Viral

Os 20 melhores pilotos de Formula 1 de todos os tempos!

por

Senhor Carros

Publicado em

Ao longo da história da Fórmula 1, vários pilotos fizeram nome e deixaram sua marca neste esporte acelerado e repleto de adrenalina. É difícil comparar as habilidades de pilotos de diferentes épocas, já que o esporte evoluiu incessantemente desde que começou em 1950. Com isso dito, há alguns pilotos que se destacam acima dos outros e seus talentos não podem ser negados. Aqui estão os 20 melhores pilotos de F1 de todos os tempos.

ANÚNCIOS

20 – Jenson Button

Este homem tem que ser incluído. Meu piloto favorito cresceu e era um homem que as pessoas ficavam felizes em ver ganhar um campeonato mundial.

Depois que a Honda Racing saiu da F1 no final de 2008, parecia que Jenson Button estava deixando o esporte, mas com Ross Brawn comprando o time, ele continuou com tudo.

O britânico conquistou o título no Brasil para o deleite dos torcedores ingleses e, claro, seu pai, o falecido John Button.

Button tinha uma grande habilidade para dirigir em condições mais úmidas e até hoje ainda tem a fama de conquistar a melhor corrida de todos os tempos na história da F1, Canadá 2011.

ANÚNCIOS

19 – Graham Hill

No número 19 está Graham Hill, duas vezes campeão mundial de F1, ganhando com a BRM em 1962 e Lotus em 1968.

Seus fãs ainda o amavam, mesmo quando ele parecia ter corrido por muito tempo além do seu auge. Ele pode não ter sido o piloto mais talentoso, mas com pura determinação e coragem, ele conseguiu se destacar.

Quando ele faleceu, em 1975, deixou para trás sua esposa Bette, suas duas filhas e um filho chamado Damon, que todos vocês conhecerão quando ele também se tornar um campeão mundial.

Hill também é o único piloto na história a completar a tríplice coroa, Monaco GP, Indy 500 e Le Man 24hr.

Graham Hill foi uma personalidade popular durante seu tempo no esporte e certamente merece um lugar na lista.

18 – Alberto Ascari

Alberto Ascari é o número 18 da lista, o italiano conquistou dois campeonatos mundiais com sua equipe nativa Scuderia Ferrari.

Alberto Ascari tornou-se um dos campeões mais amados e em pista, era um dos campeões superiores. Suas habilidades de condução fizeram um dos pilotos mais seguros em uma era que foi vista por muitos como o momento perigoso no esporte.

Ele também era muito supersticioso, evitava gatos pretos e não permitia a mais ninguém o acesso à maleta que continha sua roupa de corrida.

Seu acidente fatal inexplicável e em circunstâncias estranhamente semelhantes à do seu pai, Antonio Ascari, piloto de corridas de grande porte nos anos 1920, continua sendo uma das grandes e trágicas coincidências da Fórmula 1.

Ele morreu na mesma idade que seu pai, no mesmo dia do mês. Ascari tem uma lista de honras com o seu nome, nenhuma mais do que a chicane em Monza, a casa do GP da Itália.

Ele é um importante piloto na história da Ferrari e na Fórmula 1.

ANÚNCIOS

17 – Gilles Villeneuve

Giles Villeneuve está em 17 na lista e tem que ser um dos melhores pilotos a nunca ganhar um campeonato mundial.

Ele sempre afirmou ter nascido em 1952, mas ele diminuiu dois anos de sua idade para evitar ser considerado muito velho para o mais alto nível de automobilismo.

O canadense passou seis anos com a equipe da Scuderia Ferrari e foi elogiado por suas atuações na pista.

Ele é outro piloto que, infelizmente, perdeu a vida ao volante. Seu falecimento foi durante a sessão de qualificação final do GP da Bélgica em Zolder em 1982.

Villeneuve ainda é lembrado no final de semana da corrida do Grande Prêmio, especialmente no GP do Canadá, que nomeou o circuito depois dele em 1982, logo após sua morte.

16 – Jack Brabham

No 16 é Jack Brabham. O piloto australiano conseguiu três campeonatos mundiais durante seu tempo no esporte.

Ele ganhou seus dois primeiros títulos com Coopers e seu terceiro com um Brabham, isso fez dele o único piloto a se tornar campeão em um carro de sua própria marca.

A vitória final de Jack Brabham veio no Grande Prêmio da África do Sul de 1970, aos 44 anos, sua última temporada no esporte.

Sua grande contribuição para o automobilismo britânico e F1 foi reconhecida em 1985 e ele se tornou Sir Jack Brabham – o primeiro piloto de Fórmula 1 a receber um título de cavalheiro. Ele faleceu em sua casa em maio de 2014, aos 88 anos de idade.

