Listas

Conheça todas as mudanças da nova gasolina do Brasil

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Nova gasolina do Brasil

A partir de agosto, o brasileiro terá à disposição um novo tipo de gasolina, com maior qualidade e mais semelhante com combustíveis que são comercializados na Europa e Estados Unidos, mas ainda há muitas dúvidas com relação a ela. Por isso, o time de especialistas do Senhor Carros traz agora para você tudo sobre a nova gasolina do Brasil. E aí? Bora ficar por dentro do assunto?

ANÚNCIOS

Saiba tudo sobre a nova gasolina do Brasil

Para falarmos sobre a nova gasolina do Brasil precisamos voltar um pouco no tempo e entender porque o nosso combustível era (e ainda é) tão criticado. 

A má qualidade da gasolina brasileira é algo antigo.

Na década de 80, ela era tão ruim, que os carros importados precisavam passar por uma alteração mecânica para reduzir a taxa de compressão do motor, para que o carro pudesse funcionar com a “sua baixa octanagem”. 

Até 1994 a gasolina do Brasil ainda era conhecida por sua toxicidade, pois havia em sua composição chumbo tetra-etila, que foi substituida pelo etanol anidro, o que a tornou mais limpa e ainda aumentou sua octanagem.

No ano de 2014, mais uma mudança para aumentar a qualidade da nossa gasolina: a redução do teor de enxofre de 200 para 50 ppm – parte por milhão.

Com essa medida e a elevada octanagem, nosso combustível passou ser considerado um dos melhores do mundo. Mas ainda havia espaço para melhorias. 

ANÚNCIOS

Densidade: A principal mudança da nova gasolina do Brasil

Para nosso combustível ter padrão internacional, faltava uma regulamentação específica para sua densidade. 

A atual densidade da gasolina brasileira gira em torno de 700 kg por m³ enquanto a do etanol gira ao redor de 750 kg por m³. Apenas para efeito de comparação a da água é de 1kg por m³ ou seja, 1 kg por litro. 

Densidade
Densidade da nova gasolina do Brasil vai mudar

A eficiência de um motor, depende da densidade do combustível. Quanto mais densidade, mais potência e menos consumo.

No entanto, por conta de uma ausência de regulamentação, a gasolina brasileira podia variar de densidade, embora quase todas sejam refinadas e fornecidas pela petrobrás. 

Mas com a possibilidade de ser importada e reformulada por outras refinarias, parte da gasolina comercializada nos postos brasileiros poderia ser reformulada com densidade inferior, o que interfere na potência e no consumo. 

Resolução da ANP eleva qualidade da nova gasolina do Brasil

Em janeiro, a ANP – Agência Nacional do Petróleo, órgão responsável pela regulamentação dos combustíveis no país, estabeleceu novos padrões para a nossa gasolina, incluindo a densidade mínima. 

A resolução 807 de 23 de janeiro de 2020 reclassifica a octanagem, que é seu poder de resistir à compreensão do motor antes e durante a combustão. 

A octanagem possui dois padrões de medicação: O método de pesquisas – RON e o método do motor – MON.

Qualidade
Gasolina brasileira terá mais qualidade

O método RON é o utilizado na Europa. No Brasil, hoje se adota a mesma metodologia utilizada nos EUA, que é a média entre RON e MON, chamado de índice antidetonante – IAD. 

A gasolina comum do Brasil, por exemplo, tem uma octanagem de 82 pelo método MON e 93 pelo método RON.

A média entre as duas: MON 82 + RON 93 dividido por dois é de 87, o que corresponde a 87 IAD, que é o índice utilizado aqui e nos EUA, conforme mencionamos. 

ANÚNCIOS

Entendendo na prática as alterações da nova gasolina do Brasil

Em relação à octanagem, muda o padrão de classificação da gasolina do IAD que utilizamos atualmente para o Europeu RON.

A especificação da nova gasolina do Brasil, determina então, que a gasolina comum, seja ela fabricada no Brasil ou importada tenha uma massa de densidade mínima de 715 kg por m³ e octanagem de pelo menos 92 octanas seguindo o padrão RON. 

