Siga nas Redes Sociais

Artigos

Fatos que você não pode deixar de saber sobre segurança no trânsito

Por

Senhor Carros 

| Publicado em

Acidentes de trânsito se tornaram tão frequentes que é difícil encontrarmos alguém que nunca se envolveu em uma batidinha sequer. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), 1,25 milhão de pessoas morrem por ano vítimas de acidentes de trânsito no mundo. De acordo com um ranking elaborado pela OMS em 2013, o trânsito no Brasil é o 56º mais perigoso do mundo. Por isso, devemos ficar cada vez mais atentos ao dirigir nossos veículos.

Motocicletas são os veículos mais perigosos de se conduzir

Segundo o Mapa da Violência no Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos, para o ano de 2012 tivemos uma morte por causa de acidente de trânsito a cada 12 minutos, totalizando mais de 40 mil mortos no país. Do total das vítimas fatais, 40% estavam em motos, 25% eram pedestres ou ciclistas, 18% eram motoristas de carro, ônibus ou caminhão, e 17% eram passageiros. O fato das motos liderarem esse ranking se dá devido à altíssima vulnerabilidade dos motociclistas. As motos andam praticamente a mesma velocidade que os carros, mas com a diferença de que nos carros, os motoristas estão protegidos por toda a estrutura do veículo, airbags, cinto de segurança, etc. Já nas motos, não há nenhum desses itens, o que deixa os motociclistas muito vulneráveis em qualquer tipo de acidente.

O grande vilão dos acidentes de trânsito é o próprio motorista

Há quem aponte a causa como estradas esburacadas, falta de ciclovias, sinalizações precárias ou carros sem sistemas de segurança. No entanto, o único ponto que a OMS julga inadequado no Brasil, é que em algumas grandes cidades existem vias urbanas com limite de velocidade em 80km/h (enquanto a OMS recomenda velocidade máxima em vias urbanas de 50 km/h). Portanto, o maior problema não está na nossa infraestrutura e sim, nos motoristas. De acordo com o Observatório Nacional de Segurança Viária, 98% dos acidentes são causados por erro humano, conforme detalhado no infográfico abaixo.

Fiscalização para cumprir as leis de trânsito

A alta porcentagem de acidentes causados por erro humano é explicada por um estudo recente do Centro de Pesquisa Jurídica Aplicada da Fundação Getulio Vargas, que diz que 82% dos brasileiros acham fácil desobedecer às leis no país.

A conclusão que podemos tirar destes números é que o trânsito brasileiro é extremamente perigoso e os responsáveis (e irresponsáveis) pela grande maioria das fatalidades são os próprios motoristas. Já que grande parte dos brasileiros acha fácil desobedecer à lei, uma fiscalização eficiente deveria fazer com que os motoristas abandonassem as condutas de risco até que a postura responsável se tornasse automática. Isso aconteceu com o cinto de segurança, que precisou de multas ou de alertas extremamente irritantes por falta de uso nos veículos mais modernos para que seu uso caísse na rotina dos motoristas, permitindo assim, que a segurança de todos seja reforçada.

ANÚNCIOS

Em Alta