrência interna direta do Creta, que é menor, porém, mais moderno e com preços semelhantes. 

O Hyundai ix35 só permanece em produção por conta do contrato da Hyundai com a Caoa, e esse é outro ponto delicado, pois a montadora sul-coreana já afirmou que não irá renová-lo. O caso acabou na justiça alemã, em um tribunal em Frankfurt. 

Atualmente o ix35 é o único automóvel montado na fábrica operada pela empresa brasileira em Goiás. Se você tinha planos de comprar esse SUV, é melhor você escolher outro modelo. 

Hyundai ix35
Hyundai ix35

3. Honda Fit 

A nova geração do Fit foi apresentada no último salão de tóquio e tem previsão de chegada no Brasil nesse segundo semestre. Embora tenha sido completamente reformulado, o utilitário mantém foco no aproveitamento de espaço e praticidade. 

O novo modelo, terá motor turbo, com três cilindros e injeção direta. o câmbio será um CVT automático. Uma versão híbrida também é esperada. Por isso, não é hora de comprar um Honda Fit, pois você provavelmente ficará com um mico nas mãos. 

Honda Fit
Honda Fit

2. Volkswagen Space Fox

A perua da montadora alemã nunca conseguiu substituir à altura suas antecessoras, a Santana quantum e a Parati. Seu motor sempre foi considerado fraco para o peso total da carroceria. 

Sua produção era feita na Argentina e seu fim foi confirmado oficialmente. Com preços partindo de R$ 66 mil, a perua se despede com uma versão de acesso com motor 1.6 com câmbio manual ou automático. 

Embora nunca tenha sido uma boa compra, agora, mais do que nunca, a Space Fox é um dos carros para evitar comprar em 2020.

Volkswagen Space Fox
Volkswagen Space Fox

1. Mitsubishi Lancer 

Já faz tempo que o sedã médio japonês está ameaçado de extinção, mesmo com uma atualização recente em Taiwan, o modelo não se firma no mercado brasileiro. 

No ano de 2019, suas vendas foram pequenas e mesmo com 10 anos de estrada, o Lancer fica desatualizado perante aos seus rivais. Essa ausência de novidades, aliada às baixas vendas levantam dúvidas sobre a sobrevivência do modelo por mais tempo, o fazendo figurar na lista dos carros para evitar comprar em 2020.

Mitsubishi Lancer
Mitsubishi Lancer

Gostou? Continue lendo abaixo!

Continuar Lendo

Em Alta