Importante destacar que existem gasolinas especiais no mercado brasileiro com octanagem superior às 92 octanas não padronizadas pela ANP,são exemplos a Podium da Petrobrás, a Octapro da Ipiranga e a Shell Racing da Shell, mas não são encontradas em todos os postos. 

Com relação a adição do etanol anidro em sua composição, não houve alteração. Manteve-se os níveis de 27% para gasolinas comum e aditivada e 25% para a gasolina premium. 

A nova gasolina do Brasil já está disponível nos postos?

A resolução estabelecida ainda em janeiro entrou em vigor no dia 03 de agosto e terá de ser oferecida em 100% dos postos do país em até 90 dias.

Por isso, só haverá certeza de que você irá abastecer seu carro com a nova gasolina do Brasil a partir do dia 3 de novembro. 

Entretanto, de acordo com a Petrobrás (responsável pela refinaria de 90% da gasolina brasileira) o combustível com maior qualidade já está sendo produzido desde o início do ano. 

Gasolina
Você poe ter rodado com a nova gasolina e nem saber disso

Muita gente não sabe, mas já pode ter ou estar rodando com a nova gasolina brasileira há algum tempo.

É importante destacar que não é possível identificar o novo combustível na bomba, ela não traz nomenclatura específica, e é visualmente idêntica à antiga. 

A ANP informou que empresas e postos que forem flagrados vendendo gasolina antiga após o prazo de 90 dias poderá ser multada em valores que variam de R$ 20 mil a R$ 5 milhões. 

ANÚNCIOS

Potência e economia

ao contrário do que muita gente acredita, a nova gasolina do brasil não proporciona potência ou torque acima dos valores informados pelas montadoras aos diversos modelos de carros. 

Entretanto, especialmente no caso dos carros flex, a potência e o torque com o novo combustível podem sentir.

Sabemos que muitos automóveis bicombustíveis possuem maior desempenho quando abastecidos com etanol, porém, com a nova gasolina, essa diferença deve cair, especialmente em motores mais modernos, dotados de turbo e injeção direta. 

Com relação a questão da economia e eficiência, a nova gasolina do Brasil tem a promessa de maior eficiência energética, e redução de consumo de até 6%.

Valores da nova gasolina do Brasil

E como era de se esperar, a nova gasolina, por dispor de mais qualidade será mais cara. No entanto, a Petrobras não informa uma estimativa de quanto o valor médio aumentou ou ainda irá aumentar. 

Atualmente o valor do combustível no Brasil é definido por cotação no mercado internacional e outros tipos de variáveis, como o valor do barril de petróleo, câmbio e até mesmo o frete. 

Por isso, esses fatores podem variar tanto para mais, quanto para menos e são mais influentes no preço do que o custo adicional da nova especificação. 

É importante mencionar que a Petrobras acrescenta que é responsável somente por 30% do preço final da gasolina aos postos de combustíveis.

Petrobras e preço
Petrobras é responsável por apenas 30% do valor da gasolina

Os demais percentuais que compõem o valor final da gasolina são compostos por tributos, preço do etanol adicionado e as margens de lucro de distribuidoras e revendedores. 

Agora que você já sabe tudo sobre a nova gasolina do Brasil, se for abastecer questione o frentista ou gerente se a gasolina que está sendo colocada no seu carro já está com os novos parâmetros.

Se a resposta for positiva, atente-se às respostas do motor, assim como o consumo e deixe um comentário aqui em nosso post. 

É sempre legal quando nossos leitores participam dando opiniões e mostrando fatos que ocorrem no dia a dia. 

E já que estamos falando de combustível que tal conferir uma lista com aqueles que são os 30 carros com menor consumo na estrada?

Para conhecê-los, é só clicar no botão abaixo! 

Redator especialista em carros, se identifica com conteúdos relacionados a lançamentos e análises de veículos e acredita que compartilhar conhecimento na área ajuda todos a tomarem melhores decisões em busca do veículo ideal para cada tipo de perfil.