ANÚNCIOS

15 – Mika Hakkinen

Conhecido por ser um homem de poucas palavras, Hakkinen possui incrível habilidade e bravura em suas manobras rápidas, e ninguém menos que Schumacher nomeou-o seu maior rival no início de sua carreira. Sua personalidade estóica e sensata é talvez tão famosa quanto seu foco e habilidade na estrada. Ele registrou 161 largadas, 20 vitórias, 51 colocações no pódio, 26 pole positions e 25 voltas mais rápidas em seu nome, e venceu dois campeonatos no mesmo dia, fazendo isso com humildade e tranquilidade.

Mika Hakkinen

14 – Kimi Räikkönen

Ele não é o piloto de F1 mais rápido ou mais bem-sucedido, mas ninguém pode negar que sua habilidade e velocidade o tornam uma parte merecedora dessa lista, especialmente em seus dias de juventude. Com uma grande personalidade, o amor de Raikkonen pelo esporte em sua forma mais pura faz dele um favorito dos fãs e um personagem simpático.

Muitos acreditam que ele deveria ter vencido três campeonatos ao invés de apenas um. Raikkonen tem 252 largadas, 20 vitórias, 84 colocações no pódio, 16 pole positions e 43 voltas mais rápidas.

13 – Sir Stirling Moss

Esta entrada é estranha, já que Moss é o único piloto da lista que nunca ganhou um campeonato, terminando em segundo lugar quatro vezes e em terceiro lugar três vezes nos sete anos em que competiu. Muitos argumentariam que Moss merecia ganhar um campeonato, especialmente devido à sua habilidade suprema e competência avançada no esporte. Uma combinação de sua preferência por ingleses, equipes privadas e pura sorte podem explicar porque ele nunca ganhou o título.

Ele tem 66 partidas, 16 vitórias, 24 colocações de pódio, 16 pole positions e 19 voltas mais rápidas e é conhecido como o maior piloto a nunca se tornar campeão.

12 – Emerson Fittipaldi

Apesar de não ser o mais popular dos pilotos de F1, Fittipaldi se manteve em uma era de corrida difícil. Sua habilidade calma e concentrada lhe rendeu 144 partidas, 14 vitórias, 35 colocações no pódio, 6 pole positions, 6 voltas mais rápidas e dois campeonatos mundiais.

Ele deteve o recorde de mais jovem campeão mundial por 33 anos. Infelizmente, a carreira de Fittipaldi durou pouco e ele decidiu deixar sua equipe para criar a sua própria, que não tinha qualidade e impedia sucessos futuros. Ainda assim, ele continua sendo uma parte icônica da história da F1. Quem sabe o que ele teria conseguido se ele não tivesse deixado o seu time?

11 – Lewis Hamilton

Hamilton conquistou o mundo quando entrou na cena da F1, e seu talento bruto e velocidade pura são nada menos que incríveis. Ele poderia indiscutivelmente ser nomeado o piloto de F1 mais rápido em toda a história, e enquanto ainda era um piloto novato, ele superou o campeão mundial na época.

Ele tem 188 partidas, 53 vitórias, 104 colocações no pódio, 61 pole positions e 31 voltas mais rápidas ao seu nome, juntamente com três vitórias no campeonato. Estas estatísticas impressionantes provam que Hamilton pode ser o melhor piloto desta geração.

10 – Sebastian Vettel

Este driver estabeleceu vários recordes no que diz respeito a ser o piloto mais jovem a atingir certos feitos. Isso inclui tornar-se o piloto mais jovem a vencer o Campeonato Mundial de Pilotos e, em seguida, passar a ser o mais jovem, triplo e quádruplo campeão mundial da história da F1.

Imparável quando colocado na pole position em um carro competitivo, com liderança já na primeira curva, Vettel marcou 178 partidas, 42 vitórias, 86 colocações no pódio, 46 ​​pole positions e 28 voltas mais rápidas. Muitos acreditam que ele está definido para ser o Senna desta geração.

9 – Sir Jackie Stewart

Apelidado de uma das maiores figuras do automobilismo e conhecido como o Escocês Voador, Stewart foi o número um inquestionável durante seus primeiros anos.

Ele teve 99 largadas, 27 vitórias, 43 colocações no pódio, 17 pole positions e 15 voltas mais rápidas – e ele ganhou três campeonatos. A melhor parte é que Stewart não era apenas um piloto, ele também fez campanha pela segurança e desempenhou um grande papel na redução do número de fatalidades na F1 e na redução da probabilidade de acidentes vitais durante a sua carreira de piloto de F1.

