Viral

Os 42 carros mais econômicos no Brasil. Confira!

por

Senhor Carros

Publicado em

Possuir um carro é desejo de boa parcela dos brasileiros, a facilidade de locomoção, segurança e conforto fazem parte dos atributos desejados em possuir um veículo. Entretanto, há diversos gastos para manter um veículo próprio e estes nem sempre são colocados na ponta do lápis.

Saber sobre o custo de manutenção, seguro e consumo energético ajuda na hora de se planejar para manter um veículo na garagem.

Com base no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), o Senhor Carros listou “Os 42 carros mais econômicos no Brasil”. Todos os veículos da lista possuem o selo CONPET de eficiência energética. Para poder ostentar tal selo, o modelo tem que ser eficiente, não só comparado a modelos semelhantes da sua categoria (classificação relativa), mas também comparando a todos os demais modelos participantes do PBEV (classificação absoluta).

Escolher um veículo mais econômico pode ajudar muito na conta ao final de todo mês devido a sua eficiência energética.

Então, vire a página e confira!

ANÚNCIOS

42 – Mercedez-benz C180

A Classe C é uma linha de modelos compactos da Mercedes-Benz. Ela é oferecida em versão sedan, touring e coupe.

O C180 tem a capacidade de combustível de 66 litros e, devido ao seu câmbio automático e sua durabilidade, consome uma quantidade menor de combustível se comparado a outros modelos da montadora.

O consumo do Mercedez C180 na cidade é de 10,6 km/l e na estrada é de 14,4 km/l. Seu motor é 1.6-16v, mais bancos dianteiros com rebatimento parcialmente elétrico e efeito memória, quatro lugares e janelas traseiras elétricas.

Com injeção eletrônica de combustível direta, que permite uma queima mais inteligente, o que se reflete tanto em menor consumo e emissão de poluentes, quanto em maior eficiência, assim, permitindo melhor aproveitamento do combustível.

Mercedez C180
Mercedez C180

41 – Lexus NX300H

Da versão Luxury, o NX300H possui um consumo de 12,6 km/l na cidade enquanto consome 11,1 km/l na estrada. Sendo um carro híbrido, pode funcionar com gasolina ou eletricidade, e a célula a combustível é apontada atualmente como a mais provável tecnologia para se produzir carros de baixa emissão de poluentes, deixando ele bem econômico, com um consumo energético de 1,81MJ/Km.

Primeiro SUV híbrido da Lexus no Brasil, com o sistema híbrido em ação, a emissão de CO2 diminui em 26% e a redução do consumo de combustível dentro da cidade chega a 52% – segundo o Programa de Etiquetagem do Inmetro – um salto de eficiência em relação ao modelo equipado apenas com o motor a gasolina.

Lexus NX300H
Lexus NX300H

40 – Audi A5 Sportback

Da versão Attraction, o A5 Sportback possui um consumo de 11,0 km/l na cidade enquanto consome 13,4 km/l na estrada com um consumo energético de 1,81MJ/Km.

O motor 2.0 TFSI com versões de 190 e 252 CV, alinhado ao câmbio
S-Tronic de 7 velocidades, garantem a alta potência do Novo Audi A5 Sportback. A aceleração de 0 a 100 km/h da versão de 252 CV é feita em 6,0 segundos e a velocidade máxima é de 250 km/h. Além de todo esse desempenho, o Novo A5 Sportback é tido como um dos modelos mais eficientes de sua categoria, qualificado com selo “CONPET” de eficiência energética do Inmetro.

Audi A5 Sportback
Audi A5 Sportback

39 – Chevrolet Spin

Da versão MT LTZ, o Spin possui um consumo de 11,4 km/l na cidade enquanto consome 13,2 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,80MJ/Km.

A Chevrolet Spin – MT anda 9,4 km/L com álcool e 13,2 km/L com gasolina, ou seja, se o consumidor tem que ir e vir de um local onde a distância fica por volta de 10 km e o preço médio da gasolina está R$4 ele gastará cerca de R$8 de ida e volta. Mesmo com um motor potente de 1.8 dianteiro transversal, a Spin é um carro bastante econômico para a cidade e estrada.

A Chevrolet Spin possui a injeção eletrônica de combústivel multiponto, tecnologia de ponta que faz o seu trabalho a partir de softwares cada vez mais inteligentes que determinam o comando de distribuição do combustível. Aproveitando de maneira mais eficiente o combustível, favorecendo a potência, sem necessidade de recorrer a material resistente ao combustível.

Chevrolet Spin
Chevrolet Spin

38 – Chevrolet Cruze Sport6

Da versão LT HB AT, o Cruze Sport6 possui um consumo de 11,3 km/l na cidade e 13,6 km/l na estrada com um consumo energético de 1,80MJ/Km.

Com um motor 1.4 Ecotec Turbo SIDI Flex entrega 150 cv com gasolina e 153 cv com etanol, ambos a 5.200 rpm. Já os torques são de 24,0 kgfm no derivado de petróleo e 24,5 kgfm no produto da cana. Recursos estes que fazem do Chevrolet Cruze Sport6 um veículo de consumo bem adequado para quem deseja um carro econômico e bem equipado.

Acelerador eletrônico e injeção eletrônica multiponto sequencia os benefícios no consumo energético do carro dando a ele uma boa estabiliade, aproveitando a potência do motor deixando o combustivel ainda mais eficiente.

Chevrolet Cruze Sport6
Chevrolet Cruze Sport6

37 – Toyota Corolla

Da versão GLI, o Corolla possui um consumo de 11,4 km/l na cidade enquanto consome 13,2 km/l na estrada com um consumo energético de 1,79MJ/Km.

O motor 2.0 Dynamic Force tem quatro cilindros, 16 válvulas com comando variável inteligente e um novo sistema de injeção direta e indireta de combustível, que oferece mais potência e menor consumo.

Esses sistemas benefeciam o veículo em seu mecanismo, dando proeficiência para mecânica do carro. Mesmo o motor sendo bastante potente, o sistema de injeção elétrica faz com que o motor consuma uma quantidade consideravel de combustível para chamar de “econômico”, já que está em nossa lista.

O Corolla é um veículo com inúmeros recursos, perfeito para todas as vias – cidades, estradas, entre outras – e com estes recursos ele une conforto, segurança e economia de consumo.

Toyota Corolla
Toyota Corolla

36 – Mercedes-benz CLA180

Da montadora Mercedez-benz, o CLA180 possui um consumo de 11,2 km/l na cidade enquanto consome 13,7 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,78MJ/Km.

O Mercedes-Benz CLA 180 2018 chega com motor 1.6 Turbo de 122 cv e 20,4 kgfm entre 1.250 e 4.000 rpm, menos que os 156 cv e 25,5 kgfm oferecidos pela versão CLA 200. Mecânica essa que faz da Mercedes uma excelente montadora.

Já que seu consumo na cidade por L é de 11,2k, e hipoteticamente, digamos que o condutar viva na cidade e vai para o trabalho que fica a 10Km de sua casa, baseado no preço atual do combustível e calculando sua ida e volta fica razoalvelmente econômico financeiramente, cabendo no bolso e ainda dependendo da rota do condutor ficaria ainda mais barato. O CLA 180 é um carro bem detalhado, seguro e completo.