Listas

Hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020: Conheça o top 10

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Hatches fracassos de vendas

Com início da pandemia de coronavírus, alguns setores comerciais foram afetados, e o automotivo foi um deles, o que talvez contribua para o resultado do nosso levantamento que mostra quais foram os hatches fracassos de vendas no Brasil até agora. 

Embora modelos hatches sejam a preferência da maioria dos brasileiros, como ocorre em diferentes setores, existem os modelos preferidos e aqueles que são renegados. 

Mostraremos agora aqueles que são considerados os 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 até agora. Será que você consegue adivinhar quais são eles? 

Confira na leitura desse artigo mais do que imperdível que os especialistas do Senhor Carros prepararam exclusivamente para você!

10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020

Mostraremos agora a lista com aqueles que são considerados os 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020. 

10. Volkswagen Fox

O Volkswagen Fox é o primeiro dos 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020. 

O modelo que inclusive está na lista de dispensas da Volkswagen para deixar de ser produzido ainda agrada bastante os público brasileiro. 

Volkswagen Fox
Volkswagen Fox

O Hatch “alemão” possui apenas motorização 1.6 e está disponível atualmente em duas versões: Connect e Extreme. 

Se compararmos com números antigos, as vendas do modelo não deixam de ser um fracasso. Apenas 10.097 unidades foram comercializadas até agora em 2020.

9. Fiat uno

Aqui temos outro hatch que embora seja muito apreciado pelos brasileiros, tanto por conta de sua compactabilidade quanto por sua economia. 

Fiat uno
Fiat uno

O modelo que já foi o chefe de vendas da Fiat, hoje não é a mais a estrela principal, mas não deixa de ser uma boa opção para famílias pequenas ou então para os solteiros. 

Até agora em 2020, apenas 7.274 unidades do Fiat uno foram emplacadas. 

8. Toyota Etios

O Toyota Etios é mais um entre os hatches fracassos de vendas em 2020. O modelo que conta com duas opções de motor e câmbios automático e manual é um bom veículo, tanto para usos urbanos, quanto para deslocamentos em rodovias. 

A potência do motor agrada e ainda existe a baixa visibilidade de roubos, o que faz com que seu seguro seja mais barato do que muitos outros modelos. 

Toyota Etios
Toyota Etios

Entretanto o Etios realmente não caiu nas graças dos brasileiros e seus números de vendas deixam isso ainda mais explícito, afinal, foram apenas 5.562 unidades vendidas. 

7. Nissan March

O Nissan March é hoje considerado o modelo de entrada da montadora nipônica no mercado automotivo brasileiro. 

O Hatch é mais um dos compactos repletos de qualidade. Equipado com um motor 1.0 de 3 cilindros, o March conta com bastante tecnologia embarcada, o que o torna, na opinião dos especialistas um modelo que praticamente não apresenta problemas.

Nissan March
Nissan March

O modelo ainda possui opções de câmbio automático e manual, capaz de render bem em estradas e cidades com bastante economia. Mas seus números, demonstram o fracasso: Apenas 2.208 unidades comercializadas. 

6. Peugeot 208

Os carros da Peugeot geram dois sentimentos nos motoristas: Ou você ama ou você odeia. A tecnologia francesa é pouca aberta, o que torna reparos mecânicos muito caros quando necessários. 

O Peugeot 208 conta atualmente com duas opções de motor, um 1.2 Puretech Flex de três cilindros capaz de gerar 90 cavalos com etanol, com boa força e torque em baixa rotação.

Peugeot 208
Peugeot 208

O outro é um 1.6 flex de quatro cilindros, atualizado, capaz de gerar 118 cavalos com etanol. O motor 1.2 é equipado com câmbio manual, enquanto no 1.6 só há opção de câmbio automático.

O atual fracasso de vendas do Peugeot 208 já era esperado, pois uma nova versão, totalmente renovada é esperada ainda esse ano por aqui. Ao todo, o modelo vendeu apenas 1140 unidades em 2020. 

5. Citroen C3

Na quinta posição, temos mais um carro de origem francesa que causa receio em muita gente por conta do surgimento de possíveis problemas que não são nada baratos de resolver. 