8 – Nelson Piquet

Opiniões divididas foram formadas sobre este piloto, em grande parte devido a uma mudança repentina na percepção de sua carreira com o passar do tempo. Por um breve período, em meados dos anos 80, Piquet foi considerado o melhor piloto do seu tempo, mas pouco depois, o seu stock começou a cair e ele praticamente desapareceu apesar de ganhar 3 campeonatos com três carros e pneus diferentes.

Com 204 largadas, 23 vitórias, 60 colocações no pódio, 24 pole positions e 23 voltas mais rápidas, é uma pena que Piquet não tenha o reconhecimento que merece.

7 – Niki Lauda

Um verdadeiro gênio na estrada, Lauda é o único piloto que foi campeão dos dois construtores de maior sucesso na F1, Ferrari e McLaren. Ele teve admirável dedicação e amor pelo esporte, mostrado quando chocou o mundo ao retornar à pista apenas 42 dias depois de um acidente de corrida quase fatal com queimaduras ainda frescas e não cicatrizadas em sua pele.

Lauda acumulou 171 partidas, 25 vitórias, 54 colocações no pódio, 24 pole positions, 24 voltas mais rápidas e 3 vitórias em campeonatos em sua carreira.

6 – Alain Prost

Prost é um dos pilotos mais subvalorizados e subestimados da história da F1 e é injustamente considerado o segundo melhor após Senna, com quem ele compartilhou uma rivalidade feroz. No entanto, muitos pilotos perdiam o uso efetivo e eficiente da estrada para Prost, já que sua performance era sempre estelar, apesar do fato de que ele nunca parecia estar tentando.

Suas estatísticas de carreira incluem 199 largadas, 51 vitórias, 106 colocações no pódio, 33 pole positions, 41 voltas mais rápidas e 4 vitórias no campeonato, das quais muitos dizem que ele mereceu mais.

5 – Jim Clark

Indiscutivelmente um dos pilotos mais naturalmente talentosos de todos os tempos, o estilo esportivo manso e cavalheiresco de Clark ao lado de sua capacidade de se adaptar a carros problemáticos e aproveitar ao máximo de cada situação faz dele o maior piloto de sua época.

Suas habilidades de condução foram recordes na época e acumulou 72 largadas, 25 vitórias, 32 colocações no pódio, 33 pole positions e 28 voltas mais rápidas durante sua carreira. Ele também levou para casa o título de campeão em dois eventos do Grande Prêmio da Fórmula 1.

4 – Fernando Alonso

Começando no cenário das corridas de kart desde os três anos de idade, Alonso ganhou três campeonatos consecutivos de kart na Espanha antes de saltar para o mundo da F1 em 2001. Apesar das autoproclamações de que ele não é nem o piloto mais rápido nem o mais talentoso da Fórmula 1, a consistência e a confiabilidade de Alonso na pista são surpreendentes, e sua capacidade de trabalhar de maneira excelente com qualquer carro, mesmo com problemas, lhe rendeu uma grande reputação.

Ele tem 273 partidas, 32 vitórias, 97 pódios, 22 pole positions e 22 voltas mais rápidas – e ele ganhou dois campeonatos de F1.

3 – Michael Schumacher

Encontrando sucesso em um momento em que a competição era sem dúvida a mais difícil de todas, o talento e o trabalho duro de Schumacher serviram bem e renderam conquistas que redefiniram o que é possível no cenário das corridas. Ele detém vários recordes e é o único piloto na história da F1 a terminar entre os três primeiros em todas as corridas de uma temporada.

Ele é sete vezes campeão de Fórmula 1 e detém um total de 306 partidas, 91 vitórias, 68 pole positions e 77 voltas mais rápidas. O site oficial da Fórmula 1 afirma que ele é, estatisticamente, o maior piloto que o esporte já viu.

2 – Juan Manuel Fangio

Esta incrível habilidade do piloto de F1 argentino foi tão impecável que ele ganhou o apelido de El Maestro (O Mestre). Ele estabeleceu recordes que podem nunca ser superados com uma porcentagem de vitórias de 46,15%. Fangio competiu em 51 GPs de F1, vencendo 24, estabelecendo 28 pole positions e conquistando 23 voltas mais rápidas.

Ele também ganhou cinco campeonatos mundiais dentro de sete temporadas de F1. Ele está no Hall da Fama de F1 e muitos o apelidaram de o maior piloto de F1 de todos os tempos.

