Connect with us

Artigos

Os piores carros já vendidos no Brasil. Confira!

Por

Murilo 

| Publicado em

Muita gente não sabe, mas a lista de carros produzidos no Brasil é extensa, e repleta de modelos um tanto quanto controversos com algumas situações onde o resultado não foi o que podemos chamar de um sucesso absoluto, afinal, boa parte dos modelos produzidos por aqui recebeu duras críticas e outros saíram de linha.

Foi pensando em trazer informações que resolvemos produzir o artigo de hoje, mostrando quais são os piores carros produzidos por aqui. Se você está em busca de conhecimento puro e simples, ou quer comprar um carro antigo e diferente para passear ou colecionar, recomendamos que leia o conteúdo a seguir antes de tomar qualquer decisão.

piores carros fabricados no Brasil
Gurgel

21 - Fiat Marea

O Fiat Marea não poderia deixar de fazer parte desse seleto time dos piores carros produzidos no Brasil. Trata-se de um modelo, mais do que problemático da montadora italiana. 

O primeiro ponto de tensão desse veículo diz respeito à sua correia dentada, que quando quando se rompia, precisava fazer todo o motor ser retirado para que a troca pudesse ser feita. Além disso, outro ponto inexplicável do Marea é que sua versão de lançamento, no ano de 2005, possuía um “poderoso” motor, 2.4 com 160 cv, e um câmbio automático de apenas quatro marchas. Some-e a isso, por fim, um garro movido apenas a gasolina e com alto consumo. Não tinha como dar certo.

Fiat Marea

20 - Seat Córdoba

Aqui temos outro famoso modelo que foi um verdadeiro fiasco no mercado brasileiro, entrando para a lista negra dos piores carros produzidos no Brasil, mas justiça seja feita. O Córdoba não era ruim em si, foram fatores não relacionados a desempenho e estrutura que o fizeram entrar nesse rol. 

O maior problema dos carros da montadora Espanhola Seat era o alto preço das peças de reposição, assim como os valores de assistência técnica, que inviabilizavam seu o processo de manutenção. 

Além disso, um boicote da Volkswagen também contribuiu para o fracasso do veículo. O Seat era vendido nas concessionárias da montadora alemã, que os deixava de lado de modo proposital, para que não houvesse nenhum tipo de concorrência.

piores carros fabricados no Brasil
Seat Cordoba

19 - Volkswagen Jetta

Embora seja um emblemático modelo da Volkswagen, o Jetta perde muito fôlego para seus concorrentes diretos hoje no mercado, o Honda Civic e o Toyota Corolla, primeiro pelo seu valor, muito semelhante aos dos modelos que acabamos por citar. 

Além disso, outros fatores que trouxeram o Jetta até essa lista são suas baixas vendas, que automaticamente diminui seu valor de revenda. Mesmo com trocas constantes de motorização, o Sedã alemão deixa muito a desejar diante da concorrência, por isso, não tinha como deixá-los de fora.

Volkswagen Jetta

18 - Fiat Freemont

Aqui temos mais um caso de carro cujo custo x benefício basicamente inexiste. Isso pelo fato de o Fiat Freemont, ser semelhante à sua concorrente, Dodge Journey, mas fica muito longe em termos de desempenho. 

O modelo da montadora italiana conta com uma caixa de câmbio de apenas 4 marchas, enquanto que o modelo Americano, possui 6. Com isso, o Freemont se apresenta como um carro grande, com uma performance extremamente fraca, além de um consumo de combustível excessivo.

piores carros fabricados no Brasil
Fiat Freemont

17 - Gurgel

A Gurgel Motores S/A era uma montadora 100% brasileira, que até apresentou bons resultados em venda, mas acabou sucumbindo por conta do excesso de tributos, aliado à falta de incentivo do governo. O Gurgel era popularmente chamado de Feio. 

Em 1987 a empresa lançou o modelo BR 800 com a proposta de um veículo barato, econômico, popular e 100% nacional. O objetivo era que o veículo não ultrapassasse os 3 mil dólares, mas por conta de questões fiscais, seu valor terminou fixado em 7 mil dólares. 