Mercedes-benz CLA180
Mercedes-benz CLA180

35 – Mini Cabrio

Da versão Cooper S, o Cabrio possui um consumo de 11,3 km/l na cidade enquanto consome 13,7 km/l na estrada com um consumo energético de 1,77MJ/Km.

Seu motor 1.5 turbo de 136 cv e 22,4 kgfm. É aliado a um câmbio automático de dupla embreagem e sete marchas da Getrag, sem aletas para trocas no volante justamente por formar um conjunto sem pretensões esportivas.

Seu consumo na cidade é de 11,3 km/l e na estrada de 13,7 km/l. Entretanto, seu tanque é de 44Litros de combustível e seu porta-malas é de 215Litros. Então coloquemos uma família grande em um Mini Cabrio para uma viagem longa com o porta malas lotado. Mesmo o seu consumo na estrada ser excelente, devido ao peso que gera mais consumo, quantas vezes você acha que o condutor pararia para reabastecer? Então, o Cabrio é um veículo mais para vias sem muito peso, talvez com somente o condutor.

O modelo é de fato muito incrível, mas é bom pensar em todos os lados. Se deseja o Mini Cabrio, pense bastante no peso que for ingerido e caulcule com precisão os seus gastos tanto na cidade, quanto na estrada e aproveite.

Mini Cabrio
Mini Cabrio

34 – Susuki S-cross

Da versão 4STYLE ALLGRIP, o S-croos possui um consumo de 11,5 km/l na cidade enquanto consome 13,3 km/l na estrada com um consumo energético de 1,77MJ/Km.

É formado pelo motor 1.4 turbo de 146 cv e a transmissão automática de seis marchas com opção de trocas por meio de aletas atrás do volante. O ajuste do motor turbo não é feito para esportividade, e sim para economia. Não espere acelerações bruscas.

Se a dirigibilidade encanta, o consumo deixará o proprietário ainda mais feliz. Em um teste da revista auto esporte, o S-Cross marcou média urbana de 11,3 km/l e impressionantes 18,3 km/l na estrada — que lhe garantem uma autonomia de 860 km na estrada com o tanque cheio.

Susuki S-cross
Susuki S-cross

33 – Audi A4 Sedan

Da versão Attraction, o Audi A4 possui um consumo de 11,0 km/l na cidade enquanto consome 14,3 km/l na estrada com um consumo energético de 1,77MJ/Km.

Seu motor 2.0 turbo de 180 cavalos de potência é ótimo, e casa muito bem com o veículo. A potência não é tão impressionante assim, mas este motor 2.0 tem 32,6 kgfm de torque a partir de 1.500 rotações.

O nível de ruído interno do A4 Attraction é adequado para o segmento em que o modelo se encontra. A suspensão lida muito bem com curvas, mantendo a estabilidade. Só que o baixo nível de rotações não ajuda o consumo a ficar impressionante.

Porém, mesmo com sua potência, a sua injeção ajuda a manusea a mecânica de seu consumo e ele continua sendo um excelente carro, que bem arquitetado, pode ser muito econônico.

Audi A4 Sedan
Audi A4 Sedan

32 – Chevrolet Cruze

Da versão LT NB AT, o Cruze possui um consumo de 11,5 km/l na cidade enquanto consome 14,6 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,72MJ/Km.

No Brasil o Chevrolet Cruze de primeira geração foi equipado com o motor ECOTEC de 1,8 litros bicombustível de aspiração natural, rendendo 144 cv de potência e 18,9 kgfm de torque quando abastecido com etanol, já o LT NB, vem com a geração mais atual do propulsor LE2, que pertence à família SGE (Small Global Engine), que equipa entre outros o Chevrolet Tracker 2019 e o Buick Encore 2019.

Essa linha inclui ainda motores de três cilindros, tendo ainda versões 1.0 (Opel), 1.2 e 1.5, sendo esta última a bordo do Chevrolet Equinox 2019, que no Brasil tem somente motor 2.0 Turbo e custa a partir de a R$ 144.490.

Possuindo uma injeção eletrônica direta de combustível o Cruze se equilibra em sua mecânica e economiza bastante combustível, fazendo o veículo durar muito, com um bom cuidado do condutor.

O Chevrolet Cruze é um sedan médio apresentado pela General Motors na edição de 2008 do Salão de Paris. O preferido das Mulheres pela pesquisa da Revista (O Poder Feminino) de janeiro de 2016.

Chevrolet Cruze
Chevrolet Cruze

31 – Audi A3 Sedan

Da versão Attraction, o Audi A3 possui um consumo de 11,7 km/l na cidade enquanto consome 14,2 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,72MJ/Km.

Equipado com o moderno motor 1.4 turbo com injeção direta de combustível, ele gera 122 cv e tem torque máximo de 20,4 mkgf, disponíveis entre 1.400 e 4.000 rpm. 

A potência do seu motor – 1.4 – agrega em mantê-lo econômico já que gasta menos combustivel, porém um veículo com o motor 1.4 econômico é agregavel para vias urbanas e também para cidade, e como estamos falando do Audi A3 Sedan, falamos de economia em ótimas vias com uma bela aparência e um excelente conforto.

E sua injeção direta de combustível ajuda na economia do veículo, proporcionando queima de combustível inteligente e não emitindo poluentes, deixando mais eficiente gerando mais energia com uma queima bem organizada.

Audi A3 Sedan
Audi A3 Sedan

30 – Mini Cooper

Da versão S, o Cooper possui um consumo de 11,9 km/l na cidade enquanto consome 14,4 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,68MJ/Km.

O Mini Cooper 2019 emprega a série B de motores da BMW, composto pelos propulsores B38 1.5 TwinPower Turbo e B48 2.0 TwinPower Turbo. O primeiro entrega 136 cv e 23,5 kgfm. Já o segundo tem duas versões, sendo uma de 192 cv e 28,5 kgfm no Cooper S e 231 cv com 32,5 kgfm no John Cooper Works. Esta série de motores são excelentes componentes do tipo Dianteiro, Transversal, Turbo e Gasolina que proporciona um excelente consumo deixando o modelo bem econômico.

Sem contar que sua injeção elétrica de combustível é direta, que ajuda ainda mais no consumo energético do veículo reduzindo o seu consumo e administrando de forma precisa cada detalhe do combustível consumido.

Mini Cooper
Mini Cooper

29 – Honda Civic

Da versão TOURING, o Civic possui um consumo de 11,8 km/l na cidade enquanto consome 14,4 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,68MJ/Km.

Civic Touring tem um 1.5 turbo de 173 cv a 5.500 rpm, com  22,4 kgfm entre 1.700 e 5.500 rpm. Injeção elétrica direta, Câmbio automático continuamente variável (CVT), sete marchas simulada, sua nota no Inmetro é B. 

Na cidade, com o modo Econ ativado, foram registrados médias de 13 km/l com gasolina (o sedã não é flex; um de seus únicos pontos negativos, dependendo do preço dos combustíveis). Então, relativamente falando, o Civic Touring é um veículo econômico devido aos seus mecanismos, principalmente pela Injeção Direta. 

Honda Civic
Honda Civic

28 – Nissan New March

Da versão 10 Conforto, o New March possui um consumo de 12,9 km/l na cidade enquanto consome 15,0 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,57MJ/Km.