1 – Ayrton Senna

Considerado por alguns como o maior piloto de F1 de todos os tempos, Aryton Senna venceu três campeonatos de Fórmula 1 para a McLaren durante sua vida. A incrível dedicação e habilidade que Senna possuía permitiram que ele encontrasse velocidade em todas as partes da pista de corrida e a utilizasse a seu favor.

Senna faleceu quando seu carro bateu na barreira de concreto durante o Grande Prêmio San Mario de 1994 na Itália. Mas com 161 grandes prêmios, 41 vitórias e 65 pole positions em seu nome, Senna é nada menos que uma lenda – e essa lenda continua viva.

O talento, a habilidade e a coragem inabalável que esses pilotos demonstraram tornaram a Fórmula 1 ainda mais empolgante e emocionante para os fãs de todo o mundo. Esses nomes ficarão na história e servirão de inspiração para as futuras gerações de motoristas nos próximos anos.

Listas

Hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020: Conheça o top 10

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Hatches fracassos de vendas

Com início da pandemia de coronavírus, alguns setores comerciais foram afetados, e o automotivo foi um deles, o que talvez contribua para o resultado do nosso levantamento que mostra quais foram os hatches fracassos de vendas no Brasil até agora. 

Embora modelos hatches sejam a preferência da maioria dos brasileiros, como ocorre em diferentes setores, existem os modelos preferidos e aqueles que são renegados. 

Mostraremos agora aqueles que são considerados os 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 até agora. Será que você consegue adivinhar quais são eles? 

Confira na leitura desse artigo mais do que imperdível que os especialistas do Senhor Carros prepararam exclusivamente para você!

10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020

Mostraremos agora a lista com aqueles que são considerados os 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020. 

10. Volkswagen Fox

O Volkswagen Fox é o primeiro dos 10 hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020. 

O modelo que inclusive está na lista de dispensas da Volkswagen para deixar de ser produzido ainda agrada bastante os público brasileiro. 

Volkswagen Fox
Volkswagen Fox

O Hatch “alemão” possui apenas motorização 1.6 e está disponível atualmente em duas versões: Connect e Extreme. 

Se compararmos com números antigos, as vendas do modelo não deixam de ser um fracasso. Apenas 10.097 unidades foram comercializadas até agora em 2020.

9. Fiat uno

Aqui temos outro hatch que embora seja muito apreciado pelos brasileiros, tanto por conta de sua compactabilidade quanto por sua economia. 

Fiat uno
Fiat uno

O modelo que já foi o chefe de vendas da Fiat, hoje não é a mais a estrela principal, mas não deixa de ser uma boa opção para famílias pequenas ou então para os solteiros. 

Até agora em 2020, apenas 7.274 unidades do Fiat uno foram emplacadas. 

8. Toyota Etios

O Toyota Etios é mais um entre os hatches fracassos de vendas em 2020. O modelo que conta com duas opções de motor e câmbios automático e manual é um bom veículo, tanto para usos urbanos, quanto para deslocamentos em rodovias. 

A potência do motor agrada e ainda existe a baixa visibilidade de roubos, o que faz com que seu seguro seja mais barato do que muitos outros modelos. 

Toyota Etios
Toyota Etios

Entretanto o Etios realmente não caiu nas graças dos brasileiros e seus números de vendas deixam isso ainda mais explícito, afinal, foram apenas 5.562 unidades vendidas. 

7. Nissan March

O Nissan March é hoje considerado o modelo de entrada da montadora nipônica no mercado automotivo brasileiro. 

O Hatch é mais um dos compactos repletos de qualidade. Equipado com um motor 1.0 de 3 cilindros, o March conta com bastante tecnologia embarcada, o que o torna, na opinião dos especialistas um modelo que praticamente não apresenta problemas.

Nissan March
Nissan March

O modelo ainda possui opções de câmbio automático e manual, capaz de render bem em estradas e cidades com bastante economia. Mas seus números, demonstram o fracasso: Apenas 2.208 unidades comercializadas. 

6. Peugeot 208

Os carros da Peugeot geram dois sentimentos nos motoristas: Ou você ama ou você odeia. A tecnologia francesa é pouca aberta, o que torna reparos mecânicos muito caros quando necessários. 

O Peugeot 208 conta atualmente com duas opções de motor, um 1.2 Puretech Flex de três cilindros capaz de gerar 90 cavalos com etanol, com boa força e torque em baixa rotação.

Peugeot 208
Peugeot 208

O outro é um 1.6 flex de quatro cilindros, atualizado, capaz de gerar 118 cavalos com etanol. O motor 1.2 é equipado com câmbio manual, enquanto no 1.6 só há opção de câmbio automático.