Embora fosse econômico, não tivesse correias, além de possuir um refrigeração a água, foram vendidos somente, cerca de 7 mil unidades do modelo. O fraco desempenho perante a seus concorrentes, como o Fiat Uno, e sistema de venda implicar diretamente na compra de ações da empresa, fez com que o “feio” se tornasse um fracasso retumbante. Ficando conhecido como um dos piores carros produzidos no Brasil.

piores carros fabricados no Brasil
Gurgel

16 - Citroën Xantia

Alguns podem discordar do Xantia se fazer presente na lista dos piores carros produzidos no Brasil. Afinal, ele tinha um bom acabamento, era bem equipada, mas como muitos de montadoras francesas sua manutenção era extremamente cara. 

Como possuía tecnologia alta para um veículo de sua época, seus componentes eram difíceis de serem encontrados, além de possuírem valores exorbitantes, que acabavam por minar seu custo x benefício.

piores carros fabricados no Brasil
Citroën Xantia

15 - Simca Chambord

A Simca - Société Industrielle de Mécanique et de Carrosserie Automobile, se instalou na cidade de São Bernardo dos Campos no ano de 1958 e começou a produzir o modelo sob licença entre o período de 1959 e 1967. 

Projetado a princípio para ser um modelo da paz, visando o término da segunda guerra, o Simca Chambord tinha linhas únicas que remetia aos clássicos carros americanos. Seu visual, inclusive agradava a todos. 

Entretanto, o carro, foi considerado por muitos um veículo, bonito, espaçoso, confortável, mas letárgico. Equipado com um motor V8 com cerca de 80 cavalos, o antigo sedã não tinha o fôlego necessário embalar nas ruas e estradas. Não precisou muito tempo para que suas vendas ficassem estagnadas, assim como o interesse pelo veículo, que veio, infelizmente para na lista dos piores carros produzidos no Brasil.

14 - Chevrolet Blazer

O Chevrolet Blazer é um caso de ame-o ou odeio. Trata-se de um veículo com uma proposta bem diferente que estamos acostumados a ver na montadora americana. 

O principal erro cometido na fabricação do Chevrolet Blazer se dá na relação de peso/potência. Ou seja, a carroceria é muito pesada para sua motorização.

Embora apresente bom torque, o desempenho aliado ao consumo de combustíveis acabam por minar o custo x benefício. E por fim, para que não restem dúvidas, sobre a presença da Blazer nessa lista, o valor praticado para compra desse carro, era inviável quando comparado com os valores das concorrência.

Chevrolet Blazer

13 - Troller Pantanal

O Troller Pantanal é visto como um dos maiores fiascos de produção automotiva no Brasil. Primeiro pelo fato de ter comercializado somente 77 unidades no total, e dessas, todas precisaram passar por um Recall devido a trincas no chassis, que poderiam causar acidentes. 

Sua produção ocorreu somente de 2006 a 2008, ano que a Ford comprou a marca. Hoje os donos possuem um verdadeiro mico na mão, uma vez que, provavelmente, ninguém compraria esse modelo. Cá entre nós, esse modelo merece estar presente na lista dos piores carros do Brasil.

Troller Pantanal

12 - Hyundai Veloster

O Hyundai Veloster é um modelo que em um primeiro momento, chacoalhou o mercado automotivo, por se tratar de um carro conceito com 3 portas. Seu visual externo, aliado a um bom acabamento e itens de série parecia que o modelo ia ser sucesso de vendas, no entanto, a montadora resolveu chamá-lo de esportivo. 

Quando falamos em esportividade, o Veloster não fez jus ao título, uma vez que seu motor possuía apenas 108 cavalos, potência inferior a de muitos carros populares. Além disso, alguns clientes processaram a montadora, alegando que haviam sido vítimas de propaganda enganosa, manchando ainda mais a sua já fragilizada reputação. 

