Artigos

Chevrolet Tracker 2020: Rumo à liderança do segmento

por

Murilo C.

Publicado em

Em 2019, O Chevrolet Tracker que rodava nas ruas brasileiras era importado do México e seus números não foram positivos, o SUV ocupou apenas a 11ª posição dentre os mais vendidos do Brasil, com pouco mais de 16 mil emplacamentos, ficando muito longe do líder do segmento no período, o Jeep Renegade, que vendeu quase 4 vezes mais. 

Chevrolet Tracker 2020

Entretanto, a General Motors está disposta a virar o jogo e está muito otimista com a chegada da nova geração do Tracker. O modelo 2020 é fabricado em São Caetano do Sul – SP e usa a mesma base do Onix e do Onix Plus, com isso a montadora se propôs uma meta mais do que ambiciosa: Alcançar a liderança do setor. 

Hoje, iremos fazer uma análise do Chevrolet Tracker, mostrar o que há de novo e por fim, iremos concluir se o veículo consegue chegar à liderança de seu segmento. Não deixe de conferir!

ANÚNCIOS

História do Chevrolet Tracker é marcada por idas e vindas

A história do SUV no Brasil é marcada por uma série de idas e vindas, lançamentos e interrupções de produção. O modelo nasceu como um SUV totalmente “raiz”, com um motor turbodiesel e tração 4X4

Lançamento em 2001

O Chevrolet Tracker debutou no Brasil em 2001, ou seja, 19 anos atrás. Na ocasião, o modelo era produzido na Argentina e era a versão da General Motors do Suzuki Grand Vitara. Ambos os modelos, inclusive, eram produzidos na mesma fábrica, na cidade argentina de Rosário. 

Chevrolet Tracker
1ª geração do Chevrolet Tracker

Na época, a GM possuía 20% das ações da Suzuki e o modelo contava com um motor 2.0 produzido no Japão, pela Mazda (uma confusão de marcas, não é mesmo?) que gerava 87 cavalos de potência e funciona com um câmbio manual de cinco marchas. 

Como citado, o Tracker era um SUV raiz e era na terra que ele se mostrava realmente funcional. Seus ângulos de suspensão, assim como a tração 4×4 fazia do modelo uma ótima opção para fazendeiros. 

Em 2002 o modelo o motor Mazda foi substituído por um propulsor produzido pela Peugeot, também turbodiesel, mas com 108 cavalos. Com a mudança, o Tracker ganhou em torque e em velocidades finais. 

Por causa do baixo volume de vendas, a importação do modelo foi interrompida em 2004. Mas dois anos depois, a montadora voltou a importar o modelo da Argentina, sendo assim, na virada de 2006 para 2007, o Chevrolet Tracker retornou ao mercado brasileiro, mas dessa vez, chegou com um motor 2.0 de 128 cavalos movido à gasolina, para enfrentar o EcoSport 4WD e Mitsubishi TR4.

Mesmo com 20 cavalos a mais, o modelo sofreu modificações em sua relação de marchas, acarretando em redução de torque, o que fez com que perdesse qualidades na terra, mas passou a ter melhor desempenho urbano e rodoviário. No ano de 2009, o modelo mais uma vez foi retirado do mercado brasileiro. 

Segunda geração chegou em 2013

A segunda geração do Chevrolet Tracker chegou em 2013. O modelo deixou de ser importado da Argentina, passando a vir diretamente do México. 

O novo modelo passou então a ser equipado com um motor 1.8 Flex com até 144 cavalos (o mesmo usado pelo Cruze) e câmbio automático de seis velocidades. O visual sofreu grande e bela modificação. 

Chevrolet Tracker
2ª geração do Tracker

O maior empecilho da segunda geração foi o preço. Importado apenas nas versões Top de linha (Freeride e LTZ), o Tracker não foi capaz de brigar com seu principal concorrente: O Ecosport.