O atual fracasso de vendas do Peugeot 208 já era esperado, pois uma nova versão, totalmente renovada é esperada ainda esse ano por aqui. Ao todo, o modelo vendeu apenas 1140 unidades em 2020. 

5. Citroen C3

Na quinta posição, temos mais um carro de origem francesa que causa receio em muita gente por conta do surgimento de possíveis problemas que não são nada baratos de resolver. 

Na parte de motorização, o modelo dispõe duas opções de motor, uma 1.2 flex de três cilindros, capaz de render 90 cavalos com etanol e outra 1.6 também flex, mas com quatro cilindros, capaz de render até 118 cavalos. 

O Citroen C3 conta ainda com 3 versões distintas: Attraction 1.2 com câmbio manual; Attraction 1.6 com câmbio automático e Urban Trail 1.6 com câmbio automático.

Citroen C3
Citroen C3

Não é de hoje que as vendas do hatch francês não são boas. Na Europa, o veículo passou por uma profunda alteração visual, tornando-o bastante atrativo, mas de acordo com a montadora, a mudança não vai chegar ao Brasil. 

Os números de venda do modelo são vergonhosos. Até agora, apenas 583 unidades foram vendidas em 2020.

4. Mini Cooper

O Mini Cooper é um dos carros mais emblemáticos à venda no Brasil e realmente chama atenção por onde passa. 

O modelo é conhecido por uma ótima relação de peso X potência, pois é leve e potente ao mesmo tempo. 

Compacto e valente ele é uma ótima opção para uso urbano esporádico, pois sua potência, distância entre-eixos e controles de estabilidade e tração tornam seu uso em rodovias muito mais divertido. 

Mini Cooper
Mini Cooper

O Mini Cooper possui atualmente duas opções de motor. um 1.5 turbo de três cilindros e um 2.0 turbo de quatro cilindros. Ambos são movidos somente à gasolina e geram 136 e 192 cavalos respectivamente.

Entretanto, por conta de seu elevado preço, o Mini Cooper é um carro para poucos, o que diante do cenário de crise, o torna mais um fracasso de vendas. Até agora, apenas 335 unidades foram vendidas. 

3. Kia Rio

O Kia Rio é um desconhecido de muita gente. 

O modelo que é produzido no México e importado pra cá, foi lançado em janeiro, mas realmente não caiu nas graças dos brasileiros. 

Equipado com muitos itens de série, o Kia Rio tem sob o capô um motor 1.6 16V de quatro cilindros, flex capaz de gerar até 130 cavalos quando abastecido com etanol. O câmbio é automático de seis marchas. 

Kia Rio

Entretanto, a pouca confiança do brasileiro na marca e o alto preço do modelo, fizeram as vendas empacarem. Ao todo, somente 172 unidades do Kia Rio foram comercializadas. 

2. Audi A3

O Audi A3 já foi um modelo um tanto quanto popular anos atrás e disputava de maneira ferrenha a mesma classe de motoristas que gostava do Golf.

Com o passar dos anos, o hatch da marca alemã foi evoluindo em termos de mecânica e tecnologia embarcada, o que fez com que seus valores ficassem muito mais elevados do que o modelo da Volkswagen. 

Audi A3
Audi A3

O modelo é equipado com um motor 1.4 TFSI Flex de 150 cavalos, tanto com etanol, quanto gasolina. O câmbio é um tiptronic automático de seis velocidades. 

Embora salte aos olhos em termos de beleza, seja potente e recheado de tecnologia, o preço realmente é um impeditivo. Tanto que o A3 é mais um entre os hatches fracassos de vendas, com apenas 119 unidades vendidas. 

1. Fiat Palio

E na primeira posição dos hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 temos o Fiat Palio. 

Embora o modelo tenha sido descontinuado, ainda é possível encontrar algumas unidades à venda em concessionárias espalhadas pelo Brasil, e foi exatamente isso que aconteceu. 

Fiat Palio
Fiat Palio

Com uma histórico de bons números de vendas, o modelo que pode ser uma boa opção para o momento de crise pelo qual estamos passando registrou em 2020 o número de apenas uma unidade vendida, e por isso levou medalha de ouro em nossa lista. 

Conclusão

A exemplo do mercado de SUVs, o mercado dos hatches é um tanto quanto competitivo. Enquanto uns modelos se destacam, outros são totalmente jogados ao esquecimento. 

Depois de conferir a nossa lista daqueles que são os hatches fracassos de vendas no Brasil em 2020 que tal descobrir quais são os modelos chineses que os brasileiros mais gostam?

Para conferir, é só clicar no botão abaixo:

Continuar Lendo

Em Alta