Não demorou para que as vendas caíssem e o veloster fosse considerado um dos piores carros vendidos no Brasil.

piores carros fabricados no Brasil
Hyundai Veloster

11 - Lada Laika

O Lada Laika chegou no ano de 1990 e embora apresentasse alguns problemas como oxidação e acabamentos, acabou conquistando o mercado devido às suas quatro portas, espaço razoável e um valor menor do que o famoso uno Mille. Isso fez, inclusive, com que muitos taxistas optassem pelo carrinho soviético, para rodas nas ruas brasileiras. 

Em um primeiro momento, a proposta era muito boa. No entanto, não foi bem adaptada para o Brasil e se tornou um verdadeiro fracasso devido a não adaptação para a gasolina nacional que continha cerca de 25% de álcool diluído. 

Outro fator que fez com que o lado entrasse para a lista dos piores carros do Brasil, era sua manutenção, alta demais, para o seu valor relativamente barato.

Lada Laika

10 - Fiat Brava

Não contente em errar uma vez, a Fiat resolveu insistir basicamente no mesmo erro pela segunda vez, através do lançamento do Brava.

Só de olhar para o Brava, já era possível observar um Marea totalmente travestido, isso por si só, já fez com que os consumidores ficassem com “a pulga atrás da orelha”. Por conta dos problemas de seu irmão mais velho, as vendas naturalmente encalharam. 

Além disso, a fraca motorização, uma suspensão considerada esquisita pelos donos e a dificuldade de encontrar peças, faz do Fiat Brava um modelo difícil de ser visto nas ruas e presente na lista dos piores carros produzidos no Brasil.

Fiat Brava

9 - Daewoo Espero

Nem kia, nem Hyundai, a primeira montadora coreana que desembarcou no Brasil com intenções de dominar o mercado foi a Daewoo. A grande aposta da montadora foi o famoso sedã Espero. 

Entretanto a marca coreana esbarrou em um planejamento totalmente inadequado, pois o Espero tinha como concorrente dois grandes campeões de venda na época, o Vectra e o Ômega.

Embora tivesse um bom acabamento, tecnologia embarcada e desempenho, os valores de manutenção eram impraticáveis. Rapidamente, o Espero se tornou um fracasso de vendas e hoje figura na lista dos piores carros produzidos do Brasil.

Daewoo Espero

8 - Ford Courier

Levando em conta que a sua “mãe” era a Pampa, pequena picape líder de vendas durante seu período de vida, a Courier chegou ao mercado com uma proposta teoricamente boa da Ford, que tinha como intenção usar a base do Fiesta, mas as coisas não funcionaram dessa forma. 

Com um tamanho pequeno, e motorização fraca, a Courier fica atrás de todas as suas concorrentes no mercado - Chevrolet Montana, Fiat Strada e Volkswagen Saveiro. Há inclusive aqueles que brincam afirmando que é mais fácil encontrar uma Pampa do que uma Courier nas ruas. 

Ford Courier

7 - Chevrolet Veraneio

O Chevrolet Veraneio é considerado o pai da Blazer. Com tudo para deslanchar, foi lançado no Brasil no ano de 1964. Grande, robusta e boa para andar em família ou ser utilizada no trabalho, não tinha como dar errado. 

Embora o veículo tenha ficado no mercado por muitos anos, quem comprou logo se arrependeu, uma vez que que o modelo se tornou famoso como camburão, temido esquadrão da primeira geração da polícia Rota do estado de São Paulo. 

Quando não era carro de polícia, o modelo era usado como ambulância. As piadas eram inevitáveis, além do modelo não ter caído no gosto do povo. Nos dias de hoje é extremamente raro ver um Veraneio rodando por aí.

Chevrolet Veraneio

6 - Ford Ka

O Ford Ka é mais um caso de carro que é amado por uns e odiado por outros, sem nenhum meio termo. O visual ousado da primeira versão foi o principal defeito apontado pelos consumidores, aliado é claro, ao seu pequeno espaço interno. 

Embora se tratasse de um modelo econômico, o Ford Ka era fraco e possuía uma traseira instável. As vendas desse então, carro popular só apresentaram melhores números quando houve uma reformulação. 