Em 2017, após uma reestilização simplória das linhas externas, o SUV ganhou motor 1.4 turbo Flex que alcançava 153 cavalos com etanol, e câmbio de seis velocidades.

Agora em 2020, o Chevrolet Tracker chegou a sua terceira geração. 

Promessa: Mais acessível, inovador e tecnológico

Chevrolet Tracker
Chevrolet Tracker 2020

No começo de março, o Chevrolet Tracker 2020 chegou às concessionárias brasileiras e muitos gostaram do que viram. Maior, com mais tecnologia embarcada e disponível em volumes maiores do que quando era importado, o “novo” SUV chegou com preços sugeridos que variam entre R$ 82 mil e R$ 112 mil com cinco versões diferentes, duas opções de motor e duas opções de câmbio. 

Com essa flexibilização de versões e preços, a promesso do Chevrolet Tracker 2020 é direta: Ser mais acessível e tecnológico. 

Em seu passado, o Chevrolet Tracker sempre acabou superado por seus principais concorrentes. Mais precisamente no ano de 2004, o modelo da GM declarou guerra ao EcoSport, e embora fosse mais robusto e detentor de maior qualidade, acabou ficando por trás por conta do preço. História que provavelmente não se repetirá novamente. 

Entretanto, é preciso dizer que o coronavírus foi um entrave no lançamento, que ocorreu com mais força no mundo virtual do que nas ruas. Por conta disso, a mídia especializada ainda não pôde ver o carro ao vivo, tampouco dirigi-lo. 

Muitos têm dito que o Chevrolet Tracker é a versão SUV do novo Onix, trazendo inclusive, algumas novidades que foram introduzidas no fim do ano passado no compacto hatch da montadora. 

Motor 1.2 turbo

Em versões mais baratas, motor e câmbio do novo Chevrolet Tracker, são os mesmos usados no Onix, mas com uma calibragem específica: 1.0 turbo flex de 3 cilindros,  com até 116 cavalos de potência com câmbio manual ou automática de 6 marchas. 

Chevrolet Tracker 2020
Motor 1.2 turbo inédito

Já as versões mais caras, são equipadas com um inédito motor 1.2 turbo, também com três cilindros, bicombustível com câmbio automático de 6 velocidades. 

Outra novidade é o sistema Start-stop, que desliga automaticamente em paradas rápidas com a finalidade de contribuir na economia de combustível. De acordo com a GM, ambos os motores são os mais econômicos dentre todos os SUVs compactos. 

Painel semelhante ao do Onix

No que diz respeito ao interior, o painel de instrumentos é praticamente o mesmo utilizado pelo novo Onix, amas a tela do computador de bordo é colorido. Além disso, de acordo com a GM, o painel foi levemente deslocado (cerca de 7 graus) na direção do motorista, para passar a sensação de maior domínio de direção, ou seja, a posição mais elevada de dirigir, muito apreciada por proprietários de SUV. 

Chevrolet Tracker 2020
Painel remete ao do Onix Plus

Segurança levada a sério

No que diz respeito à segurança e conectividade, o Chevrolet Tracker 2020 está recheado de novidades. Todas as versões contam com 6 airbags, além de controles de tração e estabilidade. 

A opção LTZ 1.2, conta ainda com alerta de ponto cego. Já a versão top de linha, o modelo agrega dois itens inéditos na categoria o alerta de colisão e frenagem automática de emergência. 

Além disso, outros itens presentes no Chevrolet Tracker são:

  • Assistente de partidas em subidas;
  • Vetorização de torque;
  • Isofix;
  • Luzes de posição de Leds;
  • Rodas de liga leve de 16 polegadas;
  • Rack de teto;
  • Sensores de estacionamento;
  • Volante multifuncional;
  • Ar condicionado digital automático de uma zona;
  • Teto solar panorâmico;
  • Sistema de estacionamento semi autônomo.
Chevrolet Tracker 2020
Chevrolet Tracker preza pela segurança

Nas versões mais completas, o utilitário conta ainda com chave presencial, partida do motor por botão e controlador de velocidade de cruzeiro.