Assim como no modelo anterior, o compacto será oferecido nas motorizações 1.0 16V e 1.6 16V – esta segunda fabricada no mesmo complexo de Resende (RJ) onde o modelo é produzido. O motor 1.0 16V entrega 74 cv a 5.850 rpm e torque máximo de 10 mkgf a 4.350 rpm com etanol ou gasolina no tanque. Já o 1.6 16V chega aos 111 cv a 5.600 rpm independente do combustível escolhido.  

O motor beneficia a economia do consumo de combustivel, se tornando uma das peças principais para se encaixar em nossa lista. Tanto o 1.0, quanto o 1.6 são excelentes armazenadores de combustível, sem beber muito e rodando o suficiente para o conforto e para o bolso do condutor.

Seu consumo na cidade é de 12,9/L, o maior nessa lista até o momento, então o New March realmente é uma excelente proposta da montadora Nissan. Sua mecânica é mpecável e seu consumo na estrada também é de se admirar, sendo 15Km/L, e novamente o maior em nossa lista até agora. O New March é um carro de consumo totalmente econômico e é um ótimo palpite para quem deseja ter um veículo belo na garagem de ótima economia de consumo.

Nissan New March
Nissan New March

27 – Volkswagen Gol

Da versão (Rodas aro 14), o Gol possui um consumo de 13,3 km/l na cidade enquanto consome 14,4 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,56MJ/Km.

A versão mais em conta do Gol 2019 sai de fábrica com um motor 1.0 litro flex de três cilindros e 12 válvulas, que traz componentes feitos em alumínio, sistema de refrigeração independente para bloco e cabeçote, comando duplo variável de válvulas e sistema de partida E-Flex que dispensa o tanquinho auxiliar de gasolina para partidas a frio.

Ele consegue desenvolver 75 cv com gasolina e 82 cv com etanol, a 6.250 rpm, e torque de 9,7 e 10,4 kgfm, respectivamente, a apenas 3.000 rpm. Junto a este propulsor há um câmbio manual de cinco marchas.

O motor 1.0 do Gol 2019 é bem econômico, sendo um dos mais destacados do segmento e com Selo Conpet de eficiência energética. Rodando em torno de 3.000 rpm na estrada, se obtém um bom rendimento em consumo e força suficiente para manter o embalo nas ultrapassagens.

Sem duvida é o motor mais forte do segmento 1.0. O câmbio MQ-200 de cinco marchas é também muito bom, tendo engates curtos, suaves e precisos, uma marca registrada da Volks desde os anos 80.

Volkswagen Gol
Volkswagen Gol

26 – Chevrolet Onix

Da versão MT LT, o Onix possui um consumo de 12,9 km/l na cidade enquanto consome 15,3 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,56MJ/Km.

Um veículo excelente para estrada, se for sair para longe com a família ou amigos sugiro escolherem este modelo para o seu conforto, já que seu consumo na estrada é de 15,3 km/l, um número superior a todas outras versões do Chevrolet Onix e além de ser um veículo bastante seguro.


O novo Chevrolet Onix traz uma série de novidades sobre a segurança para motorista, passageiros e para o próprio veículo. Além dos 6 airbags, ele vem com controle eletrônico de estabilidade que auxiliam o condutor na direção do carro.    

Com as tabelas de consumo do Chevrolet Onix fica provado que o carro tem um consumo mediano. Nas versões mais atuais, com mais tecnologia e motores balanceados, há visível melhoria no consumo de combustível do Onix.

Chevrolet Onix
Chevrolet Onix

25 – Fiat Argo

Da versão 1,0, o Argo possui um consumo de 13,0 km/l na cidade enquanto consome 14,7 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,55MJ/Km.

O Fiat Argo 2019 vem equipado com três motores de duas famílias, sendo o Firefly a principal novidade. O propulsor modular faz parte da geração GSE do grupo FCA, que tem três cilindros com 1.0 litro ou quatro cilindros com 1.3 litro, ambos feitos em alumínio, mas com apenas duas válvulas por cilindro. Assim, o 1.0 6V entrega 72 cv com gasolina e 77 cv com etanol, ambos a 6.250 rpm. Este tem 10,4 kgfm com gasolina e 10,9 kgfm com etanol, ambos a 3.250 rpm.

Já o 1.3 Firefly Flex tem quatro cilindros e 8 válvulas, entregando 101 cv com gasolina e 109 cv com etanol, ambos a 6.250 rpm. Este tem 13,7 kgfm com gasolina e 14,2 kgfm com etanol, ambos a 3.500 rpm.

Com Injeção eletrônica de combustível muiltiponto, o Fiat Argo administra seu consumo de forma inteligente, na qual usa softwers para determinar a distribuição do combustível, deixando o veículo totalmente econômico e deixando ele ainda mais eficiente.

Fiat Argo
Fiat Argo

24 – Citroën C3

Da versão Origine, o C3 possui um consumo de 13,2 km/l na cidade enquanto consome 14,8 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,53MJ/Km.

A linha Citroën C3 é uma das mais tecnologicas do mercado, como possuir o seu computador de bordo e seu farol de neblina de exemplo. É um excelente carro para cidade, já que seu consumo é de 11,8/L e mesmo com a mecânica bem voraz ele é bem econômico e confortável.

Além de garantir tecnologia e conectividade a bordo, o Citroën C3 está equipado com o câmbio automático de 6 marchas que garante viagens mais suaves e econômicas, repletas de conforto para motoristas e passageiros. Tudo isso em modos SPORT e ECO, pensados para tornar a experiência de dirigir o Citroën C3 totalmente única.

Citroën C3
Citroën C3

23 – Volkswagen Voyage

Da versão (Rodas aro 14), o Voyage possui um consumo de 13,4 km/l na cidade enquanto consome 15,6 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,52MJ/Km.

O Voyage vem com o sistema ECO Comfort. Esse dispositivo está presente em todas as versões (com I-System) e orienta o motorista a dirigir de forma mais econômica, por meio de mensagens no painel (instrumento combinado), que podem ser selecionadas para aparecer tanto com o veículo parado como em movimento.  Segundo a Volkswagen, o novo motor proporciona alto torque em baixas rotações, permitindo alongar a relação de marchas em até 10%, reduzindo o consumo de combustível e proporcionando maior conforto em velocidades. Não é necessário ficar trocando de marchas o tempo todo.

Numa viagem mais longa, com um consumo médio na casa dos 20 km/l, é possível ter uma autonomia próxima dos 1.000 km sem precisar parar para o reabastecimento. Não é apenas o motor o segredo de tanta economia. O carro vem equipado com pneus “verdes”, de baixa resistência ao rolamento, com aumento na aplicação de sílica em sua composição. Na versão intermediária Comfortline, tem a medida 185/65 R14.

Volkswagen Voyage
Volkswagen Voyage

22 – Chevrolet Prisma

Da versão MT LT, o Prisma possui um consumo de 13,1 km/l na cidade enquanto consome 15,8 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,52MJ/Km.

Com um consumo urbano de 13,1km/l o Prisma economiza bastante combustível para vias onde possuem transito e muitas paradas. Uma excelente escolha de veículo para quem mora em cidade grande, sem contar que essa obra-prima da GM é muito bonita e confortável, unindo economia e luxo.

Com o lançamento da segunda geração, em 2012, o Prisma foi totalmente remodelado, deixando pra trás a plataforma do Celta e adotando a plataforma do Onix. Como uma grande atualização, o consumo de combustível do Prisma melhorou, principalmente para uso rodoviário – chegando a marca de 15,6 km/v na motorização 1.0. Dessa forma, o carro se consagrou como um econômico meio de transporte de 4 rodas, garantindo boas vendas.