Hoje em sua terceira geração, o Ka é um modelo com muitos adeptos, entretanto, a sua primeira geração ficará marcada como um dos piores carros produzidos no Brasil.

5 - Autolatina

Você já pensou na possibilidade de duas montadoras produzirem o mesmo carro? Algo como Fiat Gol e Volkswagen Uno? Saiba que apesar de algumas diferenças isso já aconteceu e inclusive teve boa duração.

Quem nunca comentou a semelhança entre o Ford Verona e o Volkswagen Apollo ou então os clássicos Ford Versailles e o Volkswagen Santana? Especialistas do setor automotivo afirmam que essa parceria salvou a Ford no Brasil e a Volkswagen ficou com o filme queimado. 

A parceria das duas empresas recebeu o nome de Autolatina e um veículo em especial ficou extremamente queimado nessa união, o Escort, que recebeu o apelido da fusão entre as duas montadoras. O carro era produzido pela Ford, mas a motorização era da Volkswagen. 

O veículo então, recebeu o apelido de carro de oficina, por conta de avarias frequentes no câmbio e grande necessidade de manutenção dos acessórios oferecidos. De forma quase que natural, o modelo começou a ficar empacado nas concessionárias, se tornando rapidamente um fracasso de vendas, sendo considerado a um dos piores carros vendidos no Brasil.

Autolatina

4 - Peugeot Hoggar

O Mercado de carros muitas vezes é cruel, principalmente em setores já segmentados, como é caso das pequenas caminhonetes, dominado e estabelecido há anos, com Volkswagen Saveiro, Fiat Strada e Chevrolet Montana, por exemplo.

Entretanto, a montadora Peugeot resolveu se arriscar nesse concorrido mercado, com o modelo Hoggar. Mesmo equipada com um motor 1.4 , muitos consideram a pequena picape fraca e com um alto consumo de combustível, mesmo quando vazia.

Aliado às questões colocadas, o conhecido valor da manutenção da montadora, é alto, o que afasta possíveis compradores. Por conta disso, o Peugeot Hoggar está aqui, na lista dos piores carros produzidos no Brasil.

Peugeot Hoggar

3 - Volkswagen Variant II

Produzida pela Volkswagen, o Variant II não teve o sucesso que a montadora esperava com o público brasileiro. 

Mesmo para a época, seu motor era fraco e não tinha um bom desempenho. Além disso, a necessidade constante de manutenção, acabou por afastar o público em geral. Como resultado, as vendas foram fracas e até os dias de hoje, muitos consideram o Variant II como um fracasso no mercado automotivo brasileiro.

Volkswagen Variant II

2 - Fiat Oggi

A Fiat é conhecida por tentar inovações em matéria de produção automotiva e uma dessas tentativas, se deu com o modelo Oggi.

O Modelo, foi na verdade, uma tentativa de dar um salto evolutivo. Entretanto uma série de erros, fez com que o Oggi, ficasse marcado como um dos piores carros do Brasil. Sua caixa de câmbio, aliada ao pequeno espaço interno e o alto barulho do escapamento eram queixas constantes de seus proprietários.

Embora fosse relativamente econômico em termos de consumo de combustível, seu desempenho também não era nada animador. Com tudo isso, era impossível que ele não estivesse presente nesse pouco desejado rol.

Fiat Oggi

1 - Volkswagen 1600 

Por conta de suas linhas retas e semelhança a uma grande caixa, o Volkwsagen 1600 Rapidamente ganhou o apelido de Zé do Caixão, uma nomenclatura nada positiva, convenhamos, não é mesmo?

A mecânica do 1600 era simular a do Fusca, contando com um motor traseiro 1.6 litro refrigerado a ar, com 50 cavalos e 11 kgfm, associado ao conhecido câmbio manual de 4 marchas. Mesmo para sua época, o desempenho deixava a desejar.

Com um desempenho fraco e um apelido nada bonito, o Volkswagen 1600 não teve uma vida longa e por isso, veio parar na lista dos piores carros vendido no Brasil.

piores carros fabricados no Brasil
Volkswagen 1600
____CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE____

SIGA NO FACEBOOK

Em alta