Conectividade é grande diferencial

O grande diferencial (e promessa) é a conectividade. O Chevrolet Tracker 2020 conta com um central multimídia MyLink com tela sensível ao toque de 8 polegadas, com internet 4G dedicada, equipada com roteador wi-fi e sistema de acesso remoto OnStar, os mesmos utilizados no Cruze e no Onix. 

Os pacotes de dados são da operadora Claro e devem ser pagos à parte, com valores que partem de R$ 29,90 (2 GB) e podem chegar a R$ 84,90 (20GB).

Chevrolet Tracker
Chevrolet Tracker 2020 conta com conexão Wi-Fi

Ficha técnica

Confira agora a Ficha técnica do Chevrolet Tracker 2020

Motorização e câmbio

O Chevrolet Tracker 2020 conta com dois motores. 

  • 1.0 turbo flex de três cilindros – 116 cavalos
  • 1.2 turbo flex de três cilindros  – 133 cavalos 

É possível escolher entre o câmbio manual e o automático, ambos de seis marchas. 

Consumo de combustível

Motor 1.0 com câmbio manual

  • Uso urbano: 9 km/l com etanol;
  • Uso rodoviário: 10,4 km/l com etanol;
  • Uso urbano: 13 km/l com gasolina;
  • Uso rodoviário: 14,8 km/l com gasolina.

Motor 1.0 com câmbio automático 

  • Uso urbano: 8,2 km/l com etanol;
  • Uso rodoviário: 9, 6 km/L com etanol ;
  • Uso urbano: 11,9 km/l com gasolina;
  • Uso rodoviário: 13,7 km/l.

Motor 1.2 com câmbio automático 

  • Uso urbano: 7,7 km/l com etanol;
  • Uso rodoviário 9,4 km/l com etanol;
  • Uso urbano: 11,2 km/l com gasolina;
  • Uso rodoviário: 13,5 km/l com gasolina.

Dimensões

  • Comprimento: 4,27 m;
  • Altura: 1,62 m;
  • Largura: 1,79 m;
  • Distância entre eixos: 2,57 m;
  • Volume do porta-malas: 393 litros.

Conclusão

Chegamos então ao fim do nosso review do chevrolet Tracker 2020 e já gostaríamos de perguntar qual é  sua opinião? Assim como nós você acredita que o novo SUV da GM é capaz de assumir a liderança do segmento ou acha que a montadora está sendo otimista demais? 

As novidades do ponto de vista tecnológico, de segurança e principalmente de motorização chamam atenção. Aliado a isso, é preciso ter em mente que os valores praticados, agora estão dentro da realidade, podendo tornar o Tracker 2020 um forte concorrente dentro da sua categoria. 

Depois de saber tudo sobre o novo Chevrolet Tracker 2020 que tal ficar por dentro das novas especificações do seu irmão menor, o Chevrolet Onix Plus, que é líder de sua categoria há pelo menos cinco anos e que certamente irá dominar o mercado?

Para ler a análise que o Senhor Carros fez desse pequeno notável, basta clicar aqui

Redator especialista em carros, se identifica com conteúdos relacionados a lançamentos e análises de veículos e acredita que compartilhar conhecimento na área ajuda todos a tomarem melhores decisões em busca do veículo ideal para cada tipo de perfil.

Listas

Não feche negócio: 10 Carros 0km que você deve evitar

Não feche negócio antes de ler esse artigo com os 10 carros 0km que você deve evitar de comprar!

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Você já parou para pensar que existem carros 0km que você deve evitar? Parece louco, mas é a pura verdade. Existe uma série de modelos que não devem ser comprados por uma série de motivos.

Pensando em te manter informado nós do Senhor carros separamos 10 modelos de carros 0km que você não deve comprar. As razões são as mais distintas e vão desde incerteza de continuidade até o preço em si. 