Na parte de motorização, o modelo dispõe duas opções de motor, uma 1.2 flex de três cilindros, capaz de render 90 cavalos com etanol e outra 1.6 também flex, mas com quatro cilindros, capaz de render até 118 cavalos. 

O Citroen C3 conta ainda com 3 versões distintas: Attraction 1.2 com câmbio manual; Attraction 1.6 com câmbio automático e Urban Trail 1.6 com câmbio automático.

Citroen C3
Citroen C3

Não é de hoje que as vendas do hatch francês não são boas. Na Europa, o veículo passou por uma profunda alteração visual, tornando-o bastante atrativo, mas de acordo com a montadora, a mudança não vai chegar ao Brasil. 

Os números de venda do modelo são vergonhosos. Até agora, apenas 583 unidades foram vendidas em 2020.

4. Mini Cooper

O Mini Cooper é um dos carros mais emblemáticos à venda no Brasil e realmente chama atenção por onde passa. 

O modelo é conhecido por uma ótima relação de peso X potência, pois é leve e potente ao mesmo tempo. 

Compacto e valente ele é uma ótima opção para uso urbano esporádico, pois sua potência, distância entre-eixos e controles de estabilidade e tração tornam seu uso em rodovias muito mais divertido. 

Mini Cooper
Mini Cooper

O Mini Cooper possui atualmente duas opções de motor. um 1.5 turbo de três cilindros e um 2.0 turbo de quatro cilindros. Ambos são movidos somente à gasolina e geram 136 e 192 cavalos respectivamente.

Entretanto, por conta de seu elevado preço, o Mini Cooper é um carro para poucos, o que diante do cenário de crise, o torna mais um fracasso de vendas. Até agora, apenas 335 unidades foram vendidas. 

3. Kia Rio

O Kia Rio é um desconhecido de muita gente. 

O modelo que é produzido no México e importado pra cá, foi lançado em janeiro, mas realmente não caiu nas graças dos brasileiros. 

Equipado com muitos itens de série, o Kia Rio tem sob o capô um motor 1.6 16V de quatro cilindros, flex capaz de gerar até 130 cavalos quando abastecido com etanol. O câmbio é automático de seis marchas. 

Kia Rio

Entretanto, a pouca confiança do brasileiro na marca e o alto preço do modelo, fizeram as vendas empacarem. Ao todo, somente 172 unidades do Kia Rio foram comercializadas. 

2. Audi A3

O Audi A3 já foi um modelo um tanto quanto popular anos atrás e disputava de maneira ferrenha a mesma classe de motoristas que gostava do Golf.

Com o passar dos anos, o hatch da marca alemã foi evoluindo em termos de mecânica e tecnologia embarcada, o que fez com que seus valores ficassem muito mais elevados do que o modelo da Volkswagen. 

Audi A3
Audi A3

O modelo é equipado com um motor 1.4 TFSI Flex de 150 cavalos, tanto com etanol, quanto gasolina. O câmbio é um tiptronic automático de seis velocidades. 

Embora salte aos olhos em termos de beleza, seja potente e recheado de tecnologia, o preço realmente é um impeditivo. Tanto que o A3 é mais um entre os hatches fracassos de vendas, com apenas 119 unidades vendidas. 

1. Fiat Palio

E na primeira posição dos hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 temos o Fiat Palio. 

Embora o modelo tenha sido descontinuado, ainda é possível encontrar algumas unidades à venda em concessionárias espalhadas pelo Brasil, e foi exatamente isso que aconteceu. 

Fiat Palio
Fiat Palio

Com uma histórico de bons números de vendas, o modelo que pode ser uma boa opção para o momento de crise pelo qual estamos passando registrou em 2020 o número de apenas uma unidade vendida, e por isso levou medalha de ouro em nossa lista. 

Conclusão

A exemplo do mercado de SUVs, o mercado dos hatches é um tanto quanto competitivo. Enquanto uns modelos se destacam, outros são totalmente jogados ao esquecimento. 

Depois de conferir a nossa lista daqueles que são os hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 que tal descobrir quais são os modelos chineses que os brasileiros mais gostam?

Para conferir, é só clicar no botão abaixo:

Continuar Lendo

Em Alta