Chevrolet Prisma
Chevrolet Prisma

21 – Renault Sandero

Da versão Authentique, o Sandero possui um consumo de 14,2 km/l na cidade enquanto consome 14,1 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,52MJ/Km.

A Renault fez nove modificações no motor 1.0 12V em relação ao 1.0 16V. O tricilíndrico tem duplo comando de válvulas variável, bloco em alumínio, comando de válvulas por corrente no lugar de correia, polias e aneis dos pistões com revestimento em carbono, resfriador de óleo, coletor de escapamento integrado ao cabeçote, biela fraturada, bomba de óleo de vazão variável e virabrequim forjado.  

Segundo a Renault, o novo motor SCe transformou o Sandero no hatch 1.0 mais econômico da categoria. Com o antigo bloco 16V, o Sandero fazia 11,9 km/l de gasolina na cidade; agora, com o novo 12V, sua autonomia urbano é de 14,2 km/l. Os dados são do Inmetro. Para além de conseguir uma redução de 19% no consumo de combustível, o Sandero 1.0 também se tornou mais ágil. Graças às novas tecnologias, o Sandero é mais econômico na cidade do que na estrada.

Renault Sandero

20 – Ford Ka Sedan

Da versão SE, o Ka Sedan possui um consumo de 13,4 km/l na cidade enquanto consome 15,5 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,51MJ/Km.

O Ford Ka é um automóvel urbano muito popular em grandes metrópoles brasileiras, famoso por seu tamanho fácil de estacionar, pela agilidade no trânsito e pelo consumo de combustível equilibrado.  

Em 2014, depois 7 anos depois do lançamento da segunda geração, chegava ao nosso mercado a terceira geração do Ford Ka, desenvolvido quase inteiramente pela Ford do Brasil. Dessa vez o acerto foi instantâneo, trazendo um carro bonito, com carroceria recente, equipamentos de segurança como airbags e freios ABS, e um motor de última geração, o que garantia um Ford Ka com bom consumo de combustível – perfeito para épocas em que a gasolina passou dos 4 reais.

Este modelo é o Ford Ka Sedan, um incrivel veículo da montadora Ford que graças a sua mecânica e potência ele economiza bastante o consumo de combustível, se tornando um carro altamente eficiente e dinâmico.

Ford Ka Sedan
Ford Ka Sedan

19 – Ford Ka Hatch

Da versão S, o Ka Hatch possui um consumo de 13,4 km/l na cidade enquanto consome 15,5 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,51MJ/Km.

Já dito no veículo anterior, na versão posterior a este modelo, o Ford Ka é um modelo urbano excelente pelo  tamanho fácil de estacionar, pela agilidade no trânsito e pelo consumo de combustível equilibrado. 
O câmbio manual de cinco marchas no modelo 1.5 tem as mesmas boas características da versão 1.0, sendo bem adequadas ao propósito do modelo. De modo geral, o compacto tem bom ajuste da suspensão, filtrando bem as irregularidades do solo, bem como estabilidade adequada.

A direção elétrica é muito leve, mas ao mesmo tempo bem precisa em velocidade, garantindo segurança ao condutor. Os freios também são suficientes para o Ka 2019, embora os dianteiros tenham discos sólidos na versão 1.0. Sem contar que sua injeção eletrônica é multiponto, um excelente recurso tecnologico para itensificar a sua economia, com mecanismos de ponta para uma boa administração do consumo energetico do veículo.

Ford Ka Hatch
Ford Ka Hatch

18 – Renault Logan

Da versão Authentique, o Logan possui um consumo de 14,0 km/l na cidade enquanto consome 14,9 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,50MJ/Km.

O Renault Logan 2019 é equipado com dois motores batizados de SCe, sendo um de três cilindros 1.0 e outro de quatro cilindros 1.6, ambos desenvolvidos com cabeçote, bloco e cárter de alumínio.  

O 1.0 entrou na onda dos três cilindros e traz duplo comando de válvulas variável na admissão e no escape, tecnologia inédita entre os motores de entrada. Além disso, o bloco de alumínio resulta na redução de 20 quilos do propulsor. Já o 1.6 traz os quatro cilindros, mas o mesmo comando duplo de válvulas variável na admissão, além de injetores posicionados no cabeçote. O bloco também é em alumínio, mas com redução de 30 quilos no peso.

Renault Logan
Renault Logan

17 – Peugeot 208

Da versão Active MT, o 208 possui um consumo de 13,9 km/l na cidade enquanto consome 15,5 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,46MJ/Km.

Atual hatch de entrada da Peugeot, o novo Peugeot 208 2019 pode ser encontrado no mercado nacional em versões com motores 1.2 litro flex de três cilindros, 1.6 litro flex de quatro cilindros com câmbio automático e 1.6 THP flex (turbo) de quatro cilindros.  

O novo motor Puretech do Peugeot 208 1.2 Flex é uma alternativa interessante ao anterior 1.5 8V, modificação feita localmente e que ainda está presente no Citroen Aircross, por exemplo. Com três cilindros, construção em alumínio, duplo comando de válvulas variável e baixo peso, o pequenino foca completamente na redução do consumo, com desempenho inferior na estrada. 

Com o etanol fornecido pela Peugeot no tanque, ele desenvolve bem nas saídas e tem retomadas adequadas para sua proposta, mas ao se exigir um pouco mais, ele já aponta que o caminho não é esse. Seu funcionamento é suave e linear, sem oscilações exageradas de rotação.

Peugeot 208
Peugeot 208

16 – Fiat Argo

Da versão DRIVE, o Argo possui um consumo de 14,2 km/l na cidade enquanto consome 15,1 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,45MJ/Km.

O novo hatch médio da montadora italiana chegou para balançar o mercado em que outras marcas nadam a braçadas. O Fiat Argo foi lançado oficialmente, mas na época da apresentação, faltava uma versão, a Drive com motor Firefly 1.0 Flex. Agora, a marca italiana fez uma apresentação individual da opção de entrada do novo compacto brasileiro. 

A Fiat realizou uma pesquisa que apontou que 40% dos clientes de carros 1.0 querem consumo baixo e utilizam o veículo e 70% do tempo na cidade. No entanto, os mesmos registram mais reclamações quanto ao consumo e a baixa potência. O Argo já passou por boas experiências e muitas critícas para estar onde chegou. e mesmo com a potência do motor ajudando na economia de consumo, um dos seus principais fatores que o fazem ser econômico e resitente é sua injeção eletrônica muiltiponto.

Fiat Argo
Fiat Argo

15 – Fiat Mobi

Da versão DRIVE GSR, o Mobi possui um consumo de 14,0 km/l na cidade enquanto consome 15,9 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,43MJ/Km.

Aliada unicamente ao 1.0 Firefly de três cilindros, 77/72 cv e 10,9/10,4 mkgf com etanol/gasolina, a transmissão mantém os inconvenientes trancos nas passagens de marchas, mas com (muito) mais suavidade em relação às gerações anteriores do Dualogic.  
Uma das principais maneiras de economizar combustível na direção do Fiat Mobi 2018 é usufruir de um recurso que já vem com o modelo: o indicador de troca de marchas no painel. O componente foi criado para que o motorista saiba quando o giro do motor está muito alto, evitando assim que haja muito consumo de combustível.  