Carros 0km que você deve evitar

Se você está prestes a comprar um carro aqui vai um aviso: Não feche negócio antes de ler o artigo de hoje. Ele pode salvar o seu bolso! 

10 carros 0km que você deve evitar

Conheça agora quais são os 10 carros 0km que você deve evitar. 

10. Mitsubishi ASX

O Mitsubishi ASX é um carro legal que muita gente gosta, mas é preciso dizer que ele parou no tempo. 

O modelo é produzido há dez anos sobre a mesma plataforma e mesmo com reestilizações, ainda tem um design ultrapassado perante aos seus rivais e até mesmo quando comparados a outros modelos da marca. 

Mitsubishi ASX
Mitsubishi ASX

O acabamento é um tanto quanto simples para o seu valor. Além do mais, proprietários afirmam que o motor 2.0 Flex deixa a desejar e o pós-venda tem fama de complicado.Por fim, o preço também um tanto quanto salgado.

Existem outras opções no mercado que são mais espaçosas e mais acessíveis em termos financeiros como é o caso do Jeep Compass e o Volkswagen Tiguan Allspace. 

9. Chery New QQ

O New QQ já não pode mais nem se valer de ser o carro mais barato do país, já que o Moby é agora o detentor desse título. 

O New QQ tem uma estrutura frágil, motor fraco e sua manutenção tem fama de ser complicada. Além disso a montadora já confirmou que 2020 é o fim da linha para o modelo. 

Chery New QQ
Chery New QQ

Tão ruim quanto comprar um New QQ 0km é ter que vendê-lo no futuro. Por isso, se você tem amor ao seu dinheiro não compre os modelos remanescentes nas concessionárias por mais que isso possa parecer um bom negócio. 

8. Volkswagen Fox

Você deve estar pensando: Essa galera do Senhor Carros está louca. O Fox é um carrão! Sim… Não há dúvidas quanto a isso e vamos mostrar porque o modelo está nessa lista. 

O Volkswagen Fox ficou um pouco deslocado na linha da marca depois da chegada do Up e do Polo. O Fox hoje é vendido em três versões que vão de  R$ 51 mi a R$ 56 mil. 

Volkswagen Fox
Volkswagen Fox

Só que o Polo que é muito mais moderno e mais prazeroso de pilotar, tem preço inicial na faixa dos R$ 53 mil.  

Mesmo a versão 1.6 MSI do Polo que sai por R$ 61 mil acaba tendo melhor custo benefício por conta da tecnologia e segurança e novidades estruturais. Além disso, há rumores fortes que o Fox saia de linha já em 2021.

Ter nas mãos um carro obsoleto e fora de linha é prejuízo na certa. Por isso, o ideal é evitá-lo. 

7. Nissan March

Aqui temos um motivo direto para você evitar o Nissan March 0km: 2020 é o último ano do modelo. A Nissan já confirmou que ele sai de linha. 

O modelo já vinha meio esquecido pela Nissan há algum tempo. Além do mais seu preço era um tanto quanto salgado com valores entre R$ 51 mil e R$ 56 mil. 

Nissan March
Nissan March

Seria um negócio muito melhor comprar o sedã que usa a mesma plataforma e tem ainda um porta-malas maior e amplo espaço interno. Isso sem contar que é uma versão com menos desvalorização. 

6. Renault Duster

A reestilização do Renault Duster foi uma verdadeira vergonha e não apenas por isso que ele é mais um dos carros 0km que você deve evitar.

A montadora que estava prometendo mudanças drásticas à SUV fez apenas uma maquiagem no exterior e pouco mexeu no interior e na mecânica, tirando ainda uma das versões mais vendidas que era a 4x4. 

Renault Duster
Renault Duster

A nova versão conta apenas com um tipo de motor o antigo e defasado 1.6. Para o futuro se espera o 1.3 t turboflex que entrega um ótimo custo x benefício em termos de desempenho e consumo. 

5. Citroen

A exemplo do que ocorre com o Nissan March, o Citroen C3 parece ter sido abandonado pela montadora francesa. 

O modelo que é repleto de itens de série e preços relativamente acessíveis era um chamariz para diferentes perfis de consumidores. Mas seu futuro no Brasil ainda é incerto. 

Citroen
Citroen

Seguindo o padrão atual do mercado automotivo de crossover, o C4 Cactus deve ganhar as ruas ano que vem e com isso modelos mais antigos tendem a cair no esquecimento ou até mesmo saírem de linha.

Embora a Citroen não confirme há fortes rumores de que o C3 está próximo de ser descontinuado. 

4. Fiat Grand Siena

O Fiat Grand Siena é mais um entre os carros 0km que você deve evitar. 

O modelo possui valor de entrada na faixa dos R$ 50 mil equipado com motor 1.0 e custa cerca de R$ 56 mil com motorização 1.6. No entanto existe outro sedã da mesma marca e com custo X benefício muito mais atrativo.

Fiat Grand Siena
Fiat Grand Siena

 Estamos falando do Cronos. Que embora parta de valores na faixa de R$ 58 mil vem equipado com o moderno motor 1.3 FireFly muito mais econômico e com melhor dirigibilidade sem contar os diversos itens de série. 

O Siena é um modelo ultrapassado que dificilmente vai passar por um processo de renovação. Por isso deve ser evitado. 

3. Lifan X60

O Lifan X60 tem um custo x benefício melhor que muitos outros veículos que são concorrentes. Além disso parte de uma faixa de R$ 70 mil, muito mais em conta que seus concorrentes EcoSport e Tracker por exemplo.

Lifan X60
Lifan X60

O Lifan X60 também vem recheado de opcionais de série. Mas então por que ele é um carro a ser evitado?

Simples: Existem poucas concessionárias e o modelo tem fama manutenção cara e complicada. Além do mais o modelo tem uma liquidez ruim o que o desvaloriza muito mais do que seus rivais. Triste não é mesmo?

2. Fiat Doblò

o Fiat Doblò é mais um caso de carros que não devem ser comprados 0km. 

Na verdade, modelo é uma verdadeira incógnita. Trata-se de um projeto antigo e sem nenhum tipo de renovação com um motor antigo e pouco eficiente. Além do mais o modelo só possui opção de câmbio manual e acabamento extremamente simplório.

Fiat Doblò
Fiat Doblò

O Doblò é um carro que serve para trabalhar e também para famílias que tenham algum ente portador de necessidades especiais. O modelo é muito mal visto no mercado automotivo e tem grande desvalorização.

Além do mais anualmente o Doblò é colocado na lista dos carros que podem deixar de ser produzidos. Por isso não recomendamos. 

1. Chevrolet Tracker

O Tracker vem sendo amplamente elogiado e isso é correto, afinal o modelo é muito bom e tem muita qualidade. Entretanto não se trata de um modelo que deve ser comprado 0km. 

A justificativa são: preço, plataforma e comparação com um veículo da mesma marca.A versão de entrada do Tracker parte de R$ 85 mil. Já a versão top de linha do Onix Plus custa R$ 80 mil.

Chevrolet Tracker
Chevrolet Tracker

O Tracker e o Onix Plus usam a mesma plataforma e o mesmo motor. Enquanto o Tracker vem pelado, por R$ 5 mil a menos o Onix Plus vem completão.

Assim, se você está pensando em comprar um Tracker 0km reveja com calma e dê valor ao seu suado dinheiro. 

Conclusão

E na sua opinião? Além dos modelos que mostramos aqui tem mais algum modelo que não deve ser comprado 0km? Se sim, deixe um comentário pra gente contando qual é o modelo.

Depois de conhecer os modelos de carros 0km que você deve evitar, que tal conhecer modelos baratos que são exemplos de segurança? Para isso, é só clicar no botão abaixo!

Continuar Lendo

Em Alta