O Fiat Mobi é um carro muito econômico e pode chegar a fazer 14 km/l na cidade, se abastecido com gasolina e 9,6 km/l no etanol. Na estrada, o desempenho pode ser de 15,9 km/l e 11,3 km/l, respectivamente, de acordo com testes feitos pela imprensa.  

Economia em preço e combustível foram fatores determinantes citados pelos donos na hora de decidir pela compra do Fiat Mobi 2018. A suspensão do carro foi destacada por um proprietário, que afirmou que o modelo é mais resistente na hora de passar por um buraco. O espaço interno e a possibilidade de rebaixar o banco para aumentar ainda mais o ambiente foram outros pontos ressaltados.

Fiat Mobi
Fiat Mobi

14 Lexus CT200H

Da versão CT200H, o Lexus CT200H possui um consumo de 15,7 km/l na cidade enquanto consome 14,2 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,41MJ/Km.

Mesmo com sua nota no Inmetro ter sido muito boa de A, o CT200H é um veíclo excelente para consumo economico energético, principalmente para cidade, atingindo 15,7km/l, sendo realmente mito surpreendente. Com o tanque cheio da pra rodar bastante a gasolina e ainda sobrar. E mesmo na estrada ser inferior de 14,2km/l ainda sim continua sendo uma excelente proposta de carro de menor consumo energético da Lexus.

Uma pesquisa do auto esporte fez um teste de consumo do veículo, onde na cidade, o motor elétrico é acionado com maior frequência, o hatch alcançou a média de 15,3 km/l. Na estrada, onde o motor a combustão atua com o elétrico, o consumo foi pior, de 14,8 km/l, o que é normal em híbridos, já que o motor elétrico não é tão utilizado. De qualquer forma, ele apresenta índices semelhantes a veículos populares, com motor 1.0 e bem mais leves.

Lexus CT200H
Lexus CT200H

13 – Volkswagen Up! TSI

Da versão (Rodas aro 14), o Up! TSI possui um consumo de 14,6 km/l na cidade enquanto consome 16,3 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,40MJ/Km

Como vocês podem observar acima, o Up! TSI tem um consumo na estrada de 16,3 km/l, o maior número da nossa lista – até o momento – então chame a família e parta para uma aventura neste veículo tendo a certeza que ele beberá pouco. Brincadeira a parte, o consumo energético do Up! TSI é realmente altissimo, tanto na cidade, quanto na estrada, e por esse motivo e outros incriveis fatores impressionantes que este modelo recebeu a nota A de acordo com o Inmetro.

O pequeno motor de três cilindros e de 1.0 litro do Up TSI vem com turbocompressor, intercooler, injeção direta de combustível e uma série de mudanças que exigiram um acréscimo de 4 cm ao comprimento para os sistemas agregados ao motor, que tem três sistemas de refrigeração independentes, duplo comando válvulas variável, válvulas com núcleo de sódio e outros melhoramentos para suportar cargas maiores.

Volkswagen Up! TSI
Volkswagen Up! TSI

12 – Renault Kwid

Da versão Intense, o Kwid possui um consumo de 14,9 km/l na cidade enquanto consome 15,6 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,39MJ/Km

Apesar de ser projetado para países emergentes e já estar à venda na India, ainda era um projeto novo e atual. Não foi a toa que em pouco tempo conquistou o gosto do brasileiro, mostrando-se um carro bastante urbano e ágil para o trânsito. Sendo bem econômico em vias urbanas e se tornando um carro perfeito para cidade, já que seu motor é de 1.0-12V, que ajuda ainda mais no controle de consumo de combustível do veículo.

O Kwid é glamouroso e mesmo com o seu fiel motor 1,0 é bastante potente, com uma injeção eletrônica de combustível Multiponto, que beneficia ainda mais no gerenciamento de consumo energético. Baseado no peso que pode ser levado e quanto ele gastaria de combustível para ir até certo ponto, com estes recursos o Kwid é excelente para vias urbanas e rodoviárias, um veiculo com muita precisão economia.

Renault Kwid
Renault Kwid

11 – Lexus ES300H

O LEXUS ES300H possui um consumo de 16,,3 km/l na cidade enquanto consome 15,5 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,32MJ/Km.

Se o seu modelo primo – CT200H – é o mais econômico na estrada até o momento nesta lista, o Lexus ES300H é o mais econômico em vias da cidade, chegando em 16,3 km/l. Realmente impressionante, uma obra feita bem pensada pela montada Lexus com uma mecânica de tirar o fôlego que faz deste modelo uma ótima opção para quem anda muito em vias urbanas.

Convém ressaltar que o ES 300h pesa 2.150 kg – mais que um SW4 Diesel – resultando em uma relação peso-potência de 9,9 kg/cv. Mesmo assim, em modo Sport é capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 8s7 e retomar de 60 a 120 km/h em 7s9 (pouco mais de um 1s3 a mais que o Camry, que tem um belo V6 de 310 cv debaixo do capô).

Em modo Eco, seus números de consumo de gasolina estão entre os melhores já aferidos: 22,5 km/l na cidade e 19,5 km/l em rodovia, média PECO de 21,3 km/l. Ou seja, com um tanque de apenas 50 litros, tem autonomia média de nada menos que 1.065 km. Os resultados do Lexus ES 300h são quase idênticos aos do Toyota Prius (média PECO de 21,0 km/l) e só são inferiores ao Pors­che Panamera E-Hybrid 2.9 V-6 que, graças à média de 20,8 km/l e um tanque de 80 litros, po­de atingir 1.664 km sem reabasecer.

Lexus ES300H
Lexus ES300H

10 – Ford Fusion

Da versão Hybrid, o Fusion possui um consumo de 16,8 km/l na cidade enquanto consome 15,1 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,31MJ/Km

Se o Lexus ES300H era o melhor carro para vias urbana até aqui, acaba de perder para uma incrível máquina da Ford, com uma mecânica impecável, o Fusion faz excelentes 16,8 km/l na cidade, além de ser totalmente confortável e esteticamente agradável. Ou seja, perfeito para quem deseja, além de economia, uma pequena ostentação pela beleza que o Fusion traz se destacando no mercado.

Mesmo com o seu motor bastante potente de 2.0 -16V, a sua injeção eletrônica de combustível é muiltiponto, com softwers de ultima geração feita especificamente para uma boa administração e gerenciamento do consumo, deixando o veículo além de elegante, mas, potente e econômico, a formação perfeita para quem deseja uma máquina da Ford.

Ford Fusion
Ford Fusion

9 – Volvo XC90

Da versão T8 Excellen, o XC90 possui um consumo de 16,a km/l na cidade enquanto consome 16,9 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,26MJ/Km.

O XC90 sem dúvidas é um dos maiores destaques da montadora VOLVO, e este modelo vem cheio de novidades, como os sistemas de assistência à condução inclurem alerta de trânsito cruzado. E a central multimídia ganhou integração com celulares com sistema Android Auto e streaming de áudio do Spotify . 

Mas a maior novidade é a adoção do sistema Kers (Kinetic Energy Recovery System) de regeneração de energia, comum em carros de Fórmula 1. Acoplado aos freios e ao motor, ele reaproveita a energia produzida nas frenagens e a repassa ao motor, em uma espécie de boost de aceleração. Isso permite obter uma redução no consumo de combustível de até 15%, em condições reais de uso, de acordo com a Volvo.

Com o seu consumo  na cidade de 16.4 km/l e na estrada de 16,9 km/l sem dúvidas é uma das linhas mais econômicas do mundo, o que não é muita surpresa, já que a montadora VOLVO é excelente em fabricar veículo de altissima qualidade.

Volvo XC90
Volvo XC90

8 – Toyota Prius

Da versão NGA, o Prius possui um consumo de 18,9 km/l na cidade enquanto consome 17,0 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,15MJ/Km.

Muitos dizem que o Toyota Prius é um mestre em economia de consumo, os seus números realmente são surpreendentes. Enquanto a média da nossa lista de consumo na cidade e estrada estava variando entre 13,0 km/l a 16,0 km/l o Prius chega com o consumo de 18.9 km/l em vias urbanas e 17,0 km/l em vias rodoviárias. 
Como acontece no Etios, pelo computador de bordo do Prius, você pode entrar com o preço do litro de gasolina e acompanhar o gasto em gráficos semanais ou mensais, uma ótima tecnologia para controlar o consumo do veículo. 

O Toyota Prius é um veículo movido a gasolina e eletricidade, recurso que ajuda a economia extraordinária de consumo de combustível. Quando o carro é desligado, a tela do placar é exibida, com direito aos pontos obtidos, de um máximo de 100. Esse sistema analisa o quão suave é a sua tocada em três momentos cruciais para obtenção de baixo consumo (de energia elétrica ou de gasolina): aceleração, velocidade de cruzeiro e desaceleração.

Toyota Prius
Toyota Prius

7 – Volvo XC60

Da versão T8 Insciption, o XC60 possui um consumo de 19,2 km/l na cidade enquanto consome 20,0 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,05MJ/Km

Se prepare que agora você verá os carros mais econômicos e potentes desta lista. Já visto a máquina anterior que é o Toyota Prius, e seguimos a diante com o Volvo XC60, que tem um consumo em vias urbanas de 19,2 km/l. Isso realmente é impressionante, baseado no preço atual da gasolina e no preço de tabela do XC60, para quem tem condições é um excelente investimento, já que se você – hipoteticamente – mora em um bairro com o diâmetro de 5Km e ronda somente pelo bairro, uns míseros $15 reais será o sufiente para a semana toda.

Um dos segredos para a maior economia de combustível é a nova transmissão automática de oito marchas, que troca as marchas em rotações mais baixas, melhorando, assim, o consumo e deixando o XC60 no patamar altíssimo de qualidade com o selo CONPET.

Volvo XC60
Volvo XC60

6 – Porsche Panamera

Da versão 4EHYB, o Panamera possui um consumo de 17,8 km/l na cidade enquanto consome 25,7 km/l na estrada e com um consumo energético de 1,00MJ/Km.

O Porsche Panamera tem um dos maiores consumo de estrada da nossa lista, e mesmo sendo um carro com uma aparência impecável para cidade, não cogite pegar vias grandes para um ótimo passeio no dia da sua folga, o que acha disso?! E se tem dúvidas sobre o consumo de combustível, fique tranquilo, que o Panamera faz 25.7 km/l, então apenas aproveite essa máquina da montadora Porsche e saia para o seu incrível passeio com um carro da moda.

O grande segredo está no “diálogo” extremamente inteligente entre os dois sistemas de propulsão do Panamera e-Hybrid: um V6 turbocomprimido a gasolina (com duplo rotor) de 330 cv e 45,9 kgfm e um motor elétrico aninhado ao conjunto de transmissão que, sozinho, é capaz de gerar 136 cv e 40,8 kgfm. Somadas as forças, chegamos aos tais 462 cv de potência, sendo 71,4 kgfm de torque. Só que a Porsche sabe que quase nunca será preciso ter acesso a tanta força. Por isso criou uma complexa lista de modos de condução que demandam diferentes tipos de atuação dos dois propulsores, resultando num excepcional grau de versatilidade.

Porsche Panamera
Porsche Panamera

5 – BMW 503E

o 503E possui um consumo de 20,9, km/l na cidade enquanto consome 21,9 km/l na estrada e com um consumo energético de 0,95MJ/Km.

Com 0 aos 100 km/h em 13.00 segundos, velocidade máxima de 190 km/h, um peso de 1501 kgs, o 503 está equipado com um motor V de 8 cilindros atmosférico, a Gasolina.

O motor que equipa o 503 é um V8, com válvulas na cabeça, de 3168 cc de cilindrada. Este motor era o mesmo utilizado pelas berlinas, mas aqui viu a sua potência aumentar, devido à adição de dois carburadores e um sistema de lubrificação melhorado, usando uma bomba de óleo operada por corrente. Com uma taxa de compressão de 7,5:1, o motor produz 140 cv às 4800 rpm, mais 30 cv que o motor das berlinas. Acoplado ao motor, está uma caixa de quatro velocidades manual que envia a potência para as rodas traseiras. A suspensão frontal é de triângulos sobrepostos, com barra de torção, e na traseira é de eixo com barra de torção. A travagem está a cargo de travões de tambor nas quatro rodas, com a opção de poder vir com travões de disco na frente. O peso do 503 fica na ordem dos 1500 kg, o suficiente para fazê-lo chegar aos 185 km/h.  

Este motor produz uma potência máxima de 140 CV às 4800 rotações e um torque máximo de 216.0 Nm às 4800 rotações. A potência é transmitida à estrada através de um câmbio Manual de 4 marchas, e o tipo de tração é traseira (RWD).

BMW 503E
BMW 503E

4 – Volvo S90

Da versão T8 Inscrpition, o S90 possui um consumo de 21,3 km/l na cidade enquanto consome 25,6 km/l na estrada e com um consumo energético de 0,88MJ/Km.

O maior utilitário esportivo da Volvo, o XC90, agora tem versão 2020. A novidade é o sistema de frenagem, que recupera força cinética para o motor e proporciona 15% de economia de combustível. Um carro que tem 2.350 quilos – o dobro do peso de carro compacto– e tem quase cinco metros de comprimento é um dos mais econômico entre todos da lista.

O Volvo XC90 T8 registrou a média de 25,6 km/L de consumo rodoviário. Com esse resultado, o modelo supera o Toyota Prius e é capaz de percorrer 1.470 quilômetros na estrada com um tanque, que tem 50 litros.

O motor a gasolina entra em ação sempre que se precisa de mais potência, enquanto o elétrico ajuda a economizar em subidas ao oferecer força extra. A combinação dessas tecnologias gera 407 cv, suficiente para garantir também uma boa colocação nas provas de desempenho.

Volvo S90
Volvo S90

3 – BMW I3

Da versão Rex94H, o I3 possui um consumo de 24,9 km/l na cidade enquanto consome 21,5 km/l na estrada e com um consumo energético de 0,86MJ/Km

Muito desempenho sem condenar o meio-ambiente. Por fora, o I8 usa e abusa dos elementos agressivos, como faróis de aspecto nervoso, lanternas esguias e para-lamas traseiros vazados. 

O motor elétrico envia força para as rodas da frente, enquanto as rodas de trás ficam a cargo do motor a gasolina. De acordo com o Inmetro, o esportivo faz 24,9 km/L na cidade e 21,5 km/L na estrada. Números excepcionais para o seu desempenho.

A sua tecnologia elétrica beneficia o modelo em não emirie de poluentes, ajudando o ambiente, e ainda com a potência do seu motor, equilibra o gerenciamento do consumo, fazendo ele ser bastante potente no estilo BMW, mas também bastante econômico. O I3 é um veículo da última geração que veio para melhorar o consumo e ajudar o nosso planeta, uma ótima proposta da BMW.

BMW I3
BMW I3

2 – Renault Zoe Nr

Da versão Intense, o Zoe Nr possui um consumo de 32,2 km/l na cidade enquanto consome 26,7 km/l na estrada e com um consumo energético de 0,65MJ/Km.

São 4,10 metros de comprimento, capacidade para quatro adultos e autonomia de até 400 km com uma carga na última atualização. Um veículo que parece que veio do futuro para surpreender e modificar o passado, seu consumo é extremamente econômico, inclusive, se você tiver uma estação de recarga rápida à mão, bastam 30 minutos para garantir 80 km de autonomia.

O Renault ZOE possui uma bateria com autonomia de mais de 300 km* e tecnologia de recarga regenerativa durante a frenagem, além de ser fácil e rápido recarregá-la. Com sistema de bateria Zero Emission 40 e motor elétrico, o Renault ZOE não emite poluentes, ruídos de motor ou de mudança de marcha, ele é um autêntico Zero Emissão, o que é excelente para a economia do consumo do veículo.

Renault Zoe Nr
Renault Zoe Nr

1 – Renault Twizy

Também a versão Intense, o Twizy possui um consumo de 45,8 km/l na cidade enquanto consome 43,0 km/l na estrada e com um consumo energético de 0,39MJ/Km

Depois desta breve descrição ainda tem dúvidas que o Renault Twizy é o carro mais econômico do momento? Seus números são realmente incríveis como podem ver acima, disparando e sobrando em nossa lista. A Renault fábrica excelentes carros, mas o Twizy é uma máquina futurista que atiça o desejo de qualquer um que gosta de inovar, e por isso ocupa a nossa primeira colocação.

Mesmo com o seu designer um pouco “divergente”, ele não deixa de ser um excelente veículo. Porém, a comercialização para “civis” ainda não foi iniciada. É uma pena, pois o Renault Twizy é uma das coisas mais práticas que você poderia dirigir no cotidiano das metrópoles.

Pelo fato de um de seus métodos de injestão de combustível ser elétrica, ele dispara nas pesquisas e se torna um veículo totalmente bem equipado com uma exelente mecânica que a Renault traz para gente, espero um dia ver este carro no mercado popular, quem saiba, mas até lá, admiremos mais uma vez e apaludimos o trabalho estupendo da Renault.

Renault Twizy
Renault Twizy

E assim finalizamos mais um excelente conteúdo para vocês. Continue acompanhando o Senhor Carros, e veja outras publicaçãos aqui.

Comentem aí, se pudessem escolher qualquer um desses veículos para casa agora qual você escolheria – eu com certeza escolheria o Twizy – e quem sabe daqui a alguns anos falemos de você e seu carro desado – só vale para quem comentar – Mande feedback, e até a próxima.

Listas

Top 10 Carros de luxo mais vendidos no Brasil em 2020

por

Murilo C.

Publicado em

| Atualizado em

Os carros de luxo mais vendidos no Brasil parecem estar totalmente imune à crise causada pelo coronavírus que afeta diferentes setores da economia no mundo todo.

De acordo com os dados do portal financeiro Infomoney, mesmo após a chegada da pandemia no Brasil o número de vendas de carros luxuosos literalmente disparou e se manteve num patamar bastante agradável para compradores e vendedores. 

Carros de luxos mais vendidos

Mas será que você sabe quais foram os modelos de luxos mais vendidos até agora? Se sua resposta foi negativa, então você precisa conferir o artigo que nós do Senhor Carros criamos especialmente para você.

Os 10 carros de luxo mais vendidos no Brasil em 2020 

Confira agora os 10 carros de luxo mais vendidos no Brasil até agora em 2020. Você certamente vai se surpreender com a nossa lista 

10. Porsche Cayenne

Começamos a nossa lista com o SUV da montadora alemã Porsche. 

Lançado nos primórdios dos anos 2000 mais precisamente no ano de 2002 muitos fãs da marca acharam um absurdo o lançamento de uma SUV no meio de tantos modelos esportivos. Hoje a escolha se mostra mais do que acertada. 

Esse ano o Cayenne chegou à sua segunda geração e ganhou uma variação com carroceria que o coloca como um SUV Cupê. Isso deixou o design mais harmonioso e muito semelhante com famoso 911, o queridinho da marca. 

Porsche Cayenne
Porsche Cayenne

Podemos afirmar sem sombra de dúvida que o Porsche Cayenne é um esportivo luxuoso que praticamente não possui defeitos.

Os mais críticos podem dizer que ele é gastão. Mas o que é um gasto de combustível perto do seu valor que começa na faixa dos R$ 459 mil? Ao todo 443 unidades foram vendidas. 

9. Porsche 911

Aqui temos mais um exemplar que dispensa apresentações. Afinal, quem não conhece o Porsche 911?

Ao levarmos em consideração as condições de estradas e ruas no Brasil é fácil notar que ele não é um carro para ser utilizado no dia a dia. Por isso, quem compra um 911 certamente só o utiliza em ocasiões especiais. 

Porsche 911
Porsche 911

Um verdadeiro carro de corrida. É assim que muitos definem o Porsche 911 que tem diversas versões, com valores que partem da casa dos R$ 500 mil e podem alcançar cifras de R$ 1.3 milhão. Ao todo foram emplacada 600 unidades do modelo por aqui até agora. 

8. Land Rover Range Rover Evoque

Na oitava posição dos carros de luxo mais vendidos no Brasil em 2020 temos um representante inglês.

O modelo que surgiu a partir de um conceito criado em 2008, mas que só ganhou as ruas em 2011 agrada muita gente no Brasil e mundo afora. 

O luxuoso SUV que era produzido aqui, agora é importado diretamente da inglaterra tem como principal novidade um sistema semi-híbrido.

Nele um pequeno motor elétrico substitui o motor de partida melhorando a eficiência do conjunto como um todo.

Land Rover Range Rover Evoque
Land Rover Range Rover Evoque

De acordo com a marca, esse sistema foi capaz de melhorar o consumo do Evoque em cerca de 6%. O modelo conta agora com todas as luzes: Internas, externas e dos painéis em led. 

E para finalizar o Evoque conta ainda com um sistema inovador batizado de ClearSight Ground View. Capaz de reproduzir uma imagem 3D e transparente do que se passa sob o capô. 

O Evoque 2020 parte de R$ 281 mil podendo chegar a R$ 322. Até agora foram vendidas 884 unidades. 

7.  Mercedes Benz GLA

Chegamos à sétima posição com um modelo de uma marca conhecida pelo luxo e pela qualidade. 

O modelo “alemão” passou para uma renovação completa deixando-o mais condizente com sua proposta de SUV, afastando o rótulo de Hatchback. 

Comparado com modelo anterior o GLA 2020 ficou 1,4 centímetros menor. Seu entre-eixos possui agora 2,73 metros. A principal alteração pode ser sentida na altura, já que o modelo ganhou 10,4 centímetros extras fazendo com que tenha agora 1,50 de altura. 

Mercedes Benz GLA
Mercedes Benz GLA

Para transmitir a sensação de SUV ao volante a posição de dirigir ficou mais alta e o banco do motorista também sofreu grande elevação. Apenas para efeito de comparação, o banco do GLA é 14 centímetros mais alto que o do famoso Classe A. 

Os valores do GLA partem de R$ 185 mil e podem chegar a R$ 200 mil. Ao todo 985 unidades foram emplacadas por aqui em 2020. 

6. Land Rover Discovery Sport

A montadora inglesa trouxe para o Discovery Sport algumas alterações pontuais que só podem ser notadas com um pouco de atenção. 

Por fora o modelo tem faróis em formatos filetados e com novos contornos em LEDs que trazem a função de luzes diurnas. O capô e a linha de cintura permanecem iguais com pequenas alterações na grade frontal.

Land Rover Discovery Sport
Land Rover Discovery Sport

A entrada de ar nas extremidades do pára-choque dianteiro ficou mais fina e perdeu as luzes auxiliares. O modelo ainda conta com duas opções de motor à gasolina ou a diesel. 

Com valores partindo de R$ 249 mil e podendo chegar próximos de R$ 270 mil dependendo da versão, o Land Rover Discovery Sport vendeu 1191 unidades. 

5. Mercedes Benz Classe C

Ocupando a quinta posição entre os carros de luxo mais vendidos do Brasil temos mais um exemplar da Mercedes. O famoso Classe C. 

O modelo que é um dos mais procurados no Brasil possui três versões diferentes: Avantgarde, Exclusive e Sport. Todas elas são empurradas pelo mesmo motor 1.6 turbo flex com 156 cavalos de potência.

Desde sua criação o Classe C mantém um design elegante com muito estilo e sem arroubos extravagantes. 

Mercedes Benz Classe C
Mercedes Benz Classe C

A versão 2020 possui filetes cromados na grade dianteira que acomodam a famosa estrela da marca acima das tomadas de ar. Na traseira lanternas em LED invadem sem nenhum tipo de exagero a lateral do veículo. 

Já a versão Sport possui linhas um pouco mais distintas na grade frontal a nas entradas de ar. Com valores partindo de R$ 180 mil e podendo chegar a R$ 279 mil. Ao todo foram vendidas 1315 unidades. 

4. Volvo XC60 

Na quarta posição, mais um veículo com DNA alemão. Nesse caso o Volvo XC60 que foi anunciado com algumas novidades para o mercado brasileiro em 2020. 

As principais mudanças se concentram na versão R-Design que é a mais vendida no Brasil. O visual dessa configuração perdeu alguns elementos cromados que se tornaram preto brilhantes e ganhou novas rodas e saída de escapamento dupla.

Volvo XC60
Volvo XC60 

A gama do modelo 2020 ganhou uma nova versão chamada de Polestar Engineered que é considerada como topo de linha. Essa versão também é híbrida com um motor 2.0 de 420 cavalos que funciona de modo combinado a um motor elétrico. 

Do ponto de visual, a versão top de linha conta rodas exclusivas, cintos de segurança dourados e acabamento interior em tom de carvão. 

Fora isso, a Volvo aplicou somente pequenas mudanças especiais no XC60 com a antiga filosofia: Em time que está ganhando não se mexe. Os valores partes de R$ 245 mil e podem chegar a R$ 335 mil. Ao todo, 1577 unidades foram vendidas. 

3. BMW X1

A linha X1 da BMW é muito admirada pelos brasileiros e a versão 2020 ganhou novos apêndices, se tornando ainda mais equipada. 

A principal novidade se dá em termos de visual. O BMW X1 2020 ganhou uma nova grade que segue a tendência de outros modelos da marca.

O pará-choque também mudou e abandonou os faróis de neblina redondos para adotar luzes horizontais. 

Na parte traseiras as lanternas foram totalmente redesenhadas e a saída de escapamento ficou maior e mais imponente.

O visual é completado com as novas rodas que podem ser de 18 ou 19 polegadas dependendo da versão escolhida pelo comprador. 

BMW X1
BMW X1

No interior a principal novidade é a central multimídia de 10,2 polegadas nas versões mais caras.

A lista de equipamentos e itens de série continua um tanto quanto farta capaz de agradar até os consumidores mais exigentes. 

O BMW X1 parte de R$ 195 mil podendo chegar a R$ 235 mil. Até agora 1863 unidades foram vendidas em 2020. 

2. BMW Série 3

Mais uma vez temos um modelo da BMW fazendo uma dobradinha no pódio com medalha de bronze e prata. Ocupando a segunda posição dos modelos mais de luxo mais vendidos do Brasil temos o Série 3. 

O Série 3 é o modelo preferido da marca pelos brasileiros e chega à sétima geração totalmente reformulado em termos de visual, proporções, itens de segurança, conectividade e sistemas de assistentes de condução.

Em termos visuais a grade frontal é mais larga e com moldura única. Os faróis se tornaram mais modernos e sofisticados e os para-choques e lanternas traseiras ganharam contornos mais retilíneos e envolventes. 

Internamente a cabine está mais ampla e combina materiais como couro e alumínio.

BMW Série 3
BMW Série 3

Essa combinação oferece nova disposição dos elementos internos. O painel de instrumentos está mais completo e o console central mais elevado. 

Em termos de conectividade, acessórios e itens de série o BMW Série 3 é completo e capaz de agradar até aqueles que são extremamente exigentes. 

Disponível em três versões o BMW série 3 parte de R$ 195 mil podendo chegar a R$ 217 mil. Ao todo 2874 unidades foram emplacadas até o momento no Brasil em 2020. 

1. Toyota SW4

E o campeão entre os carros de luxos mais vendidos no Brasil em 2020 é o Toyota SW4. 

O SUV modelo 2020 da marca japonesa foi anunciado ainda na metade de 2019 e traz uma série de novidades interessantes.

A principal delas diz respeito à segurança com a adição de mais bolsas de airbags. Assim o modelo totaliza sete airbags em todas as versões. 

Toyota SW4
Toyota SW4

Na questão de navegação o SW4 ganhou nova central multimídia de oito polegadas capaz de receber toques simultâneos com permissão de zoom. O GPS do equipamento também foi melhorado. 

O modelo ganhou uma nova versão a SRX diamond que tem como base a SRX de sete lugares e moto turbo diesel.

No interior há novos revestimentos, chave personalizada e bancos dianteiros com sistema de ventilação. 

A famosa e funcional versão SR Flex de sete lugares saiu de linha. Agora a versão mais acessível é a SRV 2.7 flex AT. Fora o que citamos o modelo segue com poucas alterações estéticas. 

Os valores do modelo partem de R$ 175 mil e podem chegar a R$ 280 mil. Especialistas são unânimes de que a SW4 não vale o que custa. Mesmo assim até agora, 4.856 unidades foram comercializadas.

Conclusão

Como ocorre em diferentes partes do mundo parece não haver crise quando falamos do mercado de luxo, mesmo estando no Brasil.

Agora queremos saber de você! Qual é o seu preferido na lista dos carros de luxo mais vendidos no Brasil? Deixe um comentário contando o motivo da sua escolha. Sua opinião é muito importante para nós.

E depois de conhecer os 10 carros de luxo mais vendidos no Brasil que tal conhecer uma marca que só produz veículos luxuosos que vai chegar por aqui ano que vem? Para saber mais, basta clicar no botão a seguir!

Continuar Lendo

Em Alta